Nova Terra
Espaço para discussões sobre a nova civilização no planeta Terra

O sistema solar gira em torno de Alcione, estrela central da constelação de Plêiades.

Esta foi a conclusão dos astrônomos Freidrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Solá e Edmund Halley, depois de estudos e cálculos minuciosos. Nosso Sol é, portanto, a oitava estrela da constelação — localizada a aproximadamente 28 graus de Touro, levando 26.000 anos para completar uma órbita ao redor de Alcione. A divisão desta órbita por 12 resulta em 2.160, tempo de duração de cada era. Descobriu-se também que Alcione tem à sua volta um gigantesco anel, ou disco de radiação, em posição transversal ao plano das órbitas de seus sistemas (incluindo o nosso), que foi chamado de cinturão de fótons.

Um fóton consiste na decomposição ou divisão do elétron, sendo a mais ínfima partícula de energia eletromagnética, algo que ainda se desconhece na Terra. Detectado pela primeira vez em 1961, através de satélites, a descoberta do cinturão de fótons marca o início de uma expansão de consciência além da Terceira Dimensão. A ida do homem à Lua, nos anos sessenta, simbolizou esta expansão, já que antes das viagens interplanetárias era impossível perceber o cinturão.

A cada dez mil anos, o Sistema Solar penetra no anel de fótons por dois mil anos, ficando mais próximo de Alcione. A última vez que a Terra passou por ele foi durante a “Era de Leão”, há cerca de 12.000 anos.

Na Era de Aquário, que está se iniciando, ficaremos outros 2.000 anos dentro deste disco de radiação.

Todas as moléculas e átomos de nosso planeta passam por uma transformação sob a influência dos fótons, precisando se readaptar a novos parâmetros. A excitação molecular cria um tipo de luz constante, permanente, que não é quente, uma luz sem temperatura, que não produz sombra ou escuridão.

Talvez por isso os hinduístas chamem os tempos que estão por vir de “Era da Luz”. Desde 1972, o Sistema Solar vem entrando no cinturão de fótons, e em 1998 a sua metade já estava dentro dele. A Terra começou a penetrá-lo em 1987 e está gradativamente avançado até 2012, quando vai estar totalmente imersa em sua luz. De acordo com as cosmologias maia e asteca, 2012 é o final de um ciclo de 104.000 anos, composto de quatro grandes ciclos maias e de quatro grandes eras astecas. Humbatz Men, em Los Calendários, fala também sobre a vindoura “Idade da Luz”.

Bárbara Marciniak, autora de Mensageiros do Amanhecer (da Ground) e Earth (da The Bear and Company); e a astróloga Bárbara Hand Clow, que escreveu The Pleidian Agenda, da mesma editora, receberam várias canalizações de seres pleidianos. Essas revelações falam sobre as transformações que estão ocorrendo em nosso planeta e na preparação que precisamos nos submeter para realizar uma mudança dimensional.

Segundo as canalizações, as respostas sobre a vida e a morte não estão mais sendo encontradas na Terceira Dimensão. Um novo campo de percepção está disponível para aqueles que aprenderem a ver as coisas de uma outra forma. Desde a década de 80, quando a Terra começou a entrar no cinturão de fótons, estamos nos sintonizando com a Quarta Dimensão e nos preparando para receber a radiação de Alcione, estrela da Quinta Dimensão.

Zona arquetipica de sentimentos e sonhos, onde é possível o contato com planos mais elevados, a Quarta Dimensão é emocional e não, física. As idéias nela geradas influenciam e detonam os acontecimentos na Terceira Dimensão, plano da materialização. Segundo as canalizações, a esfera quadridimensional é regida pelas energias planetárias de nosso sistema solar, daí um trânsito de Marte causar sentimentos de poder e ira.

Para realizar esta expansão de consciência é preciso fazer uma limpeza, tanto no corpo físico como no emocional, e transmutar os elementais da Segunda Dimensão a nós agregados, chamados de miasmas. Responsáveis pelas doenças em nosso organismo, os miasmas são compostos de massas etéricas que carregam memórias genéticas ou de vidas passadas, memórias de doenças que ficaram encruadas devido a antibióticos, poluição, química ou radioatividade. Segundo as canalizações, esses miasmas estão sendo intensamente ativados pelo cinturão de fótons.

Os pensamentos negativos e os estados de turbulência, como o da raiva, também geram miasmas, que provocam bloqueios energéticos em nosso organismo. Trabalhar o corpo emocional através de diversos métodos terapêuticos —psicológicos, astrológicos ou corporais— ajuda a liberar as energias bloqueadas. Massagem, acupuntura, homeopatia, meditação, yoga, o tai-chi, etc. são também técnicas de grande utilidade, pois mexem com o corpo sutil e abrem os canais de comunicação com outros universos.

As conexões interdimensionais são feitas através de ressonância e para sobrevivermos na radiação fotônica temos que nos afinar a um novo campo vibratório. Ter uma alimentação natural isenta de elementos químicos, viver junto à Natureza, longe da poluição e da radioatividade, liberar as emoções bloqueadas e reprimidas, ajudam na transição.

Ter boas intenções é essencial, assim como estar em estado de alerta para perceber as sincronicidades e captar os sinais vindos de outras esferas. Segundo a Agenda Pleiadiana, de Bárbara Hand Clow, o cinturão de fótons emana do Centro Galáctico. Alcione, o sol central das Plêiades, localiza-se eternamente dentro do cinturão de fótons, ativando sua luz espiralada por todo o Universo. Mas afinal, e nós nisso tudo?

Nós somos os mais beneficiados com tudo isso. Todos os seres encarnados na Terra passarão por um processo de iniciação coletiva. Escolhemos estar aqui nesta difícil época de transição de nosso planeta e que atingirá todo o Universo. Os fótons funcionam como purificadores da raça através de suas partículas de luz —que estamos recebendo nos raios solares— e logo, depois de 11 mil anos dentro da Noite Galáctica ou como os hindus diziam, da Kali Yuga — Idade das Trevas, estaremos imersos no cinturão de fótons. E, como um sistema de reciclagem do Universo, o cinturão de fótons inicia a Era da Luz. Existem diversas formas de a humanidade intensificar sua evolução, desenvolvendo um trabalho de limpeza dos corpos emocionais, com o uso de terapias alternativas, como florais, yoga, sahaja maithuna, musicoterapia, cromoterapia entre outros. São terapias e práticas que trabalham com a cura dos corpos sutis, evitando que muitas doenças sejam desenvolvidas antes mesmo de alcançar o corpo físico, e curando outras já instaladas. Cada partícula vai se alojando em todos os cantinhos de nosso Planeta trazendo a consciência (Luz), a verdade, a integridade e o amor mútuo. As pessoas terão um trabalho individual para desenvolver, aliado ao trabalho de conscientização da Humanidade.

Os corpos que não refinaram suas energias não conseguirão ficar encarnados dentro da Terceira Dimensão, pois a Quarta Dimensão estará instalada. E todos nós redescobriremos a nossa multidimensionalidade e ativaremos nossas capacidades adormecidas durante a Noite Galáctica. A inteligência da Terra será catalisada para toda a Via Láctea. Todos estes acontecimentos foram registrados no Grande Calendário Maia, que tem 26.000 anos de duração e termina no solstício de Inverno, no dia 21 de dezembro de 2012 d.C., que marca a entrada da Terra no Cinturão de Fótons por 2.000 anos ininterruptos. Luz é informação, Amor é criatividade.

por Christina Bastos Tigre

site: http://www.caminhosdeluz.org

About these ads

221 Respostas to “O sistema solar gira em torno de Alcione, estrela central da constelação de Plêiades.”

  1. Eu quero sa ber sobre isso ok me conte tudo que aconteceu obrigado!!. James Jones.

    • MENSAGENS DO ASTRAL –RAMATÍS /HERCÍLIO MAES – 1980
      SINOPSE (RESUMO)
      ÓRBITA DO PLANETA INTRUSO
      O PLANETA INTRUSO
      Também tem uma órbita que dura 6.666 nos e na sua última passagem pelo nosso Sistema Solar ele manteve um certo afastamento.
      Nosso Sistema Solar está na Galáxia chamada Via Láctea que possui cerca de 150 bilhões de estrelas.
      A nossa Galáxia tem a forma de um espiral com um denso bojo central cercado por 4 braços que se espiralam para fora. Assim, nosso Sistema Solar fica num desses braços e caminha em direção a constelação de Lira que se move em Direção a um alvo determinado. Os dois sistemas terão uma certa aproximação e um deles formará um ângulo inclinado sobre o outro na horizontal. Então o sistema planetário do astro intruso ficará oblíquo em relação ao sistema solar e sua influência magnética permanecerá durante o tempo em que permanecerem no ângulo de influência. Como o astro intruso é 3.200 vezes maior que o volume astro-etérico da terra, ele provocará alterações nos satélites do Sol na razão direta de suas velocidades, rotas, volumes e idades siderais. (nota:há 13.000 anos aconteceu uma ERA DO GELO no planeta Terra. Isso seria há 2x o tempo referente a aproximações magnéticas dos ângulos inclinados dos dois sistemas Sol e Lira)
      O número 666? – O planeta intruso localiza-se em uma órbita de 6.666 anos. Ou seja, a cada 6.666 anos o sistema do planeta aproxima-se do nosso sistema Solar. Como nada está imóvel no Universo, temos: nosso planeta Terra gira em torno do Sol. O sistema Solar gira em torno da constelação de Plêiades cuja estrela central recebe o nome de Alcione. E assim cada constelação (=grupo de estrelas) gira me torno do centro de uma galáxia (=grande aglomerado de bilhões de estrelas). Assim pode ocorrer que de tempos em tempos determinadas constelações se aproximem umas das outras. Lembramos que os engenheiros siderais traçam com antecedência de bilhões, trilhões, etc. de anos, o esquema das rotas dos astros, planetas,, asteróides, corpos ou poeiras cósmicas que formarão as futuras galáxias distribuídas na abóboda celeste, considerando todas as atrações, repulsões, influências astronômicas dos corpos, etc..Eles empregam cálculos de matemática sidérea prevendo em todos os detalhes os movimentos e progressos dos mundos vindouros bem como demarcando as exigências de aproximação e distanciamento, influências magnéticas, reação dos satélites e todas as alterações e progressos das humanidades existentes de futuro nesses conjuntos planetários. Os engenheiros siderais previram todos os desvios e modificações de eixo e de órbita e seus necessários ajustes a cada movimento na pulsação do Sistema Solar. E após as grandes comoções(=abalos,tremores) do orbe serão apresentadas novas oportunidades, mais eficazes, para o adiantamento das almas(= novo clima,nova terra, etc).
      A besta apocalíptica adota o nº 666 do astro intruso. Nostradamus inverteu para 999, daí tanta confusão relacionada a esta data. E o profeta diz: “Quem tem olhos para ver…”

      03/12
      SUBTRAÇÃO MAGNÉTICA
      É uma sucção (=ato de sugar) gradativa, partindo do astro inferior. E cada alma responderá a esta subtração magnética conforme a sua faixa vibratória que revelará maior ou menor afinidade com as condições e vida primitiva do astro inferior.
      Os espíritos de vibrações rapidíssimas (=+ elevados energeticamente) e que estão em faixas vibratórias mais sutis (=delicadas), escaparão da influência do Planeta primitivo e, portanto, não sentirão o entorpecimento (= enfraquecimento) magnético e conseqüente atração para o orbe inferior.
      Mas, os “esquerdistas do Cristo” sentirão estranha hipnose (=espécie de sono) que os deixará inquietos e ignorando de onde provèm a força atrativa e succional, perderão o senso do local em que estiverem até o momento em que, envolvidos por forte torpor (=falta de ação), terminarão trasladados (=transferidos) para o meio inóspito (=onde não se pode viver) do planeta higienizador, no qual só despertarão para iniciar a recapitulação (=repetição) das lições negligenciadas (=esquecidas) na Terra.
      Lembramos que o que há de predominar (=prevalecer) nesse processo migratório exótico (=fora do comum) será justamente a afinidade (=sintonia) psíquica (=processos mentais) de cada espírito para com o planeta primitivo, pois a aura da Terra vai acasalar (=cruzar) com a do astro e uma faixa vibratória será formada e irá canalizar (=formar canais). Os espíritos em completa sintonia com aquele magnetismo que assemelhando-se a gigantesca nave planetária receberá os viajantes terrícolas de “terceira classe” que vão passar longa temporada de “cura” num sanatório.

      O ASTRO INTRUSO
      Recebe esse nome pois não faz parte do nosso Sistema Solar.
      O astro intruso será o barômetro (=mede pressão atmosférica) aferidor (=avaliador) dos esquerdistas e direitistas do Cristo.
      O papel do astro intruso é o de atrair para o seu bojo (=barriga) etério-astral todos os desencarnados que se sintonizam com a sua baixa vibração que serão os egoístas, os malvados, os hipócritas, os cruéis, os desonestos, os orgulhosos, tiranos, déspotas (=opressor, tiranos, cruel), avaros; estarão incluídos entre eles os que exploram, tiranizam e lançam a corrupção. Não importa que sejam sábios, cientistas ou chefes religiosos.
      A sua marca, ou selo bestial, está identificada com o teor magnético do planeta primitivo. Assim, o astro intruso será como ferro magnético que atrai as limalhas de ferro, e, portanto, atrairá os espíritos terrícolas dos desregrados denominados”pés de chumbo” – porque realmente estão chumbados ao solo terráqueo pelas suas vibrações densas. E por isso serão atraídos pois se identificarão com o teor magnético do planeta primitivo. Desta forma, os desregrados ou esquerdistas do cristo terão que abandonar a Terra que será promovida à função de escola do mentalismo.
      A ação mais importante do astro intruso ou Planeta Higienizador é no mundo oculto., pois sua aura magnética em fusão (=mistura) com a aura terrena proporcionara o ensejo (=ocasião) para a emigração coletiva do juízo final (=mudar para outra região).

      04/12
      VERTICALIZAÇÃO DO EIXO DA TERRA

      Diz João,8:12:”E foi ferida a terça parte do Sol e a terça parte da Lua e a terça parte das estrelas” – lembramos que naquela época João não tinha conhecimento de que o eixo de inclinação da Terra era de 23°30’.

      João (XIV-18 e 21):”Logo sobrevieram relâmpagos, vozes e trovões e ouve um grande tremor de terra, tal e tão grande terremoto qual nunca se sentiu desde que existiram homens sobre a terra. E caiu do céu sobre os homens uma grande chuva de pedra, como do peso de um talento; e os homens blasfemaram de Deus, por causa da praga de pedra, porque foi tão grande em extremo”.
      – O globo terrestre será abalado em toda a sua estrutura e a dores coletivas serão imensas, e mesmo os espíritos satanizados ficarão também imersos em angústias e serão os primeiros a clamar por socorro e por isso, não poderão aproveitar a oportunidade e estabelecer o reinado perigoso de satanás.
      João,XVI-19:”E a grande cidade (=Terra) ficará dividida em três partes”. (lembrando que a grande cidade é a superfície do nosso globo) – Aqui ele descreve as principais modificacões que sofrerão os oceanos com as emersões da Lamúria e Atlântida que formarão extensa área de Terra do que resultará na existência de 3 continentes que oferecerá melhores condições para a humanidade futura.
      Em João XVI-20:”E toda ilha fugiu e os montes foram achados” – Aqui João fala o que acontecerá após o terremoto, quando as paisagens familiares e conhecidas não serão mais encontradas pois foram substituídas por aspectos novos.
      “E as cidades das nações caíram, e babilônia, a grande, veio em memória diante de Deus, para lhes dar de beber o cálice do vinho da indignação e da ira.”
      Isto é: As terras submergiram devido a elevação gradual do eixo.

      05/12
      “Babilônia a grande” (=humanidade desregrada) veio em memória diante de Deus” – isto é: apresentou-se para julgamento com a memória de seus atos, pecados e virtudes, desregramentos e sublimações, perante Deus, para a seleção à direita ou à esquerda do Cristo, na separação já prevista, portanto, os habitantes da Terra terão que prestar contas de todos os seus atos e ser responsabilizados pela semeadura realizadas nas encarnações passadas. Isto é o “juízo final” onde os seres serão situados carmicamente nos mundos que lhes são afins com o grau espiritual de então.
      João diz: “foi ferida a terça parte do Sol, a terça parte da Lua e a terça parte das estrelas”, ou seja, o sol foi ferido em 23°30’, a Lua foi ferida em 23°30’ e as estrelas foram feridas em 23°30. (23°30’ = 23,5°)
      João (VIII-12): “De maneira que se obscureceu a terça parte das estrelas” – ou seja, desapareceu um terço do conjunto estelar da observação comum em cada local.
      João (VIII-10): “E caiu ela (=a estrela) sobre a terça parte dos rios e sobre as fontes de águas” –significa: a verticalização da Terra foi vista por João numa visão rápida dando-lhe a idéia de mistura com a queda da estrela. E teremos modificações na parte física do nosso planeta como: emersões de terras que surgirão no meio dos oceanos; a deslocação de mares, dos rios, das fontes de água e dos lagos, etc.
      A ESQUERDA CRÍSTICA
      São aqueles cujo satanismo domina suas consciências…
      São calouros que reencarnam no cenário terreno ou são iniciados aos ensinos ministrados pelo cristo.
      Quem está à direita do Cristo são aqueles que já se regeneraram e se transformaram em indivíduos cristianizados e se ascensionaram (subiram) aos planos de páz e de ventura eterna.
      A generosidade do Criador na educação espiritual, determina que os veteranos (=da direita) cedam lugar aos calouros (= da esquerda) que ocuparão os papéis já vividos pelos veteranos na sublime atitude de renúncia e de amor.
      Cabe aos veteranos, ensinar aos neófitos (=acabou de ser batizado) ou calouros ignorantes e rebeldes, a obediência respeitosa às regras magnânimas (=elevadas) deixadas pelo mestre Jesus. Lembramos que a humanidade atual é a reencarnação coletiva de criaturas que já constituíram as hordas(=tribos nômades) de vândalos (=destruidores) galvanizados (=recobertos) no ódio, na violência e na perversidade, destruidores de agrupamentos humanos, templos e escolas, que semeavam a morte e reduziam a cinzas os adversários.
      Os séculos findos (=acabados) ainda guardam o eco das inúmeras rebeldias e insânias diabólicas dos que hoje se fazem veteranos ou estão à direita do Cristo.
      Muitos que foram exilados (=mandados embora) de outros planetas já se redimiram (=resgataram seus débitos) e agora estão a auxiliar na libertação do satanismo e na aquisição de melhor padrão espiritual.
      O auxílio que a administração sideral solicita de nossos esforços espirituais, em benefício desses cruéis rebeldes que reencarnam na Terra é o mesmo que recebemos constantemente das almas angélicas de hoje que são, na verdade, velhos satanases já regenerados e que nos precederam na jornada evolucionária.
      06/12
      È por isso que o Cristo nos espera, há tantos milênios, a fim de que ingressemos (=entrar) no seu reino de Glória Imortal…
      E por isso Jesus apela para o nosso serviço sacrificial e renûncia crística de modo a podermos figurar entre os “poucos escolhidos” dos “muitos chamados”.
      Só o batismo sedativo dos corações evangelizados, a resistência moral evangélica e a renúncia completa me nome do Cordeiro Magnânimo (=generoso)é que produzirão a metamorfose dos filhos satanizados mas que são indiscutíveis candidatos à angelitude eterna.
      OS ESQUERDISTAS DO CRISTO
      Isaías, XXIV-6: “E serão deixados poucos homens”
      Zacarias, XIII-8e9: “Duas partes dela serão dispersas e perecerão; e a terceira parte ficará nela. E eu farei passar esta terceira parte pelo fogo”. =ou seja: a 3ª parte é a da direita do Cristo a ser purificada.
      Apocalipse, VIII-9: “E a terça parte das criaturas que viviam no mar, morreu, e a terça parte das naus (=embarcações) desapareceu”. =simbolismo representando os dois terços dos habitantes da terra que devem desencarnar em consequência de inundações ou de naufrágios.
      Disse Jesus:”E serão julgados os vivos e os mortos”.=significa julgar encarnados e desencarnados que se situarem nas adjacências (=vizinhanças) da Terra.
      Muita gente desencarnada poderá voltar ainda para submeter-se às provas mais acerbas na matéria e revelar-se à direita ou esquerda do cristo; no entanto, muitos partem (=desencarnam) em tal estado de degradação (=desonra moral) que a Direção Sideral já os classifica, no além, como exilados em potencial e dispensados de novos testes. Lembrando que os alunos relapsos (=não cumprem seus deveres) são obrigados a repetir o mesmo curso, assim será com as almas exiladas da Terra para um mundo inferior. Elas não estarão em involução (=regredir, voltar atrás) mas apenas reiniciarão o aprendizado afim de retificar (=corrigir) os desvios perigosos à sua própria felicidade.
      Um terço da Humanidade estará em condições de se consagrar (=ser oferecido a Deus) como o “trigo” e as “ovelhas” ou “direita” do Cristo.
      Estes serão os que possuem um padrão vibratório espiritual, acima da freqüência “mais alta” do magnetismo primitivo do planeta que se aproxima e que atrairá magneticamente os esquerdistas do Cristo que se encontram na figura de “vassalos da besta” e que estarão em sintonia magnética aos apelos de ordem animalizada.
      Os direitistas independente da insígnia (=posto, posição) religiosa ou disciplina iniciática, serão reconhecidos principalmente pelo:

      -Espírito universalidade fraterna;
      -Esforços religiosos bem intencionados;
      -Desapego aos proventos (=lucros) materiais;
      -Desinteresse por lisonjas (=adulação);
      -Obediência à índole de amar e servir;

      07/12
      Os da direita do Cristo assumem as regras crísticas do:
      -“Amai-vos uns aos outros”;
      -“Fazei aos outros o que quereis que vos façam”;
      Esse grupo dos “poucos escolhidos” entre os “muitos chamados”, será a verdadeira falange de ação do Cristo no nosso mundo na hora desesperadora que se aproxima.
      O SINAL DA BESTA
      Seja a afirmativa:”A besta imprimiu (=fixou) um sinal na testa ou na mão dos seus subordinados…”A besta é a representação do instinto animal pervertido. Não se trata de ferrear (=marcar com ferro) a mão ou a testa de quem quer que seja. Qualquer ação do espírito sobre a matéria (=carne) está ligada a duas manifestações distintas (=diferentes):
      1ª)À da testa =È o símbolo do pensamento que cria.
      O sinal da besta será gravado na testa pelo mau pensar, ou seja, aquele
      que se degrada (=se torna infame) sob a imposição (=determinação)
      das paixões inferiores adora a besta
      e a sua imagem, que é o desregramento.
      2ª)À da mão =È o símbolo da ação que materializa na forma a idéia criada no
      Cérebro. A mão é o símbolo do mau agir.
      SATANISMO =É OMAL INTERNO QUE DESAPARECE QUANDO A LUZ DO CRISTO (=ENSINAMENTOS) FAZ SUA ECLOSÃO (=APARECIMENTO) NO MUNDO INTERIOR DA CRIATURA. O PODER SATÂNICO É O EGOÍSMO FEROZ DA PERSONALIDADE HUMANA.
      A BESTA APOCALÍPTICA SIMBOLIZA O DESREGRAMENTO COLETIVO (=DE TODAS AS PESSOAS), A PERDA DA VONTADE PRÓPRIA, A DEGRADAÇÃO (=CORRUPÇÃO DO INDIVÍDUO), AS PAIXÕES AVILTANTES (=INFAMANTES).
      O SATANISMO É INDIVIDUAL (=ESTA´DENTRO DO INDIVÍDUO)
      A BESTA É O COLETIVO (=É A PARTICIPAÇÃO DA MASSA IRRESPONSÁVEL)
      SATÃ – lúcifer, satanás ou o diabo = é uma lenda, um mito (fábula) infantil
      Satanás é a expressão do mal (=cuja existência se atribui a satanás)
      O mal é uma expressão transitória e sem prejuízo definitivo porque se conjuga com a bondade e a justiça de Deus que é eterna sabedoria, poder e amor!
      08/12
      No trabalho que o homem empreende (=executa) para atingir em sua evolução a situação angélica, o esforço ascencional (=subida evolutiva) cria a aparência da existência de um mal que vai desaparecendo à medida que o espírito vai se aproximando do seu verdadeiro destino.
      O sofrimento, a dor e o cortejo de resistências humanas que criam o mal, atribuído à ação de uma suposta entidade malévola, são fases provisórias no divino processo de aperfeiçoamento das almas e que elas sempre louvam quando atingem o estado de angelitude.
      A resistência contra a luz e o bem, que a princípio se verifica na alma, é que gera o mal que costumamos atribuir à satanás. Mas este mal some ou desaparece quando a luz do Cristo faz a as eclosão (aparecimento) no mundo interior da criatura.
      No apocalipse João Evangelista aponta satanás como entidade maléfica e o pintam acovardado diante da luz do arcanjo Miguel. O significado é:
      O ARCANJO MIGUEL- simboliza a cessação (=parada) da resistência espiritual em sua ascensão (=subida) angélica (=ou seja: não há mais prática do mal onde predomina instinto).
      O SATANÁS – simboliza as almas que em conjunto se entregam à maldade e à revolta, almas que não avaliam as conseqüências funestas (=nocivas) de seus atos nem se atemorizam diante de feitos os mais brutais.
      Satanás é o grito desesperador da falange humana que não quer ajustar-se à consciência coletiva do criador; satanás é a resistência implacável (=sem perdão) para subsistir (=existir) isoladamente em selvagem egocentrismo (=tudo se refere ao próprio eu).

      O PODER SATÁNICO – nada mais é senão o egoísmo feroz da personalidade humana, que se apega tenazmente (=firmemente) ao mundo das formas; É a rebeldia completa e a indiferença deliberada (=resolvida) para com o planos dos prepostos (=aquele que dirige um serviço) do Cristo.
      DEUS – é o único criador de eterna justiça e amor e não poderia ter criado um ser como satanás. E se satanás fosse gerado por outrem ou nascido por si mesmo, isso comprovaria a existência de um outro deus! E teríamos, então, dois poderes opostos a se digladiarem (=brigarem) em contínua reação com grave perigo de que um dia satanás pudesse dominar o mundo./ E se Deus, por vingança, houvesse transformado o anjo em diabo isto seria prova da perda da sabedoria de Deus pois primeiro Deus criou um ser perfeito que depois terminou degenerado (=estragado, perdido). Lembramos que o anjo tornou-se anjo após superar dentro de si todas as formas satânicas provenientes do instinto animal.

      09/12
      INDIVÍDUOS SATANIZADOS
      São identificados por suas ações individuais em todos os setores públicos ou particulares da vida humana.
      O satanismo é símbolo do truncamento (=separação, mutilação) da inversão de valores tradicionais já consagrados ao bem comum.
      O satanismo é a falsa suposição do verdadeiro; é o reinado do trivial (=vulgar, dia-a-dia), do inútil e do pervertido (=corrompido, mal), num absoluto egoísmo e indiferença diante de qualquer aflição humana ou necessidade alheia.
      Os indivíduos satanizados são criaturas cujo modo de vida se transforma em esplendoroso parasitismo (=vive as custas de explorar outros). São tipos insensíveis diante dos desgraçados mais esfarrapados! Seus corpos são cobertos com finíssimos tecidos e ornados com fascinantes pedrarias mas, por dentro, pulsa um coração gélido (=sem sentimento), impermeável (=insensível) ao apelo do próximo!
      1º)Na administração pública arrasam patrimônios coletivos e amealham (=poupam) desonestamente para seu grupo familiar;
      2º)formam impérios faustosos (=prósperos) e esbanjam (=desperdiçam) com prodigalidade criminosa;
      3º) Povoam cemitérios com ricos mausoléus para que seus cadáveres apodreçam luxuosamente, embora a pouca distância dali choupanas de vivos famintos e desnudos estão a fruir (=cair);
      4º)Criam industrias bélicas (=de guerra) e promovem conflitos armados entre os povos subnutridos, para se enriquecerem com os lucros homicidas (=gerados através da morte das pessoas);
      5º) Se infiltram em todas as esferas do pensamentos humano mas não conseguem manter um nível honesto devido a sua índole satânica;
      6º) Sensualizam o pensamento do moço na revista fescenina (=sensual,obscena, que fere o pudor);
      7º) Insuflam (=instalam) ódio entre as classes e nas doutrinas ou religiões, espalham definições separativistas e desmentem em público aquilo que cultuam na atmosfera dos templos, pois falam muito em Deus mas cortejam fanaticamente o mundo de césar;
      8º) Pregam simplicidade mas vestem-se de tecidos caríssimos enfeitados de ouro!;
      9º) Na ciência, transformam a dor humana numa bolsa de negócios pois colocam os medicamentos a preço de produtos de joalheria.

      10/12
      A BESTA APOCALÍPTICA
      É um simbolismo do desregramento que atinge o mundo conjugando-se todas as paixões inferiores e formando uma só paixão coletiva composta de criaturas invigilantes.
      A besta é o símbolo de um comando pervertido (=corrompido,mal), ou seja, a dominação por parte de um grupo que submeterá aos seus caprichos determinado número de seres.
      A besta assemelha-se a um cardume de peixes, a um bando de gafanhotos ou a uma alcatéia de lobos que são espécies coletivas do reino animal que agem sob um mesmo caráter instintivo movendo-se pela ação diretora de um só psiquismo, com suas reações perfeitamente idênticas. Portanto, a besta apocalíptica representa a alma global e instintiva de todas as manifestações desregradas: ela age sorrateiramente sobre as criaturas negligentes (=desleixado,ocioso) e lhes ajusta as emoções contraproducentes, a fim de lhes incentivar a insanidade, a corrupção e a imoralidade geral.
      O reinado da besta implica na existência de muitos súditos (=dominados) que são gozadores das bacanais lúbricas (=festas licenciosas,desregradas, sensuais) dos sentidos humanos e das paixões aviltantes (=desonradas) herdadas do animal, ou seja, o reinado da besta, está alicerçado (=fundado, formado) sobre o desregramento coletivo da massa irresponsável (=multidão leviana) e evidencia-se mais pelo gozo dos sentidos passando a ser uma sujeição (=obediência) espontânea à volúpia (=prazer dos sentidos) e à devassidão (=prazer sexual).
      O reinado da besta representa o desregramento geral. A perda da vontade própria, o abandono à lubricidade (=sensualidade) e à adesão (=ligação) espontânea (=livre vontade) dos indivíduos a um único estado de corrupção (=suborno,devassidão,depravação,perversão)
      A devoção (=dedicação) à besta representa a degradação do indivíduo como acontece com o viciado em ópio que se funde ao próprio vício.
      A massa bestializada não se importa com a sobrevivência pessoal e apenas lhe interessando a sensação do momento e o desejo mórbido (=enfermo, doentio) que mata o raciocínio.
      O reinado da besta significa a agressividade do instinto inferior bravio.

      ……………………………….X……………………………….X…………………………

      (Observação:Para ser possível um entendimento melhor dos fatos do Apocalipse (=revelação), serão citadas trechos de duas obras importantes p/ estudo. Caso o leitor sinta necessidade, procure conhecê-las melhor).

      11/12
      Devassando o invisível -Yvone A Pereira – ver cap.IV
      Os amigos espirituais nos esclarecem como são ditados, do Além, os romances da bibliografia espírita (ver obras básicas da Doutrina) sendo que o romance pode vir por qualquer uma das vias mediúnicas e também por inspiração, pela incorporação, psicografia mecânica ou semimecânica, da intuição, da audição, etc., poderão verificar-se num ditado mediúnico, para romance, ou outros meios, etc.
      Então vemos Francisco C. Xavier, médium literário que em vidas pregressas (anteriores) teria sido inclinado às letras e ao Belo, razão pela qual passou a possuir aptidão(= foi habilitado,autorizado) para obter(conseguir) do Espaço (=plano espiritual) obras superiores aos seus próprios conhecimentos do presente.
      João, o Evangelista(=chamado “discípulo amado”) possuiria uma singular faculdade mediúnica, cujo espírito era arrebatado do corpo material durante o transe lúcido(=consciente) de desdobramento, era alçado(=o espírito deixava o corpo físico) ao Espaço Espiritual e, uma vez ali, via Jesus -a quem chamava Senhor- e com ele conversava, recebendo preciosas instruções. O que, porém, Jesus dizia ao seu discípulo era ouvido e visto por João, pois a palavra do Mestre tomava forma e transformava-se em fatos e ocorrências diante do Apóstolo, depois do que o próprio Senhor Jesus o mandava escrever tudo quanto presenciara. Daí surgiu o livro Apocalipse, o último dos volumes de que se compõe o Novo Testamento que é uma obra essencialmente mediúnica não muito clara a compreensão vulgar, em virtude de tentar transmitir um transcendentalismo profético servindo-se do vocabulário e das imagens da época, bem mais deficientes do que as atuais, como foi o caso, por exemplo, para descrever a aviação moderna (=gafanhotos soltando fogo= helicópteros de guerra)
      Vemos que os profetas do velho Testamento apresentavam a bela faculdade mediúnica de João pois afirmavam com frequência que eram arrebatados em espírito repetindo sempre: -”O senhor disse , e eu vi…”. Ao passo que médiuns atuais não cessam de afirmar que veem quadros fluídicos através das descrições dos seus instrutores desencarnados, ao receberem obras vistas e não apenas escritas, avisos de futuras ocorrências narradas em cenas vivas, principalmente de morte próxima de algum ser amado, e romances e revelações novas.(podendo uma obra ter dois autores -um que a conta, ou narra em cenas, no Espaço, e outro que a escreve mais tarde, através da psicografia). Daí, destacamos Francisco Cândido Xavier (=mais popular e o mais acreditado no conceito geral) confessando que, ao receber da entidade espiritual Emmanuel o livro “Paulo e Estevão”, assistiu, deslumbrado, a cena da aparição do Nazareno a Saulo de Tarso, na estrada de Damasco, quadro fluídico criado pela palavra espiritual (vibração mental, poder do pensamento e da vontade sobre os fluidos existentes no Universo) do autor da obra. Comovido, o médium não suporta tanta grandeza patenteada à sua visão. Abandona o lápis, interrompendo o ditado. Prostra-se de joelhos e chora as mais sublimes lágrimas que seus olhos conheceram. Aliás é comum o médium se emocionar ante as belezas que à sua visão se rasgam em cenas indescritíveis, quando, muito concentrado no trabalho, favorecido por ambiente feliz e afastamento completo das coisas deste mundo, ele se dá ao labor do ditado mediúnico.

      12/12
      Livro: Urania=(Uranie) Camille Flammarion(1842-1925)
      A LUZ DO PASSADO – REVELAÇÕES -1ª parte – Uranie lhe convida a conhecer o espaço infinito e ao Utilizar sua a faculdade mediúnica de desdobramento disse;
      – O microscópio nos mostra a formiga do tamanho do elefante; que, penetrando até os infinitamente pequenos, nos torna o invisível visível. Quando observais, com o maior cuidado, ao telescópio, estrelas que não existem mais, (= ou seja, algumas dessas estrelas, que se avistam a olho nu, já não existem e várias nebulosas já se tornaram sóis), na verdade, observas a luz emanada (=exalada, lançada) de todos os sóis que pululam(=existem em grande número) na imensidade. A luz emanada (=emitida) de todos os sóis que pululam na imensidade é refletida no Espaço por todos os mundos iluminados por esses sóis, leva através do céu infinito as fotografias de todos os séculos, de todos os dias, de todos os instantes. Olhando para um astro, só se vê o que era no momento em que partiu a fotografia que dele se recebe, tal qual, ouvindo um sino, só se recebe o som depois que partiu, e tanto mais tempo depois quanto mais afastado dele se está. (Assim, a luz registra todas as imagens de todos os acontecimentos e de todos os lugares. Observe que o nosso processo de fotografia atual baseia-se no registro do reflexo da luz emitida, e, portanto toda a história fica registrada no seio do Universo)
      Daí, resulta que a história de todos os mundos viaja atualmente no Espaço sem jamais desaparecer absolutamente, e todos os acontecimentos passados estão presentes no seio do infinito e indestrutíveis.
      Junto ao espírito de Uranie, atravessaram várias constelações e ela disse:
      -Achamo-nos a tal distância da Terra, que a luz consome para chegar de lá (Terra) até aqui todo o tempo que nos separa da época de Júlio César. Aqui, recebemos, sòmente agora, os raios luminosos partidos da Terra naquele período..Entretanto, a luz viaja no Espaço etéreo com a velocidade de trezentos mil quilômetros por segundo; É rápido, muito rápido, mas não é instantâneo. Os astrônomos da Terra, que estão agora observando as estrelas situadas à distância em que nos achamos, não as avistam tal qual elas são atualmente, mas tal qual eram no momento em que partiram os raios luminosos que lhes chegam somente hoje,. De nenhum ponto do Universo jamais se avistam os astros no aspecto do que eles são, mas do que foram. Tanto mais atrasado se está sobre a sua história, quanto mais afastado deles se acha.
      Depois colocou seus alongados dedos sobre a fronte de Camille e suas faculdades de percepção ganharam mais poder. E examinando atentamente os reflexos da luz emitida pela Terra, teve diante dos olhos a Gália da época de Júlio César. Estava ali as imagens da guerra da independência, animada pelo patriotismo de Vercingetorix.
      E assim, completa Uranie: “quis mostrar-te de que modo o Tempo é eterno, e que o espaço é infinito e poderás compreender a grandeza do Universo.
      A duração do Universo não terá fim. A Terra há-de acabar, e um dia não será mais do que um túmulo. Mas haverá novos sóis e novas terras, …,a vida florirá sempre no Universo sem limites e sem fim. A história de cada mundo é eterna em Deus”.
      (Acredite, caro leitor, que um espírito ao escrever determinada história, pode pesquisa-la nas imagens gravadas no próprio espaço sideral e depois mostra-las a um médium.. Daí, pode-se entender as imagens vistas por João, o Evangelista ao narrar o Apocalipse (=revelação), Estejamos alerta pois geologicamente a Terra sofrerá modificações e quando o joio (esquerdistas do Cristo) serão retirados e quem ficar (=aceitou a filosofia de Jesus) terá o encargo de reconstrução da nova Jerusalém

    • Assim é e assim será e o Homem verá a Luz de onde surgiu… e até, os pregadores do apocalipse se contentarão com tamanha revelação… o “sonho” das tormentas terninará e nada mais restará que a força do Amor.

  2. Gostaria de eclrecer, sempre soube que onosso sistema solar pertece a constelação de sirus e não das pleiades.

    • UFO – FENÔMENO DE CONTATO –
      – Pedro de Campos –
      – Por instrução do espírito
      Yehoshua Ben Nun –
      OVNI – OBJETO VOADOR NÃO IDENTIFICADO-ou FENÔMENO UFO

      METAFANISMO = é um termo genérico empregado para definir o aparecimento e o desaparecimento supranormal de coisas ou de indivíduos. Essa terminologia é mais empregada para definir um evento de criação paranormal; e não para um fenômeno de transporte daquilo já existente em outros locais de mundo físico.

      ECTOPLASMIA = também chamada materialização que pode ser produzida por inteligências do além do planeta humano, quer ela seja produzida por Espíritos (ectoplasmia), quer seja por seres alienígenas (teleplastia).

      MATERIALIZAÇÃO = é um termo genérico. Quando produzida por Espíritos, ela ocorre em razão de uma doação de ectoplasma do médium, por isso é mais bem definida em Parapsicologia com o termo ectoplasmia. Quando produzida por seres alienígenas, o termo empregado é teleplastia, diferenciando em razão das características do fenômeno, do fluido diferenciado e do transporte empregado pelo Ufo para plastificar a forma.
      Os primeiros fenômenos de materialização espírita datam da década de 1850, mas o seu estudo criterioso somente foi iniciado vinte anos depois, por volta de 1870. A partir daí, os casos foram numerosos. Em quase todos os países da Europa os fenômenos foram verificados e prosseguiram até o início da Segunda Grande Guerra. No Brasil. O estudo da ectoplasmia foi intenso, principalmente em meados do século XX. Atualmente, esse evento pode ser considerado raro, difícil de ser realizado nas Casas Espíritas.
      Deve-se considerar que a forma materializada é apenas um simulacro do corpo humano, e não um corpo de carne e osso realmente vivo. Trata-se de uma aparência tão intensa da matéria carnal, que quem a vê pode ter a ilusão de estar vendo uma figura humana real.
      O agente espiritual, responsável pela ectoplasmia, tem condições de fazer uso do corpo do médium para materializar sua própria constituição perispiritual, quer na forma de um corpo inteiro quer na de partes dele; ou seja, uma cabeça, um busto, uma mão. A aparência da forma símile é tão perfeita que se alguém der apenas uma rápida olhada nela pode não perceber diferença e tomá-la pó uma pessoa humana normal.
      De fato, trata-se de uma condensação efêmera, um agênere de outra natureza quase forma repentinamente na Terra. Esse agênere formado pode apresentar um olhar quase vivo e uma expressão inteligente. Pode exprimir sentimentos como alegria e tristeza: fala, sorri e chora. Porém pode também não demonstrar emoção nenhuma, como se fosse destituído de sentimentos. Sua constituição é tangível e resistente ao toque. Pode ter todas as formas corporais, como cabelos, pelugens, unhas. Caminha com certa desenvoltura. Estranhamente, apresenta batimentos cardíacos, pulsação e temperatura, sugestivos de trânsito sanguíneo, além de hálito e respiração aparentemente normais. De modo insólito, por algum tempo pode ingerir e desmaterializar alimentos.
      No entanto, detendo-se a atenção no simulacro intrigante, nota-se que ele não é humano, mas que existe nele algo de estranho e incomum. Seus modos são outros, bem

      diferentes; parece participar ao mesmo tempo deste e do outro mundo. Tem um olhar vaporoso e penetrante, não apresentando a nitidez da vista humana. Sua voz tem entonação de fundo, um timbre quase metálico, semelhante ao som acústico de computador. A linguagem é concisa e quase sempre sentenciosa. Ao surgir, provoca uma sensação de surpresa e ao mesmo tempo de temor. Certa vez, a figura pode ser imóvel como estátua, mas em um repente Poe tornar-se ligeira como o vento. Seu corpo pode levitar com facilidade e desfazer-se no ar com a rapidez do relâmpago. Uma materialização permanente desse simulacro não foi conseguidaç nas sessões, apenas a duração da forma por algumas horas, sendo que o fantasma materializado apresenta consistência e peso específico.
      Antes de iniciar o processo de materialização, o local onde o médium fica confinado, em estado de letargia (= perda temporária e completa da sensibilidade e do movimento), transforma-se num verdadeiro laboratório do mundo invisível, onde entidades do além-vida montam aparelhos extrafísicos e armazenam fluidos necessários ao evento. Verifica-se no local uma acentuada queda de temperatura. Quem de fora entra, experimenta uma ligeira sensação de frio.
      A principal matéria-prima usada pelos Espíritos é o fluido vital, emanado (= Exalar dos corpos) em abundância do organismo do médium, mas outras energias também são empregadas, recolhidas que foram de outros mananciais (=fonte) da natureza e de assistentes postados dentro do recinto da sessão.
      Esse fluido, em seu estado original, é sutil e totalmente invisível; mas na medida em que as reações químicas procedem, ele se transforma em uma nuvem opaca (=Que não é transparente), algo vaporosa, podendo transformar-se em névoa cinzenta ou de outras gradações.
      A reação química se processa podendo exalar no ambiente algo semelhante a ozona, um gás incolor, com cheiro estranho de água oxigenada, até o fluido se converter em substâncias condensadas, perfeitamente tangíveis. Outros odores também podem ser identificados, como o de formol ou o de fósforo queimado. Porém a reação química pode também ser completamente inodora.
      A substância gerada durante o processo possibilita sensação tátil (=Que se pode tocar) cujo diâmetro chega ao da medula espinhal de um boi mas lembra os filamentos pegajosos e úmidos de uma teia de aranha (há semelhança com o “cabelo de anjo”, que em ufologia é uma estranha substância fibrosa, de cor branca, e é emanado dos Ufos durante o processo de teleplastia. O Ufo costuma pairar no céu e soltar os “cabelos” que caem por terra e se desfazem com facilidade, e sua coleta é difícil.).
      Nas sessões de materialização, o ectoplasma se revelou sensível à incidência da luz comum, dissolvendo-se rapidamente ao influxo dela. A luz intensa funciona como solvente do fluido vital materializado. Mas o fantasma condensado foi capaz de resistir bem à ação de energias menos intensas, como a luz branca fraca, o vermelho, os raios infravermelho e outras emanações de pouca energia.
      A transposição do fluido do médium para a forma perispiritual da entidade a ser materializada é feita geralmente comas pessoa em estado de letargia. Nessa condição, o copo espiritual do médium se desprende de seu corpo carnal, deixando livre a carne para outra entidade nela “mergulhar”.
      Então,o Espírito errante, após incorporado ao médium, ligar-se ao aparelho mediúnico através de canais sutis. Ao sair do aparelho corporal, ainda permanece a ele vinculado (=unido) através dos canais que ligou, semelhante a condutores sutis, por onde fluirão o ectoplasma que dará origem à forma materializada do Espírito.
      Nessa condição, agora fora do corpo, o Espírito errante, ao sorver (=Beber) o fluido vital mediúnico, sob o comando de outros operadores da esfera espiritual, envolve-se nessa química sutil e, por sua vontade, provoca nela uma transmutação insólita, baixa a vibração do fluido e converte as partículas-troncos, por assim dizer, altamente moldáveis pelo pensamento, em forma molecular tangível, similar (= semelhante) à de seu próprio corpo perispiritual. Surge então o simulacro condensado (=cópia reduzida), filho do aparelho mediúnico, forma efêmera (=De pouca duração) com todas as características corporais já descritas.
      Contudo, ao término da sessão de ectoplasmia, o farto material retirado do médium precisa lhe ser restituído de modo adequado, sob pena de graves conseqüências.
      Na dissolução (=extinção) da forma condensada, operação realizada com cuidado pela espiritualidade superior, o ectoplasma deve retornar ao corpo do médium por um processo similar (=semelhante) inverso, na mesma quantidade extraída e no estado puro original, para dar ao corpo a mesma vitalidade de antes, e não contaminá-lo com elementos do astral, que poderiam atacar o corpo com infecções, caso lhe fossem transferidos. A baixa resistência do organismo poderia redundar(=resultar)em caso fatal. Os Espíritos responsáveis pela ectoplasmia encarregam-se de fazer a operação completa, de modo a garantir a total integridade do médium.
      Feita a restituição do fluido, eventuais resíduos das reações químicas são aproveitados pela espiritualidade na geração de outras substâncias, como fragrâncias aromáticas no ambiente, ou fertilizantes espalhados na terra. E tudo volta ao que era antes, sem deixar vestígio da materialização efetuada.
      O fenômeno de ectoplasmia não está limitado a moldar somente o perispírito humano. Os espíritos podem promover também a moldagem instantânea de outros seres do além-vida, como animais mamíferos, aves, peixes, insetos, plantas e outros.
      Cada caso de materialização requer o emprego de técnica adequada. Os fluidos usados para isso variam segundo cada espécie de vida. Substâncias físicas existentes na Terra, como a linfa, o sangue, o leite, os espermas, os óvulos dos mamíferos, os ovos das aves, as ovas dos peixes, os casulos, as seivas vegetais, os extratos minerais quando enobrecidos de microorganismos pelo Espírito motor, estão todos eles impregnados (=enchidos) de força vital própria, partículas de energia sempre necessárias à produção dos vários tipos de fenômenos físicos.

      Teoria da massa espiritualizada – é uma transmutação insólita de barreiras físicas onde os corpos vivos e os objetos sólidos podem ser levados a longas distâncias por seres inteligentes de outras esferas além da Terra.. Precisamos considerar que todas as coisas físicas são compostas por moléculas. As moléculas formam a massa rígida da matéria. Essa massa, sob ação dos Espíritos, pode ser espiritualizada; ou seja, a estruturação de suas moléculas pode sofrer um deslocamento intenso, de modo a ampliar os espaços intramoleculares. As moléculas (=menor porção de um corpo que pode existir em estado livre sem perder as propriedades da substância originária), ao se afastarem umas das outros, abrem espaços ente si e aumentam de tamanho. Nessa condição, um objeto deslocado, com as moléculas assim dissociadas, penetraria através das paredes e as ultrapassaria com facilidade.
      O processo de expansão da massa consiste em o Espírito aplicar na matéria um fluido próprio, de natureza extrafísica. Sob ação desse fluido espiritual, a massa se dilata e aumenta sua estrutura, prolonga seus espaços internos e abandona o estado sólido, sem perder as características originais. Elevada ao estado etéreo, a massa assume um ponto de máxima difusão (=espalhamento), um estado de fluido ampliado que se espalha em proporções enormes. Nesse estado, amplamente difuso, ela se infiltra no espaço intramolecular das barreiras sólidas. Dessa forma consegue ultrapassar paredes e qualquer obstáculo físico, podendo ser transportada a longas distâncias. Embora em estado difuso, suas partículas componentes formam feixes, mantendo uma trama fluídica com a mesma forma de antes, ou seja, um duplo etéreo equivalente ao objeto físico original.
      A essa forma etérea do objeto inerte, algo semelhante ao perispírito das formas vivas (modelo organizador biológico) chamamos aqui de campo organizador molecular. Trata-se de um arquétipo (=Modelo ideal) sutil (=delicado), sob ação do Espírito motor, diminui os espaços intramoleculares por contração (=Redução) das partículas, aglomera-se em uma metamorfose (=Mudança de uma fôrma em outra) indescritível e volta a ser o que era tamanho a mesma forma física anterior.

      Processo da geração humana partindo de uma célula-tronco – essa minúscula célula, encerrada na câmara de gestação, desenvolve-se passo a passo, até autoformatar-se em ser humano completo, cuja aparência ao nascer nada tem que ver com aquela pequena forma inicial de quando era uma célula-tronco. Essa célula se multiplica, transformando-se e dá origem a vários tecidos de linhagens diferentes, conformando, pouco a pouco, todos os órgãos e sistemas do corpo.
      Algo semelhante a isso acontece com as partículas-tronco, fluidos sutis existentes no material genético coletado pelas entidades (principalmente do tipo cinza), seja esse material colhido de vegetais, de animais ou de seres humanos. Elas são as células-tronco em forma de energia genuína, com a qual tudo se forma em uma existência apenas temporária.

      Materialização de alienígenas – a resposta é complexa porque é preciso considerar a existência de diversos tipos alienígenas, cada qual com sua evolução específica e que existem inúmeras dimensões nas profundezas etéreas do cosmo mas aqui, no enfoque (=Modo de entender), mostraremos certa generalização (=Tornar geral).
      Lembrando que é necessário autorização de uma hierarquia superior que determina o tempo de materialização. Assim sendo, espíritos de menor grau somente podem realizar a ectoplasmia quando autorizados por outros de maior hierarquia. E, para realização dela, os médiuns e assistentes do evento são selecionados com rigor, e não são admitidos atos de inferioridade para obtenção de fluidos. Não há mutilação nem morte de animais, pois os Espíritos superiores têm grande respeito à vida. Mas é preciso considerar, também, que outras civilizações do espaço, diferentes das dos cinzas, operam grandes tecnologias no mundo extrafísico para realizarem a materialização.
      Agora, a teleplastia do ser alienígena se dá com essas partículas sutis especializadas, unidades funcionais que vibram em dimensão superior daquela das células. A nave alienígena, qual câmara de metamorfose, converte as partículas-tronco e plastifica o corpo ultrafísico da entidade, materializando-o para operar na crosta por tempo curto e com certas perdas funcionais.
      Dentro do Ufo existem condições engenhosas para se realizar essa operação mesmo durante a luz do dia, ainda que de modo relativo, porque todo fluido vital é sensível a certos tipos de radiação (=Transmissão de energia pelo espaço), a qual atua sobre ele como solvente (=Substância que dissolver outras).
      A teleplastia da nave, a seu turno, ou seja, a materialização do Ufo no ambiente terrestre, é um fenômeno de contato produzido pelo alienígena. A nave tem em seu interior aparelhos conversores (=alternador, revezador de corrente) que se utilizam de um substrato (=O que serve de base a um fenômeno) eterizado (=delicado), de partículas extrafísicas, previamente extraídas da natureza terrestre, para transmutar (=Transformar) o engenho em substância sólida. Esse substrato quando expandido pelo engenho, conforma uma nuvem incomum, cujas partículas sutis envolvem a nave, provocando-lhe uma transmutação insólita (=Que não acontece habitualmente) , uma queda quântica (=Quantidade determinada de energia)em direção ao átomo, e convertem a nave sutil em similar (=semelhante) físico de matéria terrestre.
      Em um repente surge o engenho materializado, resistente à luz de modo relativo, conforme demonstram as aparições físicas, que se dão na maior parte à noite, em condição de luminosidade na qual o substrato (=serve de base a um fenômeno) da teleplastia é mais resistente.
      Em termos simples, exceção feia à nave-mãe, que opera de modo integral e com dispêndio maior de energia, uma pequena nave materializada é mais um módulo conversor do que um engenho de deslocação, embora possa ser ambos; sem ela, a criatura poderia não voltar à sua dimensão, perecendo (=deixar de existir) na Terra.
      Compreende-se assim que primeiro a nave se prepara, para depois a criatura ser materializada. Sob a atuação do engenho, a entidade pode se desmaterializar com facilidade, mas um acidente com a nave dificultaria o processo de reversão (=Volta) para retorno do alienígena à sua esfera de origem.
      Dessa maneira, em linhas gerais, entende-se o modus operandi dos alienígenas e algumas de suas limitações.
      Processo de materialização – envolve transformação de fluidos em substâncias físicas. E pode gerar resíduos (=restos) que podem até ser encontrados fisicamente (=tipo cabelo de anjo)

      Cabelo de anjo – é uma substância fibrosa , de cor branca, semelhante a uma teia de aranha. È emanado (=origina) dos Ufos durante o processo de teleplastia. O Ufo costuma pairar no céu e soltar os “cabelos”, que caem por terra e se desfazem com facilidade. Em razão desse esvaecer (=desaparecer), a coleta (=recolhimento) torna-se difícil. Mas, sabe-se que há amostras (=provas) colhidas na Nova Zelândia e pesquisadas na Rússia pelo físico L. V. Kirichenko e outros especialistas que revelaram uma substância gelatinosa, com cheiro desagradável e sem radioatividade. Constatou-se que ela não tem origem natural ou artificial, bem como não se assemelha a qualquer material fibroso conhecido. Esse exame mostrou uma substância semelhante ao ectoplasma espiritual, também pesquisado pelos especialistas.
      Contudo, outras amostras colhidas na cidade italiana de Florença, por um estudante de engenharia que teve o cuidado de colocá-las em um tubo de vidro esterilizado, após analisadas pelo Dr. Canneri, diretor do Instituto de Química Analítica da Universidade de Florença, revelaram um material com notável resistência às forças de tração (=puxar.) e torção (=rotação em torno de si mesmo); a análise espectrográfica (= raios coloridos, resultantes da decomposição de uma luz .) denotou boro, silício, cálcio e magnésio; apenas como hipótese, o material estaria classificado na escala microquímica dos vidros c. Esse material seria diferente do obtido nas ectoplasmias, sugerindo procedência (=origem) distinta (= que mostra diferença) do material anterior examinado na Rússia.

      Provas físicas de outras civilizações extraterrestres no Universo tridimensional –
      São evidências (=comprovações) concretas do fenômeno Ufo mostrando que efeitos físicos e resíduos (=restos) podem ser obtidos durante o processo de teleplastia, no qual as reações da química sutil se fazem presente na densidade terrestre.
      – os cabelos de anjo;
      – as sinalizações nas telas de radar;
      – o exame do espectro luminoso tirado dos filmes (análise molecular);
      – as fotografias tiradas;
      – As marcas deixadas no chão;
      – os sinais radioativos;
      – etc.

      Conclusão – o fenômeno Ufo, não se trata de seres e coisas tridimensionais que se fazem invisíveis em algum ponto do espaço para se tornarem sólidas depois na Terra, mas sim de seres e coisas de outras dimensões do espaço-tempo que se tornam temporariamente sólidas para operarem na densidade terrestre.
      Muitos dos objetos voadores que aportam (=chegam) à Terra são manifestações dessas entidades de outras dimensões que aqui chegam em visita.
      São seres inteligentes vindos de esferas menos materiais, de universos paralelos, entidades diferente do círculo espiritual terrestre, que se fazem presentes na crosta com seus Ufos, mostrando sua existência ao homem num fenômeno de contato.
      A humanidade ainda não aprendeu a se comunicar com essas entidades. As limitações científicas do homem, suas fobias (=medos) e seus preconceitos culturais ainda constituem barreiras que impedem a comunicação natural. No futuro, sem tempo marcado (=quando houver amadurecimento cultural, psicológico), ela será realizada, (por canais mentais ou por tecnologia). A própria entidade se comunicará e dirá por si só a que veio.

      Metafanismo – é um termo genérico empregado para definir o aparecimento e o desaparecimento supranormal de coisas ou de indivíduos definindo um evento de criação paranormal e não um fenômeno de transporte daquilo já existente em outros locais do mundo físico.
      Durante o fenômeno de ectoplasmia, roupas e objetos usados pela entidade espiritual podem ser materializados do nada através do processo de metafanismo. Mas o comum é que esses objetos sejam apenas transportados pelo Espírito, que os retira de um local e os coloca no recinto do evento (-Acontecimento), por meio de um hiperespaço, onde a entidade a ser materializada toma posse deles para compor (=formar) a indumentária (=roupa, traje).
      A essa teleportação é dado o nome de apport, ou seja, objetos transportados de fora para dentro de um local fechado.
      Podemos admitir que objetos ou seres fora do nosso espaço, poderiam sair de um local fechado e entrar em outro, levados a transporte através de uma quarta dimensão de espaço, sem desintegração (=separação dos elementos constitutivos de um corpo) alguma da matéria, como se tivessem entrado em um portal conversor (=alternador de corrente).
      No mundo de três dimensões (=comprimento, largura, altura) uma reta representa a distância entre dois pontos; saindo de um ponto para se chegar a outro, teríamos de percorrer a reta inteira.. Em um mundo de quatro dimensões isso não aconteceria; os pontos extremos dessa reta se curvariam, formando uma espécie de arco, como uma “alça de xícara”, permitindo assim a passagem de um extremo a outro somente ao dar um pulo na alça.
      O portal conversor seria o vazio da “alça da xícara”, funcionaria como um canal de ligação entre a terceira e a quarta dimensão. Um corpo material, envolvido em um turbilhão (=turbilhão, vórtice) de fluidos especiais, sofreria no portal uma alteração rara e passaria à outra dimensão, podendo dali voltar após um lapso (=espaço) de tempo.
      A teoria do portal conversor pode ser comparada à teoria dos buracos de minhoca, onde, em vez de estar postado na terra ele estaria no ar. E por esse portal seria possível entrar em outra dimensão, viajar por fora do nosso espaço quase sem gastar tempo e reentrar na Terra em outro sítio (=local, lugar).
      Observe que uma minhoca cava um orifício (=passagem estreita) na terra, adentra nela cada vez mais e desaparece completamente da nossa visão; ela viaja descrevendo uma alça e volta à superfície em outro local. Assim, a minhoca viajou por dentro da terra, sem ser notada por nós, fez lá uma curva e voltou à terra, em outro sítio. Quem não viu o trânsito (=movimento) da minhoca, pode compreender que ela viajou e saiu em local diferente. Assim também aconteceria no caso de uma porta para outra dimensão.

      Nos tempos atuais, alguns físicos estão divulgando a existência de dimensões alternativas, outros espaços paralelos ao nosso onde a matéria vibraria com mais intensidade, formando outros mundos. A Terra e os orbes (=mundo) do universo físico estão todos postados (=colocados) em espaço de três dimensões. Além dele, a ciência fala hoje na existência de outros com várias gradações (=progressão por graus sucessivos), chegando a onze dimensões, ou até mais. Nessas dimensões, outros mundos de matéria rarefeita poderiam ser acessados através de portais de ligação.
      A teoria dos buracos de minhoca está em sintonia com as experiências feitas pelo cientista alemão J.K. Friedrich Zöllner. Que constatou em laboratório a teleportação de objetos sólidos, bem com a materialização de Espíritos, e concluiu que tais ocorrências provam a conexão (=ligação) entre este mundo de três dimensões e um outro, diferente da Terra, postado (=colocado) em uma quarta dimensão de espaço, onde vivem seres inteligentes com capacidade superior à do homem, capazes de operar fenômenos insólitos (=desacostumado) no ambiente da Terra.

      A quarta dimensão – diz Zöllner em seu livro Provas Científicas da Sobrevivência (física transcendental): a desmaterialização de seres e objetos funcionais, provocaria um espalhamento enorme de energias, com difícil recomposição de cada uma delas para voltar tudo ao estado original das coisas, por isso, seres inteligentes se utilizariam de uma quarta dimensão de espaço (e talvez de outras), para mergulharem corpos sólidos (em um portal de conversão) e transportá-los (através do hiperespaço), sem desmaterialização nenhuma, até o local desejado por eles. Ou seja, na quarta dimensão do espaço-tempo, a matéria passaria através da matéria sem se desmaterializar pois o nosso espaço está embebido em outro espaço de maior número de dimensões, compondo tudo um hiperespaço onde seres de matéria mais refinada são capazes de transitar e provocar fenômenos que, atualmente já são constatados em laboratórios.

      ET de antimatéria – é um ser extrafísico que vive em realidade diferente da terrestre. É uma figura espiritual intrusa, por assim dizer, que tem objetivo de pesquisa, mas perturba e não dever ser compactuada em nada do que faz, mas sim repelida nas investidas por não trazer nada de bom ao homem.
      Essa entidade, constrangida (=impedida) por outros povos do espaço, mais evoluído do que ela na ciência e na moral, está compelida (=obrigada) ) a alterar seu rumo evolutivo em direção aos verdadeiros valores que enobrecem o espírito. Por isso está cerceada (=limitada) em suas ações por barreiras intransponíveis, as quais não pode ultrapassar na Terra.

      Bolas de luz – são chamadas também de sondas, porque aparentam ser artefatos lançados pela nave, monitorados a distância, por uma espécie de controle remoto, com o objetivo de transmitir à nave principal informações do local pesquisado e dos seres vivos ali existentes.

      Intruso alienígena -– desde a antiguidade Espíritos inferiores se valem da oferenda de animais para se ligarem à matéria. O sangue, as vísceras e o material genético são fartos em fluido vital. Com esse fluido, aqueles Espíritos se ligam novamente às coisas deste mundo, para concretizarem seus desejos.
      De modo similar (=semelhante), o intruso alienígena, cuja moral ainda é precária (=frágil), manipula o fluido animal, a este junta outros fluidos de mananciais (=origens) diferentes e um pouco de força vital oriunda (=originária) do contatado, elaborando assim um substrato (=fôrma a parte essencial do ser), com o qual processa a química da teleplastia, para operar na Terra materializado e fazer os experimentos que deseja.
      Dessa maneira, compreende-se o porquê desse intruso alienígena colher material genético em abundância, tanto de animais quanto de seres humanos. È que o processo de teleplastia empregado por ele assim o exige.
      Embora o intruso faça com o material coletado outras experiências, ainda assim a maior quantidade da coleta está destinada à teleplastia de seu próprio corpo e à de outros servidores inteligentes de sua esfera, para ambos, a seu comando, operarem na terra obedecendo a um propósito planejado
      O intruso conhecido pelo nome de cinza, está encarnado em outras esferas das profundezas celestes. E em seus afazeres científicos, procede com pouco sentimento de alma, toda vez que deseja fazer do ser humano o objeto de suas experiências. Pouco conhece dos mestres religiosos da Terra, aos quais não devota sentimento nenhum. Reconhece Deus como autoridade máxima universal, contudo quando empenhado (=interessado) na realização de causas própria é pouco sensível ao ato humano da prece.
      Embora esteja bem desenvolvido no aspecto científico, em moral ainda é fraco, pois coloca seu próprio bem-estar acima dos preceitos morais e interfere negativamente na vida de outros, por isso pode ser comparado na Terra ao materialista destituído (impedido) de senso ético.
      Assim, o ser alienígena tem interesse em estudar o comportamento dos animais, a anatomia, os órgãos internos, os humores corporais, o sistema reprodutor, etc. Os animais sacrificados são necessários às suas experiências.
      Esclarecimento do mentor espiritual da obra: o alienígena intruso, em épocas passadas, no seu mundo de origem teve a constituição corporal afetada (=atingidas) por partículas radioativas, em razão de experiências mal conduzidas. O caminho de reconstrução genética que empreende, para restaurar a própria máquina corporal em desalinho (=desarranjo), consiste em coletar e estudar o DNA humano para converter uma cópia dele em matéria sutil de outra dimensão. Embora seja repelido por entidades mais evoluídas que ele, é com esse propósito que realiza sua ações neste planeta.
      Nos contatos efetuados (=realizados), pelos motivos antiéticos que ele mesmo forneceu, o alienígena tipo cinza sofre sérias restrições de quem o contatou (=entrou em contato).. Com efeito, por não trazer nada de bom, não deve ser compactuado (=Pôr-se de acordo) em suas ações.
      É preciso ter em ente, no entanto, que, na humanidade, certos grupos custam a sentir as influências externas. Alguns formam seita e consideram os Ufos como sinais de uma nova religião na Terra. Apóiam-se na bíblia, nos vestígios de civilizações antigas e erguem seus altares de ilusão, divulgando filosofia enganosa e fazendo estranhas profecias.

      Há de se ter em mente que a palavra irmão pode significar uma união no mesmo Pai, um filho de Deus, como nós; mas ela não é sinônimo de fraternidade, como alguns místicos querem sugerir (=inspirar). O místico pode exagerar no conceito que faz do amor, considerando apenas o ideal dele próprio, e não o fato como se apresenta. Quem age assim despreza a razão e decai (=cair num estado inferior), culminando por sofrer as conseqüências.
      A fraternidade é uma qualidade do espírito e precisa ser demonstrada com atos. E o alienígena cinza não demonstra isto. Mas não são poucos os que creditam que esses alienígenas sejam os irmãos espaciais, sinônimo de fraternidade, de evolução angelical: seres capazes de resolver todos os problemas humanos.
      Com lucidez de raciocínio, é preciso observar que essa crença é apenas um desvio do foco principal da questão. Esse foco deve estar centrado na ciência, para que o mal não seja perpetuado (=fazer durar pra sempre) e para entendimento mais saudável do fenômeno invisível, sem as idéias fixas e preconcebidas do fanatismo. È a entidade que deve dizer por si só a que veio, e não outros falarem por ela. Quem assim procede (=agir) não tem legitimidade para ser levado a sério.
      A Ufologia não é, nem deve ser, a versão cósmica de culto esotérico nenhum. O estudo científico da casuística é o principal fator para se tirar conclusões. E os ufólogos, em geral, devem observar o fenômeno de maneira apenas científica, mesmo tendo cada qual sua filosofia e sua religião. A Parapsicologia é uma ciência que deve ser considerada, pois é providência criteriosa àquele que quiser tentar entender os Ufos de modo científico
      .É necessário ressaltar (=destacar) que nem todos dão mostras de serem hostis. O tipo hostil, embora tenha substancial avanço científico, ainda opera com limitação e é deveras imperfeito no aspecto moral. Mesmo que as defesas contra ele sejam convencionais, o melhor sempre é manter uma atmosfera de calma e postura moral elevada, fazer o contato e esperar que ele mesmo informe a que veio. As ações posteriores (=que vem depois na ordem do tempo) seriam decorrentes desse contato inicial.

      Hipótese ultra terrestre – é aquela em que os seres inteligentes seriam oriundos (=originários) de um universo paralelo onde uma outra dimensão do espaço-tempo.
      É ultra porque define seres alienígenas que estariam além da matéria física, e que de alguma maneira desconhecida, talvez até por evolução natural, superaram a densa materialidade dos corpos físicos para formarem um outro corpo mais sutil.
      A hipótese ultra terrestre considera a vinda à Terra de uma outra civilização de seres inteligentes do espaço, originários de uma dimensão além da nossa; seres incomuns, formados de matéria sutil, que está além da Física, postada no mundo invisível das partículas. O fenômeno ultra terrestre é chamado em Ufologia de teoria dimensionalista. O espiritismo chama isso de mundo menos material. E em razão dessa imaterialidade aparente, há muitas conexões entre Ufologia e Espiritismo.A maior de todas as conexões (=ligação de uma coisa com outra) é que ambos os fenômenos, espírita e ufológico, procedem de um mundo invisível e têm como protagonistas (=faz o principal papel) seres inteligentes. Assim, casos como os de aparição, materialização, transporte, levitação, telepatia, e ainda outros, são comuns a ambos. Porém o mais intrigante é que em meio aos fenômenos comuns existem os destoantes (=discordante), ocorrências novas, não tratadas na época da Codificação Espírita, como os discos voadores, as abduções físicas e as experiências alienígenas.
      Vejamos alguns detalhes: as testemunhas falam em um primeiro momento que o Ufo e uma coisa física, concreta, logo em seguida falam que o Ufo é algo totalmente estrafísico, imaterial. Ou seja, o que era material, de repente some. O objeto que estava no céu e que era metálico há pouco, em um piscar de olhos passa a ser luminoso e faiscante. O que era inicialmente sólido e consistente, misteriosamente desaparece de um lugar e reaparece de imediato em outro. O que era visível nos aparelhos de radar, some de modo instantâneo, embora o objeto continue visível no ar. O que era algo objetivo (=existe independentemente do pensamento) torna-se subjetivo (=se passa no íntimo do sujeito pensante). O que voava, não voa mais, simplesmente aparece e desaparece, tendo seres vivos, inteligentes e sólidos em seu interior.
      Algumas testemunhas dizem que os Ufos mergulham na água; outras, que eles afundam no solo, que são engolidos em pleno vôo por outros objetos ainda maiores, que aparecem de forma brusca, depois mudam a luminosidade e ficam nebulosos, ou são envolvidos por uma espécie de névoa, e que esta parece convertê-los em outra substância que os faz desaparecer misteriosamente, sumindo no mesmo nada de onde vieram.
      Os operadores dos Ufos, que são descritos pelas testemunhas como sendo criaturas físicas e concretas, de modo estranho parecem respirar a nossa atmosfera, a qual deveria ser diferente da deles, mas se adaptam a ela com incrível facilidade e conseguem respirar na terra facilmente, assim como nós, sem traje espacial. O mais estranho é que, em uma atitude incomum, de repente param de respirar, comunicam-se por telepatia, passam a volitar (=esvoaçar-se) e desaparecem no ar misteriosamente.
      As aparições demonstram que os ultraterrestres podem se manifestar materializados, em campo aberto, com seus objetos voadores. Certamente não poderiam fazê-lo de maneira brusca, materializando a aeronave no centro de uma cidade grande, porque ali ficariam vulneráveis, haveria descontrole humano e uma convulsão (=agitação) geral de medo, com risco ainda maior para eles próprios
      Na descrição insólita (=que não acontece habitualmente), as lei da nossa física ficam subjugadas (=dominar) por completo, e os Ufos parecem mergulhar e emergir de um mundo totalmente desconhecido do nosso, porém, ainda assim, um mundo existente com certeza. Um mundo novo, desconhecido, misterioso, como se fosse constituído de matéria invisível, de antimatéria pelas avessas; para nós, seria uma não-localidade onde vivem seres de outra natureza, menos material que a nossa, como nos ensina a Doutrina Espírita.
      Trata-se, ao menos, de uma composição física subatômica, ainda desconhecida da nossa ciência, talvez composta por feixes de ondas e partículas, as quais formariam objetos e seres vivos, todos eles em outra vibração da matéria, muito além da nossa, que precisaria ao menos ser colocada em teoria para tentarmos visualizar com raciocínio lógico essa vida inteligente insólita (=Que não acontece habitualmente), da qual o fenômeno Ufo procede e nos dá mostras de existência.
      As aparições ufológicas de entidades visitantes (não intrusas) parecem indicar preparação gradativa para contatos mais efetivos com o homem no futuro, sem tempo marcado, quando a humanidade estiver mais preparada para isso. Até que um dia, no porvir, esses contatos poderão ser regulares, assim como hoje o são os contatos de médiuns com Espíritos, fatos que no passado causavam tanto temor e desconforto aos homens, mas que hoje são corriqueiros nas casas Espíritas.
      Recordaremos aqui um programa de televisão (Pinga Fogo-1971) quando Chico Xavier foi indagado (=investigado) a respeito do porquê de em 1935 ter anunciado, no livro Cartas de uma Morta, que Marte era habitado, sendo que as sondas americanas (trinta aos depois) haviam comprovado que Marte era deserto igual à Lua. Então, o espírito Emmanuel, presente naquela ocasião, esclareceu dizendo: ‘Precisamos esperar o progresso da ciência na descoberta mais ampla e na definição mais precisa daquilo que chamamos de antimatéria’ – e prosseguiu –‘então nós saberemos que o espaço não está vazio; conquanto as afirmações da ciência e as sondas possam trazer respostas negativas do ponto de vista físico, nós precisamos compreender que a vida se estende em outras dimensões’. Ou seja, a vida se estende no universo profundo. Trata-se de uma vida invisível para nós, na qual o Espírito está ali reencarnado em um corpo, em um aparato (=aparelho) de outra vibração.
      Examinando as obras da Codificação, podemos ver que Kardec registrou nelas um mundo de composição quântica, por assim dizer, de massa diferenciada, composto de várias dimensões,dentre as quais temos: a dimensão do foco inteligente (Espírito), a do molde biológico (perispírito), a do corpo menos material (ultra terrestre), a do corpo material sólido (terrestre e extraterrestre – mundos tridimensionais), a do corpo mais material (semelhante aos cristais), e ainda a de outros mundos paralelos, muito além do raciocínio humano (=dimensões inconcebíveis à ciência do século XIX – época dos estudos feitos por Kardec).
      Os Espíritos ensinaram e Kardec registrou a existência de mundos e de seres inteligentes no cosmo, ambos menos materiais que a Terra e que os seres humanos que a povoam. Uma dimensão menos material, dotada de orbes e de habitantes cuja química da vida, para a criatura emergir, procriar e evoluir, é diferente da nossa, que está baseada no hidrogênio, no oxigênio, no nitrogênio e no carbono.
      Naturalmente que menos material não significa ter menos matéria, mas sim que ela seja de composição leve, sutil, etérea. Citamos, como exemplo, que a abelha tem menos matéria que o pássaro, mas ela não é menos material que ele, porque a matéria de ambos é densa.
      Para entender a expressão menos material, usada pelos Espíritos, é preciso saber que existe uma certa similaridade (=semelhança) entre matéria e energia; uma se transforma na outra. A água se transforma em vapor e o vapor em água; os prótons, os nêutrons e os elétrons, devidamente arranjados, formam o ferro, o carbono e todos os outros elementos da natureza, os quais, por desagregação (=desunião) atômica, também retornam à energia, em um vaivém constante, em forma de onda.
      Portanto, o estado menos material, ensinado pelo Espiritismo, é aquele no qual a matéria se apresenta em estado sutil, com uma vibração intensa de partículas. Um corpo menos material, diferente da carne, com vibração mais intensa, revestiria o perispírito, possibilitando ao foco inteligente viver e evolucionar em matéria bem mais leve do que a carne, em regime de encarnação e desencarnação, por assim dizer..
      A grandeza dos tempos atuais comporta o desenvolvimento de uma ciência magnífica, sem misticismo, corroborada (=adquirir força) pela experiência espírita e aplicada no campo ufológico, uma vez que o Espírito não é oriundo (=originário) desta ou daquela nação, deste ou daquele orbe, mas sim um ser inteligente universal, que para evolucionar (=evoluir) nasce e renasce em mundos físicos, gasosos, nas várias dimensões do espaço-tempo, produzindo engenhos magníficos com as técnicas que desenvolve. Novos tempos, meus amigos, de ciência, não de misticismo, estão apenas começando

      ET de antimatéria – desde meados de século XIX, quando Allan Kardec codificou a Doutrina Espírita, , o conhecimento científico do homem vem prosperando a passos largos, dando-lhe melhores condições de entender o fenômeno invisível..
      No início, o espiritismo fundamentou-se em uma ciência de observação que gerou uma filosofia que transcedia (=ir além dos limites) os fatos dando-lhe uma lógica pois tratava-se de contatos realizados com o mundo dos mortos levando Kardec a considerá-lo uma “religião filosófica” racional. A mística do além vida desintegrou (=alterar), transformando o mundo do além em uma vida paralela à humana, possível de ser conhecida e possibilitando ao espírito a realização de sua evolução em vidas sucessivas ( na Terra ou em outros mundos do infinito).
      Diferente do Espiritismo, a Ufologia não é uma religião (não lida com o mundo dos mortos=seres desencarnados) e pode ser classificada como sendo uma paraciência, que desenvolve estudos para entendimento das manifestações alienígenas, e traz novos conhecimentos, proporcionando ao homem maior evolução.
      Embora os alienígenas possam se materializar e desmaterializar de modo semelhante ao dos Espíritos, surgindo daí a Ufologia mística, tais seres não devem ser cultuados, porque em seu mundo de origem seriam entidades vivas, algo semelhante ao homem na Terra.
      A diferença fundamental entre os alienígenas e o homem é apenas uma questão evolutiva, onde eles estariam à frente da humanidade.
      A Ufologia trata da vida em outros mundos sem restrição (=limitação) nenhuma, não se prendendo a dogmas (=ponto fundamental de doutrina religiosa) ou preconceitos, mostrando que o melhor caminho é o científico.
      A Doutrina Espírita, embora traga em seu conteúdo a existência de vida inteligente em outros orbes, não se prende ao fenômeno Ufo. Os divulgadores do Espiritismo ensinam a existência dessa vida, porém seu propósito não é fornecer detalhes práticos dela.
      Deve-se considerar que existe vida em outra dimensão do espaço-tempo, uma vida menos material (ultraterrestre), e que vai muito além do raciocínio humano.
      O físico Stephen Hawking, autor de O Universo numa Casca de Noz, expõe a existência de onze dimensões e até mais.
      O entendimento dessas dimensões, onde as partículas se aglutinam formando mundos em outra vibração da matéria, dando aos Espíritos a possibilidade de formarem outras composições corpóreas. Onde o espírito invisível encarna num corpo também invisível aos olhos físicos do homem terrestre. É um pouco difícil aceitar esse tipo de composição corporal insólita porque isso implica a quebra de padrões incorporados e a reciclagem de conceitos.
      Os espíritos quando falavam de corpo menos material, existente nos planetas do nosso sistema solar, referiam-se a uma composição corpórea fluídica, corpo em outra vibração da matéria, espécie de eletricidade; corpo de energia, que está além da nossa composição (física) molecular densa
      O mundo invisível é composto de várias dimensões espaço-tempo, povoadas por espíritos errantes (desencarnados) e seres ultraterrestres (de matéria sólida menos densa), que comunicam-se com o homem, porém ele pouco os distingue, podendo haver interpretação errada do sensitivo (não sabe com qual das criaturas o contato foi feito).

      Ultraterrestre (UT) é um ser de matéria invisível aos nossos olhos físicos. É uma criatura fora do planeta Terra, mas um ser de corpo incomum, de corpo menos material que o do homem, como denomina o Espiritismo, uma criatura de natureza extrafísica, invisível ao homem, assim como os Espíritos. Essa criatura é definida como habitante das esferas sutis de outros planetas, como também das profundezas do espaço-tempo, cujo corpo de antimatéria nasce, cresce, se reproduz, envelhece e morre. E vive naquelas esferas evoluindo em um regime de encarnação e desencarnação. (A Gênese:item 8, cap. XIV; Livro dos Espíritos: pergunta 188 – notas de rodapé)
      UT é uma entidade extrafísica de composição sutil, etérea, menos material que a carne, constituído de energia que se converte (=transformar) em matéria. È um ser habitante de outra região do espaço-tempo, de outra realidade dimensional. Comunica-se por telepatia e materializa seu Ufo nos contatos que faz. Essa criatura não é sólida em seu mundo de origem, onde seriam invisíveis ao homem, somente podendo ser vistos por clarividência (=visão clara e penetrante das coisas) mediúnica.
      Contudo entre o UT e o Espírito existem muitas diferenças: o Espírito é apenas um foco inteligente, uma quintessência psíquica, o UT é um organismo formado pelo Espírito, que está ali encarnado, em um corpo mais sutil, em outra vibração de matéria.
      O Espírito incorpora o médium, enquanto o UT não pode fazê-lo porque já possui um corpo e não pode realizar o enquadramento perispiritual necessário à incorporação, não pode produzir fenômenos mediúnicos obtidos (=alcançados) em transe profundo como a psicografia mecânica e a psicofonia.
      O Ut é uma entidade do mundo dos vivos, embora de outra dimensão, é uma criatura que tem ciclo vital; isto é, nasce, cresce, se reproduz, envelhece e morre. Desenlaçado do corpo com a morte, seu Espírito volta a ficar errante e aguarda em um mundo transitório, em colônia espiritual, seu reingresso no mundo corpóreo, pois para progredir o Espírito precisa renascer muitas vezes. O UT evoluciona (=evolui) em sua esfera em um regime de encarnação e desencarnação.
      O contato extra-sensorial do UT com o homem é por meio telepático, ou seja, por transmissão do pensamento.
      Assim como os Espíritos, o UT também produz fenômenos físicos, como telepatia, levitação, efeitos de poltergeist, aparição de formas, sensibilização de gravadores, transporte de objetos e até de seres vivos, como animais e seres humanos.
      O Ut, nas incursões (=viagem através de uma região) que faz à Terra, utiliza-se de engenhos apropriados, os chamados Ufos, objetos capazes de transpor diferentes dimensões de espaço-tempo e de penetrar matérias sólidas. Quando convertido(=transformado) à materialidade, quer o Ufo, quer ele próprio, fica submetido (=controlado) às leis da Física. Pode desmaterializar-se com extrema velocidade. Porém diferente do Espírito, que produz na materialização apenas uma escultura perispiritual, o UT converte nela seu próprio corpo. Por isso, caso penetrado, sua composição íntima é afetada. Em tal condição pode morrer, seja nesta dimensão ou em outra.
      Por ser de natureza extrafísica, ao se converter aqui em matéria similar (=equivalente), perde fluido vital em abundância durante a conversão, sem chance de reposição na Terra, por isso precisa ser rápido naquilo que executa, para voltar à sua forma original e recuperar a força vital perdida, sob pena de perecer facilmente.
      Quando materializado na forma que plasmou, sua espécie é diferente da humana, e suas substâncias genésicas são incompatíveis (= não concorda ) com as da carne, por isso não pode procriar (=dar nascimento) na Terra.
      Há de se considerar que várias civilizações de Uts, aportam à Terra e quanto mais adiantada, menos ela precisa de materializar para fazer algo de bom ao homem. Portanto, somente o fato de haver a materialização já revela certa insuficiência (=falta de poder) da criatura.

      Ufologia científica – estuda os objetos voadores não identificados cujos contatos são feitos por meio de efeitos físicos como: as luzes no céu, o avistamento da nave e o aparecimento do Ufo nas telas de radar.
      Contudo, em meados de 1960, quando a hipótese de vida terrestre foi dada como insustentável, porque se concluiu não ter vida como a da Terra nos demais planetas do sistema solar, a psiquiatria entrou em ação, alterando o rumo das investigações quando, estudando a mente humana, relatavam que os alienígenas faziam contato por telepatia, além de produzirem fenômenos físicos. A NASA estudou com critério essas comunicações, inclusive realizando testes de telepatia com astronautas a bordo de naves espaciais.
      A Força Aérea dos Estados Unidos conduziu o Projeto Livro Azul, onde os casos de encontros com alienígenas eram colocados em separado, e classificado de Arquivo L (L de lunático), mas que a psiquiatria acabou por oferecer mudanças de postura.
      Experiências realizadas que produziam contato alienígena:
      – telepatia; – desdobramento da alma; – interação da alma com seres de outra dimensão

      Skywatchs –
      Eram realizados em local aberto, em pontos sugestivos da aparições, como planícies, campos, encostas, montes, bosques, florestas e acampamentos à beira-mar. Só que a Ufologia mística passou a realizar sessões de canalizações (= regular e melhorar o curso) em ambientes fechados, muitas vezes no aconchego do lar, para depois, com a indicação das entidades, sair a campo e realizar os skywatchs na hora marcada pelas criaturas, onde haveria de se ter a prova prática, com a nave se apresentando em plena operação. Essas demonstrações eram raras, porém, quando a prova aparecia, ela era tão fantástica que o trabalho se tornava compensador.
      Era fascinante saber que outras civilizações cósmicas aportavam ao planeta humano sem necessidade nenhuma de contato oficial, e que grupos selecionados tinham importante missão a cumprir: aprimorar a moral e sensibilizar os demais quanto à vida em outros orbes do infinito.

      Canalização – é um processo de receber mensagens vindas de uma realidade diferente da vida física terrestre. Na essência não se trata de um animismo humano, fruto do consciente ou do inconsciente da própria pessoa, nem tampouco da comunicação de uma pessoa viva com outra de mesma natureza, mas sim de uma mensagem vinda de ambiente externo à mente humana, originária de uma entidade pensante, de nível inteligente igual ao superior ao homem.
      Canalizar é recepcionar (=receber) e interagir (=agir mutuamente) com um pensamento inteligente de natureza extrafísica, que poderia vir de Deus, de potências criadoras, de hostes angélicas, de mestres venerados, de seres ultraterrestres espalhados no cosmo, e de Espíritos do próprio ambiente terrestre ou de qualquer outra parte. Todos eles poderiam sensibilizar o cérebro humano.
      Não existe diferença entre canalização e mediunidade, apenas o entendimento de ambas varia segundo cada cultura. E é um engano pensar que a mediunidade seja apenas o meio de contato do homem com o mundo dos mortos, quer da Terra, quer de outros planetas,porque a mediunidade é também meio de comunicação do homem com o mundo dos seres encarnados em esferas menos materiais, seres vivos de outras dimensões, embora nesse intercâmbio não haja incorporação e escrita mecânica, mas sim telepatia, escrita intuitiva e outros tipos de recepção mediúnica.
      Portanto, o médium é o canal que recepciona (=recebe) pensamentos projetados (=lançados) de uma inteligência postada (=colocada num lugar) em um mundo extrafísico, seja esse mundo de vivos ou de mortos (desencarnados). É o médium que possibilita o relacionamento entre seres de naturezas diferentes.
      A prática da canalização deve ser realizada durante um skywatch, porque a prova com a nave só pode ser dada a céu aberto, distantes da cidade e com ampla visão dos céus. A vigília celeste costuma ter início ao cair da noite e prossegue até as primeiras horas da madrugada. O ponto de observação mais sugestivo é aquele onde os Ufos já tenham sido vistos.
      A canalização tem início com os participantes sentados em posição de semilotus e formando um círculo. Então o líder comanda uma sessão de relaxamento, para promover a serenidade e o autocontrole dos participantes. Depois, o canal (médium) faz uma evocação para estabelecer contato. As informações telepáticas vindas pelo canal ditam os próximos passos do grupo. Certas pessoas são convidadas a ficar no sítio (=lugar) em que estão para observar os céus, enquanto outras podem ser deslocadas aos arredores para novas experiências; porém, neste caso, o deslocamento fica sempre delimitado à área próxima ao sítio central, onde a prudência (=virtude que faz evitar os perigos) recomenda não se correr riscos.
      Se durante o evento não houver a presença de luzes no céu ou manifestações físicas com a nave, a canalização pode ser considerada infrutífera (=não produziu resultado ).. Outros fenômenos físicos, sem a presença da nave, não caracterizam a presença de alienígenas, mas sim a de Espíritos (desencarnados). Quem assim não considera pode interpretar de modo errado a origem dos fenômenos.
      Os alienígenas podem manipular (=misturar) fluidos e causar transmutação (=transformação de um elemento em outro) insólita (=que não acontece habitualmente) nas partículas, convertendo-as em um símile (=semelhança entre coisas diferentes) da matéria terrestre. Assim eles se fazem concretos e visíveis. Mas podem também produzir fenômenos de transporte, movimentando inclusive os seres humanos de um local para outro, em curto lapso ou espaço de tempo.
      Um corpo vivo, envolvido em um manto de ectoplasma, pode ser isolado da gravidade, tornar-se invisível e ser transportado a outro local, quer seja à nave (onde não haverá dificuldade de entendimento), quer seja a outra dimensão, onde um vórtice vibratório, projetado da nave com técnicas ainda inconcebíveis, constituído de fluido luminoso, forma um portal de entrada à outra dimensão do espaço-tempo. E, qual bolha de ectoplasma fluorescente (=emite luz), o vórtice (=redemoinho) envolve o encarnado, transmuta (=muda) relativamente seu corpo, sem desmaterializá-lo, e o mergulha em um universo paralelo, através de um buraco de minhoca, para, numa viagem insólita (=que não acontece habitualmente), transportá-lo a um mundo menos material do que a Terra, postado em outra dimensão, local incomum, onde vivem seres de corpos mais sutis. Ali, há certa interação (=influência recíproca) para troca de experiências, contudo o corpo humano naquela dimensão fica reduzido a uma espécie de agênere (=aparição tangível, um ser não gerado naquela esfera), por assim dizer.
      Os alienígenas podem também manipular fluidos e ajudar o médium na liberação parcial da própria alma, facilitando um certo desdobramento, equivalente ao estado de sonambulismo mediúnico. Assim, o sensitivo tem a visão ampliada, vê o mundo menos material que o rodeia, ouve,sente, e percebe muito além dos sentidos normais. Com a alma livre do corpo, passa a viver temporariamente uma outra realidade. No mais das vezes, o desdobramento é uma prática muito mais comum do que se imagina.
      Na Terra, em estado sonambúlico, o encarnado continua se comunicando com seus congêneres e outras moradas do infinito ou com Espíritos do próprio ambiente terrestre.

      ABDUÇÃO – o corpo físico é levado à nave ou a outra dimensão.Uma civilização verdadeiramente adiantada não pode praticar atos de abdução, sem ferir sua própria moral. E quem pratica não pode ser adiantado em sabedoria, pois se o fosse dela não faria uso para obter novos conhecimentos; já os teria.
      Os alienígenas chamados cinzas procuram fazer experiências científicas, apesar da limitações para realizar suas atividades. Na desmaterialização das substâncias vivas colhidas por ele em organismos terrestres, a perda de fluido vital delas o impede de obter um símile humano ou uma criatura híbrida (=resultante do cruzamento de espécies diferentes) em seu mundo de origem. Portanto, a perda de fluido vital no processo implica morte na organização física da vida. Seu interesse está em converter (=transformar) o código genético humano em matéria de sua dimensão, com desespero de causa para melhorar o próprio corpo em decadência (=começo da ruína).
      O alienígena que pratica abdução não poderia ter semeado a vida na Terra, porque um conhecimento científico maior não significa uma sabedoria plena, capaz de realizar façanha tão grandiosa.
      Embora sua ciência esteja mais avançada que a terrestre, seu progresso moral não se verificou, pois, nos contatos efetuados são relatadas estranhas experiências por seres humanos.
      Pessoas supostamente abduzidas têm relatado que lhes parece faltar algo na memória, como se houvesse se formado em suas mentes uma estranha lacuna, um vazio, um lapso(=perda) de tempo perdido que pode variar desde alguns minutos até muitas horas.
      Em seu íntimo, a pessoas tem a impressão de que durante esse tempo vazio algo de muito importante lhe aconteceu, mas não pode lembrar exatamente o que. Parece que a memória, de alguma maneira, foi bloqueada (=cercada), para nada de dentro vir à tona. Essa carga escondida pode ficar espremendo o cérebro para sair, sem encontrar passagem. O incômodo pode aumentar, chegando ao estado mórbido (=prejudicial à saúde). Aí então sobrevêm a ansiedade, a irritação, a insônia, a depressão, a úlcera e outros distúrbios (=inquietude).
      Durante o sono, os pesadelos podem sobrevir, tornando-se repetidos. Nessa condição, a pessoa parece reviver uma situação de contato alienígena, mas não consegue lembrar o conteúdo exato do sonho. No mais das vezes, avulta diante de si uma criatura hostil, de aparência humanóide (=Ser que tem fôrma e características aprox. humanas), praticando coisas nocivas, sem muita nitidez (=clareza).
      De modo geral, a Ufologia tende a considerar que após a abdução os alienígenas procuram resguardar (=defender) seus interesses, provocando no abduzido uma forma de amnésia (=Diminuição ou perda total da memória) seletiva.
      Um médico psiquiatra pode realizar uma regressão hipnótica para recordação desse tempo perdido. Ou através de um processo psicoterapêutico normal realizado durante um tempo mais estendido cujo objetivo é abrir a porta da mente e deixar vir à tona a amnésia represada nas camadas profundas. Daquilo que vem à tona, o médico analisa e verifica a conveniência de liberar a recordação ao paciente. Por isso, as sessões são gravadas, para darem ao médico condições de tratar o caso, a posterior, na hora em que a gravação for ouvida..

      Modo humano de abordar o fenômeno Ufo – Salvo algumas exceções, há um padrão de comportamento bem definido, que as próprias testemunhas se encarregam de relatar.
      Enquanto uma luz se apresenta no céu sugerindo ali a existência de um objeto voador não identificado, tal fato é aceito sem dificuldade por qualquer pessoa. Para a maioria das pessoas, o fenômeno é muito simpático, agradável mesmo de ser visto.
      A história dos Ufos tem demonstrado que quando o objeto deixa de ser uma simples luz e passa a ser uma nave estruturada, a vontade humana de ver e admirar o Ufo sofre intensa modificação. A situação se altera ainda mais quando o ser humano chega a ver o alienígena diante de si. Nesse ponto, as coisas mudam por completo.
      Quanto mais incomum for a situação e quanto mais exótica for a criatura observada, tanto mais os padrões humanos de análise ficarão obsoletos (=fora de uso). Nada mais se encaixa nos padrões preestabelecidos na cultura humana. E o homem que não viu o fenômeno se sente impossibilitado de aceitá-lo como verdadeiro. Os fatos não se encaixam nos valores da ciência e da religião dominante. Em razão disso, o tema assume um caráter de ficção científica. A testemunha é tida como portadora de uma ilusão, de uma insanidade ou de uma impostura. Esse é o rótulo estampado pelos

      Teoria do Universo Profundo – o Espiritismo, desde 1857, tem informado ao homem que o Universo é formado por matéria que escapa à percepção (=reconhecimento) dos instrumentos científicos e que todos os orbes do Universo são habitados. No programa Pinga Fogo (1971) Chico Xavier foi indagado a respeito do porquê de em 1935 ter anunciado no livro Cartas de uma Morta, que Marte era habitado, sendo que sondas americanas (30 anos depois) haviam comprovado que Marte era deserto igual a Lua. Então, o espírito de Emmanuel, esclareceu que “era necessário esperar o progresso da ciência na descoberta de mais ampla e na definição mais precisa daquilo que chamamos de ‘antimatéria’ – e prosseguiu – então nós sabemos que o espaço não está vazio e que a vida se estende em outras dimensões’, ou seja, a vida se estende no Universo Profundo, tratando-se de uma vida invisível para nós, na qual o Espírito ali reencarnado em um corpo, em um aparato de outra vibração, ao qual damos o nome de fenômeno ultraterrestre.
      Kardec registrou a existência de mundos e de seres inteligentes no cosmo, ambos menos materiais que a terra e que os seres humanos que a povoam. Uma dimensão menos material, dotada de orbes e de habitantes cuja química da vida, para a criatura evoluir, é diferente da nossa que está baseada no hidrogênio, no oxigênio, no nitrogênio e no carbono. E nesses mundos menos materiais os Espíritos encarnam também menos materiais para evoluir.
      Um corpo menos material tem uma matéria de composição leve, sutil, etérea. Mas nem por isso tem menos matéria.
      Por exemplo: a abelha tem menos matéria que o pássaro, mas ela não é menos material que ele, porque a matéria de ambos é densa.

      Hipótese ultraterrestre – é aquela em que os seres inteligentes seriam oriundos de um universo paralelo ou de uma outra dimensão do espaço-tempo, chegam à Terra.
      São seres incomuns, formados de matéria sutil, também chamada antimatéria, que está além da Física, postada no mundo invisível das partículas e fazem parte do fenômeno ultraterrestre que em Ufologia é chamado de teoria dimensionalista. O espiritismo chama isso de mundo menos material. Compondo assim conexões entre Ufologia e espiritismo: aparição, materialização, transporte, levitação, telepatia.
      Nos registros de Kardec (ESE, cap. III-9) temos: nos mundos superiores, o menos material é um corpo que mantém a forma humana e nada tem que ver com o peso específico leve e de fácil deslocamento nas alturas, que atua sem esforço nenhum, apenas impulsionado (=estimulados) pela força do pensamento. Trata-se de um corpo que nasce e se desenvolve facilmente, e a morte não causa horror ao Espírito, porque ele não fica encerrado (=guardado) em matéria compacta, mas sim em um corpo menos material.
      Kardec registrou que seres inteligentes se manifestam na Terra, que todos os orbes do infinito são habitados e que os Espíritos estão ali encarnados em forma corpórea. Registrou que nesses mundos menos materiais o Espírito encarna, revestido (=envolvido) de um corpo também menos material. Disse ainda que nesses mundos a criatura evolui. Citou Vênus, Marte, Júpiter, Saturno, os orbes radiantes e as profundezas etéreas do cosmo.
      Disso tudo se conclui que assim como o homem não foi colocado pronto na Terra, mas nela evolucionou (=evoluiu) por longos períodos e desenvolveu tecnologia avançada, como aviões, foguetes e estações espaciais, assim também, pela mesma lógica de raciocínio, nos orbes distantes deve ter acontecido algo semelhante.se nós observarmos o entendimento espírita da evolução, vamos concluir que o fenômeno Ufo seria resultado do desenvolvimento técnico de seres inteligentes de outros mundos, ainda que estes sejam de outras dimensões.
      Devemos considerar que o mundo dos Ufos não é o do Espírito errante, mas sim o da criatura dotada de um corpo menos material, para nós, seres humanos de carne e osso, é como se ambos fossem iguais uma vez que os dois são invisíveis para nós.
      Contudo, Kardec não falou de objetos voadores que aparecem nos céus e se materializam, porque isso somente ganhou destaque depois da Codificação iniciada em 1857. Foi somente noventa anos depois, em 1947, a 24 de junho, hoje considerado o dia mundial da Ufologia, que as declarações do norte-americano Kenneth Arnold ganharam destaque, dando conta de sua experiência ao avistar e perseguir nada menos que nove objetos voadores.

      Seres intrusos e seres visitantes – independente da forma corporal que possam ter quando materializados ou não.
      Consideramos visitantes os seres de moral desenvolvida, que não contrariam a nossa vontade; devem ser amistosos, assim como nós seríamos com eles, caso fôssemos os visitantes, existindo, assim, contato amigável para troca de experiências ou para sabermos da existência deles.
      Consideramos intrusos os seres de moral baixa, sujeitos a imperfeições notórias, que praticam atos contrários à nossa vontade, por isso não se

      • -DISCOS VOADORES –RAMATÍS –
        – PSIC HERCÍLIO MAES – ED CONHECIMENTO
        SINOPSE (RESUMO)(Leia com carinho e atenção pois, tenho certeza, será um conhecimento que lhe dará as devidas explicações sobre um fenômeno óbvio (=evidente por si mesmo)
        Quanto ao aspecto podem ser: ovóides, esféricos, achatados nos topos; alguns aparelhos semelham cúpulas, a capacetes e os mais usuais parecem pratos extensos ou bojudos. As medidas variam entre tipos agigantados (até 500m) até a um tipo “mirim” destinado a pesquisas mais sutis (1,0m de diâmetro) que podem ser controlados à distância. Os aparelhos não apresentam emendas, parafusos, dobradiças, rebites ou encaixes.
        Cada aparelho possui um conjunto duplo, triplo e até sêxtuplo de anéis que se movem, em oposição recíproca, quer no decolar, quer no aterrissar. Esses anéis estão submetidos a um controlador que rege a formação das forças magnéticas de atração e repulsão, da própria força da gravidade campos magnéticos e auxiliam o equilíbrio estático de equivalência entre.
        Esses anéis postos em aceleração indescritível, arrancam a aeronave de seu campo estático, numa auto propulsão-centrífuga cuja velocidade inicial chega a 20.000(vinte mil) quilômetros horários. Como a estabilidade é mantida pela sustentação do próprio campo gravitacional podemos ver esses aparelhos, ora completamente imóveis, ora, desaparecendo de nossas vistas em velocidades incontroláveis.
        E conforme enunciou Jesus, na hora dos “tempos chegados”, “estranhos sinais” se farão visíveis no céu.
        Os aparelhos funcionam com o aproveitamento da força magnética, na lei de atração e repulsão dos pólos e a cúpula tendo propriedade absorvente e energética é a parte mais sensível do aparelho.
        Assim, na parte superior os anéis de força produzem campos de energia poderosa gerando correntes de elétrons no pólo magnético e sob o controle dos tripulantes, essa massa magnética pode ser dirigida, intensificada ou reduzida podendo chegar a uma área de dez vezes o tamanho da nave.
        Essa massa magnética criada no aparelho, em oposição ou em conjunto com o campo magnético que esteja percorrendo, pela lei dos pólos contrários, atrai o aparelho em direção ao planeta que atua; ou na mesma lei magnética que rege os pólos semelhantes, o aparelho é repelido pelo campo igual que está em conjunção com a gravidade do aparelho.
        Assim, supondo a Terra ser um pólo positivo, será criado no aparelho um pólo negativo e , pela lei de atração dos pólos contrários, o parelho move-se para o solo. Depois, criando um campo magnético em perfeita conjunção, , a lei dos pólos semelhantes produz a repulsão e a tendência do aparelho é de fuga (repelido pelo campo gravitacional da Terra). E ele precipita numa corrida, à razão de 18 000 a 20 000 quilômetros por hora (que é a velocidade mínima capaz de vencer a força de atração da gravidade daqui). E disparando numa fuga rapidíssima, assemelha-se a um rastilho luminoso.
        E esses aparelhos podem ser vistos, ora, completamente imóveis, ora, desaparecendo das vistas em velocidades incontroláveis. Mas essas arrancadas bruscas não fere os tripulantes pois estão resguardados ou protegidos por campo magnético próprio.
        O que mais destaca os “discos” são as auras de luz polarizada que vibram em torno e cuja superfície radioativa é capaz de desintegrar qualquer veículo terráqueo (e seres humanos também). E essa área radioativa aumenta ou diminui conforme a velocidade. No caso de pouso é totalmente controlada pelos tripulantes podendo até tornar-se um campo que apenas repele contatos diretos.
        Esse invólucro de atmosfera magnética radioativa assemelha-se a uma couraça protetora que se dilata,, comprime ou se expande em volta da aeronave e seu principal escopo(alvo) é isolar o exterior durante os voos e proteger as naves em atmosferas estranhas agindo como área magnética desintegradora eliminando atritos, poeiras siderais, pressões ou qualquer substâncias perigosas. Mas dentro das naves os tripulantes usufruem a temperatura e a pressão que melhor lhes convier.
        O homem terráqueo ao ter um contato demorado junto à expansão natural e radioativa do aparelho criaria uma ação antigênica (anticorpos) no sistema sanguíneo influenciando os processos de hematopoese (formação dos glóbulos do sangue no interior da medula óssea) gerando exaustão orgânica e consequente extinção da vida pois a irradiação atacaria também os hormônios vitais e o metabolismo endócrino, levando a uma síncope tóxica (=perda da consciência acompanhada de suspensão da circulação e da respiração).
        …………………………………………………………………………………………………

  3. que da hora mano adorei

  4. Vocês poderiam, por favor, me indicar alguma publicação científica que faça menção às afirmações dadas nesse texto?

    • Não adianta buscar nada no campo científico sobre esse assunto, pois os cientistas estão escondendo isso de nós, por conta dos mesquinhos interesses econômico-financeiro dos arianos, que nos dominam há mais de 4500 anos. Esqueça.

  5. Se precisar de aconselhamento espiritual sobre estes mesmos assuntos fique à vontade para me contactar. Terei todo o gosto.
    Cumprimentos

  6. É deslumbrante! Gostaria de saber se já descobriram quantos planetas gravitam em torno de Alcione.

  7. Então é melhor nos prepararmos, estou anciosa para ver e viver tudo isso!!! Espero ainda estar aqui para ajudar se eu conseguir.

  8. Фантастика :)

  9. Muito interessante ! Mais vocês tem sites, ou artigos científicos que comprovam isso ?
    P.S: Uma das professias Maia já está acontecendo ! No período de mais ou menos um mês já tivemos 2 acidentes aéreos .

  10. Constelação é uma maneira de MAPEAR o céu para que se possa localizar a posição das estrelas e outros astros a partir do nosso ponto de vista. Por exemplo, as várias estrelas da constelação de escorpião, estão APARENTEMENTE juntas como se estivem num fundo fixo, todas num mesmo plano, porém cada uma está numa posição totalmente diferente e há milhares de anos-luz uma da outra. A terra não está em constelação alguma. Ela é o centro de uma esfera imaginária onde as estrelas estão aparentemente fixas, e nós seres humanos, para mapea-las, inventamos as constelações. Pode ser verdade isso do feixe de fótons.

  11. Tudo isso o espiritismo já tem afirmado, através das comunicações espirituais que nos chegam. A terra está entrando no período de regeneração. Poucos espíritos conseguirão encarnar aqui depois de 2012. Existe uma literatura espírita imensa sobre isso. A ciência está, aos poucos, comprovando essas informações espirituais.

    • Concordo plenamente com você, chará, temos recebido comunicações de entidades a respeito desse assunto. Esperamos a fase de regeneração com fé em Deus e seus designios. Que a Luz prevaleça.

    • Gostaria de aconselhar nossa colega Christina Bastos Tigre, autora do texto, a cursar algumas disciplinas de Introdução à Física Moderna ofertadas por várias de nossas Universidades pelo país, como a UFMG. Basta se matricular em disciplinas isoladas (com um pequeno custo financeiro). Isso seria interessante de ser feito, ao invés de veicular uma quantidade enorme de informações ABSOLUTAMENTE ABSURDAS E SEM NENHUM SENTIDO CIENTÍFICO. Afirmações como “o fóton consiste na decomposição ou divisão do elétron” são totalmente repudiadas por qualquer aluno secundário com um conhecimento elementar de Física. Não estou aqui discutindo crenças, mas sim as supostas verdades que foram veiculadas. Tenham em mente que o uso isolado e incoerente de termos científicos não dá A MENOR CREDIBILIDADE ao que foi escrito. Por favor, tentem se informar melhor e adquirir conhecimento para avaliar com mais propriedade as afirmações.

      • Quase nada se restringe á matéria como tenta afirmar nosso amigo estudioso aluno ou professor da UFMG. Quem somos nós para tentar provar ou desmistificar obras tão grandiosas e maravilhosas criadas pelo Ser Supremo. Absurdo é um ser incompleto e imperfeito como o ser humano, tentar desqualificar as palavras de outro ser humano repletas de bondade e energia positiva. Deus tenha piedade de você Mateus. Se um dia puder encontrá-lo, nesta ou em outra encarnação, terei o maior prazer de abraçá-lo para quem sabe recarregá-lo de um pouco mais de espiritualidade nesse montão de matéria. Que como matéria para a terra voltará.

      • esiste uma força e sabedoria que supera a rasao,não devemos ser tão ludicos nem tão seticos,temos que parar e sentir o que nos é importante! nesse momento. a quantica nos leva a descobrir quem somos nós?

      • Caro Vascão do Pastel,
        a “bondade” e “energia positiva”, supostamente presentes no texto, como você afirma, não dá à autora o direito de publicar informações completamente equivocadas e sem coerência, do ponto de vista científico (conforme você pode verificar utilizando-se de um livro de Física elementar). E também não consegui compreender o quê você quis dizer com “Quase nada se restringe à matéria”. Se você prefere se iludir com palavras vagas e de conteúdo exclusivamente místico, ao invés de se ater aos fatos e às informações corretas, bem, isso também é uma opção de vida.

  12. Gostaria de receber mais informações sobre a evolução dos astros que
    estão sob influência magnética da ALCIONE

  13. Ancioso para chegar em 2012… vou me preparar *-* Ótimo texto adorei!

  14. E quanto às consequências!?…e quanto a autoproteção ? Tem pensamento desenvolvido para esclarecer questões?!!! ..celso

  15. A Ciência, ainda será a verdadeira religião da humanidade! Aquela que irá desvelar todos os véus, e uma vez desvelados os segredos serão de todos conhecidos!

    Parabéns pelas informações!

    Feres.:

  16. Concordo plenamente com a Suely

    “Tudo isso o espiritismo já tem afirmado, através das comunicações espirituais que nos chegam. A terra está entrando no período de regeneração. Poucos espíritos conseguirão encarnar aqui depois de 2012. Existe uma literatura espírita imensa sobre isso. A ciência está, aos poucos, comprovando essas informações espirituais”

    Suely – 11 Setembro, 2009 at 12:20

  17. Se é verdade tudo isso,porque as estrelas não estão mudando de lugar

    • Boa observação crítica. Outro detalhe é que estas estrelas azuis da Pleiade tem apenas 130 MI de idade, ou seja, são muito, mas muito mais jovens que a Terra. E não são apenas 7 estrelas, são várias estrelas. Então estas estrelas surgiram recentemente e começou a atrair gravitacionalmente o sistema solar inteiro.

      Outra coisa. 450 anos luz é longe pra dedéu.

      Outra coisa que intriga é que este mesmo texto vive sendo propagado desde a primeira vez que surgiu em 1981 por uma regista ufológica. De lá pra cá…poucas mudanças, mas sempre iniciam o texto com “os astrônomos Freidrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Solá e Edmund Halley, depois de estudos e cálculos minuciosos”

      Outra. “A ida do homem à Lua, nos anos sessenta, simbolizou esta expansão, já que antes das viagens interplanetárias era impossível perceber o cinturão.”

      Mas que viagem interplanetária é essa, o homem foi até a Lua, que é um satélite natural e só.

      Este mito já é velho pacas….da década de 80 e até hoje é alimentado….

    • Porque é tudo conversa pra boi dormir…

    • Caro Sander,
      o fato de as estrelas estarem, aparentemente, fixas na esfera celeste não significa que elas sejam desprovidas de qualquer movimento. Falando especificamente das estrelas da Via Láctea, todas elas apresentam um movimento de rotação em torno do centro Galáctico, assim como o nosso sistema solar. Caso não tivessem esse movimento, elas fatalmente cairiam em direção ao centro da Galáxia, onde se encontra um buraco negro supermassivo de cerca de 4 milhões de massas solares, de acordo com observações recentes. A resposta para a sua dúvida se encontra em um dos conceitos básicos de mecânica: o de velocidade angular, que é o ângulo percorrido por algum corpo por unidade de tempo (graus/segundo ou radianos/segundo). Para um corpo com uma dada velocidade linear (expressa em km/h ou em m/s), quanto maior a distância em relação ao observador, menor a sua velocidade angular. Matematicamente, v = w.r (v: velocidade linear; w=velocidade angular; r=distância ou raio da trajetória). Quer um exemplo? Você já deve ter reparado que um avião comercial, por exemplo, embora viaje a uma velocidade típica de 400 km/h (algo bastante grande comparado à velocidade de um carro de passeio), do nosso ponto de vista, que estamos no chão, o avião leva minutos para cruzar o céu, ou seja, sua velocidade angular é pequena. Para uma altura típica de vôo de 40.000 pés (algo em torno de 15 km), usando a equação acima, obtemos que sua velocidade angular (não a tangencial) é de apenas 25 graus/minuto. Se esse valor já é pequeno para um avião que está voando a cerca de 15 km de distância, imagine no caso de uma estrela. Para se ter uma idéia, a estrela mais próxima de nós, depois do sol, é a Próxima Centauri, que está a 4,23 anos-luz de nós (algo em torno de 40 trilhões e 200 bilhões de quilômetros!!!). Na verdade, medidas de movimentos próprios de estrelas na esfera celeste são uma das maiores dificuldades em Astrofísica observacional, exigindo fotometria de alta qualidade e longos intervalos de tempo de observação. Espero ter respondido seu questionamento.

  18. Gostaria de aconselhar nossa colega Christina Bastos Tigre, autora do texto, a cursar algumas disciplinas de Introdução à Física Moderna ofertadas por várias de nossas Universidades pelo país, como a UFMG. Basta se matricular em disciplinas isoladas (com um pequeno custo financeiro). Isso seria interessante de ser feito, ao invés de veicular uma quantidade enorme de informações ABSOLUTAMENTE ABSURDAS E SEM NENHUM SENTIDO CIENTÍFICO. Afirmações como “o fóton consiste na decomposição ou divisão do elétron” são totalmente repudiadas por qualquer aluno secundário com um conhecimento elementar de Física. Não estou aqui discutindo crenças, mas sim as supostas verdades que foram veiculadas. Tenham em mente que o uso isolado e incoerente de termos científicos não dá A MENOR CREDIBILIDADE ao que foi escrito. Por favor, tentem se informar melhor e adquirir conhecimento para avaliar com mais propriedade as afirmações.

  19. A Terra, como participante desta sopa galáxica é uma passageira nessa viagem infinita através do cosmo. Passará por situações novas, encontrará outros viajantes, equilibrados ou desnorteados e sem rumo como já aconteceu em tempos cósmicos não muito afastados.

    Quem duvida disso ? O Universo é movimento contínuo. Como a água salpicada de fragmentos numa lavadora.

    O mente humana é a única essência que pode escapar dessa centrífuga material, mas tem estado presa a dogmas, ameaças e medos ou enceguecida por esperanças de transformações a nível material que não é território da mente e do espírito.

    A postura mais adequada é equilibrarmo-nos para que não seja o pânico o diretor de nossos destinos, mas a fraternidade, a espiritualidade mais pura e interior, sem religião sectarista. Isso sim será capaz de enfrentar todas as dificuldades e profecias, que na maior parte das vezes, origina-se do êxtase, da especulação ou da exploração da credulidade fácil.

    A fragilidade do fortaleza humana que pretende preparar-se para as transformações das eras é tão evidente que derruba tais expositores à menor dor-de-dente ou uma insignificante pedrinha no rim.

    A luz é a mente e a consciência, o resto é coagulação energética

  20. Correto estava Socrates, o grande filósofto, – Após todo o estudo e observações sobre tudo – afirmou: “Tudo o que sei, é que nada sei!”
    Assim somos nós também – qualquer afirmação que qualquer ser venha a fazer – É MENTIRA (MENTE TIRA) – ou seja é tirada da mente – (Tudo é mental – Hermes o Trimegistro – aprox. 3.000 AC)

    Seria possível entender o absoluto sendo criação relativa deste?!?

    Claro que não!

    Fraternais abraços a todos.

  21. Desejo receber e-mail sobre este assunto e de todo o processo de transformação planetária.

  22. Quero receber e-mail sobre este assunto e tbm sobre toda da transformação planetária.
    Obrigada!
    Shirley

  23. Muito interessante, as pessoas deveriam se interessamais pelo Sistema Alcione.
    Isa

  24. Olá, hoje por curiosidade dos meus filhos, sobre meu nome ( Alcione), procurei neste SITE , o que havia estudado sobre esta estrela. à 38 anos atrás em matéria escolar no Ginásio.
    Muito interessante este SISTEMA!!! porque é tão pouco divulgado?
    Gostria de receber mais informações sobre esta matéria.
    Meu nome foi dado por minha Avó, tirado do livro Espírita, Ela era Cardensista.. . Abraços..

  25. Ao nosso amigo fisico e estudioso: http://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%B3ton.

    Talvez ele precise estudar mais física… ou apenas pensar no que não è ciêntifico. Facil é ter umlivro de regras, dificil é segui-lo…
    Eu não tenho nenhum… Pra mim tudo é possível até qque me provem o contrário…
    Até 2012

  26. Ao nosso colega Daniel,
    creio que você, assim como a autora do texto, devia ter mais responsabilidade quanto às suas afirmações. Percebi mesmo que você não tem nenhum livro de Física, ao postar um link da wikipedia que justamente contradiz o que a autora do texto escreve sobre o fóton. Ela coloca que “o fóton consiste na decomposição ou divisão do elétron”. Nada mais absurdo e mentiroso. De acordo com texto da wikpedia (esse sim correto), o fóton consiste na particula elementar da luz, apresentando um comportamento dual onda-partícula, que dependendo do tipo de interação. Ao interagir com a matéria, como no caso de ser absorvida por um átomo, a luz apresenta um comportamento de partícula (a energia é discretizada e aborvida aos ‘pacotes’). Ao passar por uma fenda estreita, por exemplo, ela sofre difração, apresentando um padrão de intensidade luminosa característica de uma onda. A própria matéria possui comportamento ondulatório, daí o princípio da incerteza de Heisenberg e os comportamentos das funções de onda que advém da solução da equação de Shcroedinger da mecânica quântica. Talvez essas informações não sejam relevantes para indivíduos que não sejam da área, como o amigo Daniel, o qual, além de não ter o menor preparo técnico e teórico para avaliar um texto, tem a ousadia de afirmar sobre a competência de outra pessoa. Aceite os fatos e então procure se informar melhor antes de escrever bobagens.

    • Prezado Mateus de Souza,
      Entendo que o conceito de “fóton” não altera totalmente o teor das afirmações de Christina Bastos Tigre. O fato é que os fótons existem e são reais e suas ações e reações sobre a matéria devem ser observadas. Não quero de maneira nenhuma desconsiderar as suas observações, mas acredito que deves “desarmar-se” um pouco para que permutarmos novas idéias.

      • Me mande seu e-mail q lhe enviarei matérias interessantes sobre modificações q ocorrerão em nosso orbe, etc
        Mas, lembre q a ciência é uma conquista de nossa
        humanidade e ela não pode ser descartada pois é através das pesquisas q foram feitas é q podemos analisar os assuntos q discutimos.
        Aguardo vc,
        abraços…

      • “acredito que deves ‘desarmar-se’ um pouco para que permutarmos novas idéias”…
        Desculpa-me dizer francamente: esta postura paz e amor só pioram as coisas do ponto de vista intelectual. Mateus não se “armou” para atacar ninguém, mas pontuou ideias e com elas desarmou outras ideias, ou argumentações falsas, sem fundamento no real, mas em um discurso metafísico, orientalista (e não oriental), para não dizer obscurantista.
        Essa tal “iniciação coletiva” é discurso religioso, e vai londo dos limites da racionalidade científica, no caso, da física pós-moderna.
        Em lugar de assumir essa postura paz e amor, sugiro, se me permite, assumir um discurso profético, místico e, portanto, religioso (baseado em crença religiosa, o que não há nada de errado; pelo contrário). Com isso tudo todas as afirmações do texto inicial farão mais sentido (dentro do âmbito religioso-místico).
        Abraço.

  27. Prezado José Neto,
    de fato o debate é muito válido, desde que haja argumentos de ambas as partes. Não quero passar a impressão de que os físicos detêm as verdades absolutas do Universo. Estamos muito, mas muito longe mesmo de resolvermos as questões mais intrigantes e motivadoras em relação aos mecanismos do Cosmos. Problemas relacionados à mecânica quântica (que descreve o ‘íntimo’ da matéria), Cosmologia, Física de Partículas, Biotecnologia, etc estão aí para todos verem. Temos muito mais perguntas do que respostas. Este é o verdadeiro dilema que propulsiona a Ciência. Mas não podemos negar que os métodos científicos nos conduziram ao progresso (do contrário, nós não estaríamos aqui enviando essas mensagens por computador). E essa mesma Ciência possui pressupostos básicos, como o fato de não podermos afirmar algo sobre aquilo que não conhecemos, como faz a autora do texto e o nosso colega Daniel. Devemos sim, ter uma postura crítica, estudar e analisar as evidências e afirmações. Essa postura sim nos conduz ao conhecimento correto. Afinal, papel aceita tudo, inclusive aceita alguém escrever que o fóton é “algo que ainda se desconhece na Terra” (leia de novo o começo do texto).

  28. Prezados amigos,

    como é bom assistir discussões tão veementes em um instrumento – computador – que há alguns anos só se via em filmes de ficção científica ou em livros psicografados, a exemplo de “Memórias de um Suicida” psicografia de Yvone P. do Amaral.

    Tudo o que temos hoje de informação, tanto do ponto de vista científico, quanto do ponto de vista religioso, não passa de fragmentos da verdade superior. A ciência hoje é a ferramenta que explicará o que a religião (mesmo sem o embasamento científico) já nos sinaliza há milhares de anos. Informações como: os Astecas e Maias sinalizarem sobre 2012, ou quando Edgard Harmom, no impressionante livro “Exilados de Capela” explica a migração do milhões de espíritos do Planeta Capela da Cosntelação do Cocheiro (fato que, no senso comum, deu origem ao mito de satanás ter sido expulso do céu) – para o nosso orbe – de espíritos mais evoluídos que nós adâmicos, é claro que não haverá explicação científica para estas informações, visto que as mesmas chegam até nós humanos, como fragmentos de uma verdade que nossa condição moral e científica, por enquanto, não nos permite acessar.
    Estamos, sem dúvida seguindo a largos paço para o fim desta humanidade, vemos a cada dia os novos seres (índigo e cristais) reencarnarem entre nós para, dentre outras missões, unir a ciência e a religião ou melhor, o homem da fé inabalável, desprovida de dogmas, prepotência, rituais e inferioridade moral tal qual alguns religiosos e cientistas atuais. Para estes, os seres supremos já preparam um planeta adequado para os novos exilados, agora da terra.

    • Tenho uma matéria incrível relacionando religião e ciência (=conquista de nossa humanidade e q, sem ela não estaríamos, aqui, discutindo assuntos tão interessantes. Se for do seu interesse, mande-me seu e-mail, ok!
      Abraços,
      Miriam

    • Sr Claudio, leia a resposta dada ao sr Erivaldo:
      vc falou algo incrível: muitos leitores não conseguem atingir um nível tão elevado de entendimento. Li o q escreveu Claudio(14abr) q falava de Capela. Eu estou aqui procurando respostas para entender melhor os seres de dimensões + sutis q a nossa e q atendem na sala de tratamento espiritual onde frequento. Ele dizem q são encarnados e já viveram aqui. E q foi com grande admiração para eles quando perceberam q no corpo q estavam não podiam ser vistos pela maioria dos terrestres. Utilizam naves também de matéria + sutil e energeticamente superior. E aqui encontro o Sr Mateus de Souza q fala tanto tentando ser entendido q fiquei curiosa e passei a ler atentamente as explicações dele. Acho q não existe entendimento tão profundo, na verdade existe é falta de vontade de nos aprofundarmos em assuntos mais complexos. Peço q leia Fenômeno UFO de Yashua e Uranie de Camille flammarion q vc sentirá suas idéias fluirem de maneira mais profunda. Boa sorte para o seu entendimento, ok! Abraços

    • É muito bom ler um texto claro e direto. Obrigada.
      Jussara

  29. Maravilha,

    Existe uma grande espiritualidade em todos os textos, mas, infelizmente igual a mim exite centenas de milhares de leitores que ainda nao conseguem atingir um nível tao elevado de entendimento tao profundo.

    Poderia alguma caridosa alma “traduzir” para um portugues mais “cotidiano” o contexto geral de todos os textos fazendo um resumo geral dos mesmos?

    Obrigado.

    • vc falou algo incrível: muitos leitores não conseguem atingir um nível tão elevado de entendimento. Li o q escreveu Claudio(14abr) q falava de Capela. Eu estou aqui procurando respostas para entender melhor os seres de dimensões + sutis q a nossa e q atendem na sala de tratamento espiritual onde frequento. Ele dizem q são encarnados e já viveram aqui. E q foi com grande admiração para eles quando perceberam q no corpo q estavam não podiam ser vistos pela maioria dos terrestres. Utilizam naves também de matéria + sutil e energeticamente superior. E aqui encontro o Sr Mateus de Souza q fala tanto tentando ser entendido q fiquei curiosa e passei a ler atentamente as explicações dele. Acho q não existe entendimento tão profundo, na verdade existe é falta de vontade de nos aprofundarmos em assuntos mais complexos. Peço q leia Fenômeno UFO de Yashua e Uranie de Camille flammarion q vc sentirá suas idéias fluirem de maneira mais profunda. Boa sorte para o seu entendimento, ok! Abraços

  30. Você já tem as respostas, agora mãos á obra.

  31. Nossa! O nosso Sistema solar girar em torno de outro é muito louco.
    Quero saber mais.

  32. Prezado Claudio

    Há muita desinformação acerca da herança de maias e astecas.
    O que usualmente tem sido divulgado sobre 2012 não tem fundamento no legado maia – ao contrário do que se diz, os maias não fizeram previsões ou profecias para 2012.
    A que te referiste precisamente?

  33. Adoreei…*-*…
    Quero saber mais²

  34. Penso que a ciência já possui conhecimento para muitas explicações, mas não podemos desprezar as informações que existem, tanto nos livros das grandes religiões, nos legados de civilizações como suméria e maia, como também das comunicações via mediúnica. Veja-se um exemplo, por muito tempo a ciência tem negado a existência de vida fora da Terra, mas neste ou no mês passado, o cosmologista Stephen Hawking admitiu a existência de vida fora da Terra, inclusive fazendo um alerta para que não se envie para o espaço cartas de orientação sobre a localização de nosso planeta, para que não aconteça conosco o que aconteceu com os indios das américas, que foram trucidados pelos europeus (civilização tecnicamente mais avançada). Portanto, não podemos ser tão rigorosos como ciência (ela também muda de paradigma) e nem tão crentes a ponto de excluir a ciência. Abraços, Raimundo.

  35. Acrescente-se:
    A Religião sem a ciência é cega, a ciência sem a Religião é coxa.”
    Albert Einstein

  36. A Igreja Católica não tem nada de besta, veja-se essa reportagem:

    Vaticano admite que pode haver vida fora da Terra
    Publicada em 13/05/2008 às 19h37m
    BBC
    O diretor do observatório astronômico do Vaticano, padre José Gabriel Funes, afirmou que Deus pode ter criado seres inteligentes em outros planetas do mesmo jeito como criou o universo e os homens.
    “Como existem diversas criaturas na Terra, poderiam existir também outros seres inteligentes, criados por Deus”, disse o diretor do observatório conhecido como Specola Vaticana.
    “Isso não contradiz nossa fé porque não podemos colocar limites à liberdade criadora de Deus”, acrescentou Funes, em entrevista ao jornal L’Osservatore Romano, órgão oficial de imprensa da Santa Sé.
     
    Na entrevista ao jornal do papa, o padre Funes, jesuíta argentino de 45 anos de idade, cita São Francisco ao dizer que possíveis habitantes de outros planetas devem ser considerados como nossos irmãos.
    “Para citar São Francisco, se consideramos as criaturas terrestres como ‘irmão’ e ‘irmã’, por que não poderemos falar também de um ‘irmão extraterrestre’?”, pergunta o padre. “Ele também faria parte da criação.”

    Abraços, Raimundo

    • Há muitos segredos para serem desvendados pela população comum.
      Fico muito feliz em ver que estamos evoluindo, procurando, estudando.
      O livro, Transição Planetária, do Divaldo Pereira Franco, será marco , ilustrando os momentos que vivemos.
      Quando a vida fora da terra, qualquer pessoa que use um pouco de racionalidade , aceita .
      É muita presunção achar que estamos sózinhos nesse Universo imenso e desconhecido.
      Aos crentes, não aceitar outras vidas é mais uma vez, colocar Deus, ou seja lá como O denominem , a mediocridade humana.

  37. Meu nome é Cristina e moro em Londrina/Pr.
    Há tempos procuro os livros de Ernesto Baron para comprar e ainda não descobri onde posso encontrá-los.
    Você ou alguém do grupo sabe me informar?
    Desde já agradeço.
    Meu e-mail para contato é:
    alcristi@sercomtel.com.br

  38. Prá quê tanta mentira ?

  39. SOMOS FILHOS DA LUZ.

  40. Ao Mateus

    Se o fóton não surge da fragmentação do elétron, surge então de onde, materialista sabichão? Qual é a prova de que esta partícula dual não provém do elétron?

    E quem foi que falou que o elétron também não é partícula-onda?

    Deixe de falar bobagem e estude mais lógica e filosofia.

    • Caro Cléber,
      mais um post ofensivo, de alguém que não é da área e se mostra um suposto entendido do assunto. Meu caro, assim como no caso da autora do texto, recomendo-lhe a leitura dos capítulos introdutórios do livro “Física Quântica de átomos, moléculas, sólidos, núcleos e partículas”, de autoria dos excelentes FÍSICOS (e não esotéricos, como você e a autora do texto) Robert Eisberg & Resnick. Nesses capítulos você encontrará que as ondas eletromagnéticas (as quais podemos entender, do ponto de vista da dualidade onda-partícula, como constituídas de partículas energéticas elementares, que são os fótons) são emitidas por cargas elétricas que apresentam aceleração. Uma configuração estática de cargas não emite energia eletromagnética (o que explica a estabilidade dos átomos quando os elétrons encontram-se no estado fundamental). No entanto, quanto um ou mais elétrons estão em estados excitados, ocorrem oscilações periódicas na distribuição de carga do átomo (o que é descrito pelo comportamento temporal das autofunções de onda, que resultam da equação de Schoredinger). São essas oscilações as responsáveis por gerar campos elétricos e magnéticos variáveis no tempo, os quais se auto-sustentam e propagam-se à velocidade da luz. Como você pode ver, a energia dos fótons não surge de uma fragmentação do elétron. Do contrário, não haveria matéria eletricamente neutra no Universo e, muito menos, compostos mais complexos, como as moléculas. Ao contrário de você, não estou escrevendo bobagem. Estou escrevendo algo estritamente científico, sem nenhuma crítica às crenças ou às convicções filosóficas de outras pessoas. Acho um abuso você me atacar desse jeito sem ter o menor argumento. Limite-se a aprender sobre o assunto antes de querer “debater”.

      • Não é a crença religiosa ou filosófica q dá margem a interpretações erradas mas sim, a falta de cultura acadêmica, ou seja, a falta de sentar em bancos de escolas. As pessoas apelam pra religião quando não possuem argumento científico e chegam a descartar a ciência q foi conquistada (=física, química, etc) colocando Deus como um Ser à parte, isto é, se ele criou tudo, então tudo o q o homem estuda está estudando as obras de Deus, não é? Daí, o conhecimento adquirido nos bancos de uma escola tem uma importância enorme pois nos dá conhecimento para analisarmos as diversas situações q nos rodeiam. Quando uma pessoa critica a ciência temos q levar em consideração de que ciência ela tem conhecimento para fazer tal crítica: a de antes de ontem, de ontem, de hoje, ou a q está para por por terra todas os assuntos tidos como dúvida? Abraços.
        Miriam

      • Que aula.Adorei!!

  41. O fato de nenhum cientista ter visto um elétron se transformar em fótons não é prova de que estes não venham daquele. Mas o sabichão Mateus acredita que conhece os mistérios do Universo para negar aquilo que nunca comprovou.

  42. Caro Cléber,
    creio que você não buscou as informações nas fontes corretas ou está com alguma dificuldade em ler. Vou retomar o que escrevi no post anterior, para ver se você consegue raciocinar um pouco: os fótons (energia eletromagnética), juntamente à matéria bariônica (prótons e nêutrons, basicamente), são as partículas mais abundantes no Universo. Se cada fóton surgisse da fragmentação de um elétron, não haveria possibilidade da existência de matéria eletricamente neutra no Universo, já que todos os átomos emitem fótons nos processos de oscilação e relaxação para níveis menos energéticos (conforme você, certamente, deve ter estudado em seu segundo grau, nas aulas de Química). Sem matéria neutra, não há estruturas estáveis, como moléculas e, portanto, não há vida. Os fótons não surgem da fragmentação dos elétrons. Eles surgem nos processos de aceleração de cargas elétricas (como prótons e elétrons).

    Sobre a sua afirmação, de que “o sabichão Mateus acredita que conhece os mistérios do Universo”, peço que você não coloque palavras em minha boca. Estou apenas afirmando o que é de cunho científico. Mantenha a discussão em um nível mais elevado e adequado, se puder.

  43. Belo e esclarecedor, estão de parabéns!

  44. Mateus, meu caro!
    Calma, calma! meu contato é amistoso, rsrs! E até meio coisa de tiete, rsrs! não, tô brincando!. A verdade é que há pouco tenho me interessado por física(muito amadoramente, confesso com a humildade q me cabe) e acho simplesmente lindo (eu sei q lindo é termo pobre pra se atribiur à ciência q simplesmente orienta nossa espécie, mas digo lindo, pq qndo eu descobri q muitas coisas podem ser explicadas nesse nosso tããão misterioso planeta, eu vi a vida!). Meu contato com a física foi por meio da escola… mas, não, não a escola não me mostrou diretamente q a física era legal,(muito pelo contrário!) levei uma surra de uma matéria no 2º ano e pra tentar me safar fui a biblioteca perto de minha casa e passei o olho nos livros física… até q achei GIGANTES DA FÍSICA(biografia de oito renomados físicos a pertir de Newton) com uma liguagem “carinhosa” rsrs… física para leigos, como uma introdução, é simplesmente fantástico! Desde então tenho lido sobre física quântica e tentado entender as leis de Newton, o seoterismo e o vestibular também tem me impulsionado a continuar lendo, rsrs! principalmente o vestiba, rsrs! num nível mais operacional, é claro!
    Bom, já contei mais ou menos quem eu “sou”. E por tanto tenho q dizer q é bom ver alguém como vc “falando” tão vividamentesobre física… ou apenas indignado, rsrs… bom, o q eu queria realmente dizer é q gostaria de manter contato com alguém assim, pois se vc empenhou seu tempo eu esclarecer determinados fatos assim… meio á toa, penso eu q também empenharia seu tempo em esclarecer “pra” quem quer aprender algo!; ) (momento: por favor! me de atenção). rsrsrsrs!! brincadeiras a parte meu humilde pedido é verdadeiro! Gostaria muito de poder tirar dúvidas com alguém!(e por favor, não me responda dizendo: PAGEU UM PROFESSOR, UÉ!)
    vlw! força e abraço pra todos!

  45. Cara Tamara,
    você sim conseguiu entender o verdadeiro objetivo das mensagens que eu postei nessa página. A agressividade dos posts anteriores foi colocada no mesmo nível das provocações que me foram feitas (de forma alguma sou uma pessoa “carrancuda”, como posso ter deixado transparecer!). Meu objetivo foi esclarecer e alertar sobre algumas mentiras que foram publicadas no texto. Como foi colocado em um dos posts anteriores, “a fé sem ciência é cega”. Em nenhum momento, repito, estou criticando a religião ou crença de alguém. Mas, como o texto se utilizou de idéias/conceitos de Ciência para embasar as afirmações, devemos ser rigorsos e buscar as informações corretas e em fontes confiáveis. E não apenas sair falando e escrevendo “achismos”. Fico muito feliz com seu interesse por Física. De forma alguma seria uma perda de tempo dar atenção a alguém que busca esse conhecimento (e isso não é coisa de tiete não, rsrssr…). Meu interesse pelo assunto surgiu de motivações e curiosidades estritamente pessoais. Tive professores razoáveis no meu ensino médio, mas não foram eles que me motivaram a seguir carreira na graduação e, agora, no curso de mestrado. O ensino de Física (e não só o de Física, mas a educação em geral) precisa ser remodelado no Brasil. Recomendo a você a leitura de um excelente livro que foi recentemente publicado. O título é “Física Conceitual”, de autoria do norte-americano Paul Hewitt. Nesse livro, a matemática “pesada” dá lugar aos conceitos e idéias gerais, mas sem ser muito superficial. É uma ótima leitura e serve como complemento para alguns outros livros normalmente adotados no ensino médio, como os da Beatriz Alvarenga e Alberto Gaspar. Pode ficar tranquila que não vou falar para você procurar um professor de Física, rsrsrs…. Pode manter contato. Meu e-mail é altecc@hotmail.com
    Abraço.

    • Caro amigo, a gente q é do interior, tem muito a ver c om religião pois é a partir dela q nossas dúvidas são abrandadas. E se pesarmos o instrutor religioso é q seremos + ou – sábios, não è? Vc diz fazer mestrado. Q bom pois a maioria das pessoas q conhecem fogem da física, a acham díficial de ser entendida. Leciono e até já parei na delegacia por causa de brigas entre alunos. Acredite, o partor falou q a praga do Egito ia acontecer aqui no Brasil. Saiba q é com isto q convivemos: cultura manipulada para satisfazer grupos controladores. Sua idéia de esclarecer, talvez o acompanhe por toda a vida. Estou torcendo para q vc tenha, pelo menos, algumas satisfações. Amo vc pelo seu raciocínio. Espero q vc se ame também pois seu caminho será um pouco árduo e precisará de muito amor sublime para vencê-lo. Abraços.
      Miriam

      • Cara Miriam Diniz,
        de fato, a profissão de professor é bastante árdua. Confesso que tenho pouca experiência em sala de aula. Lecionei aulas teóricas e práticas de Física durante dois anos no Colégio Técnico da UFMG (aqui em Belo Horizonte, onde moro) para turmas de terceiro e segundo ano do ensino médio. Assim que entrei no curso de pós-graduação, tive de parar de dar aula para me dedicar à pesquisa. Tenho vários amigos que trabalham em escolas públicas e eles me contam dos desafios que encontram a cada dia (sem contar os baixos salários). Como dizia Sigmund Freud, “há duas profissões impossíveis: psicanalisar e ensinar”. Mas é gratificante quando vemos alguns de nossos alunos aprovados no vestibular e iniciando suas vidas profissionais. Espero que agora, no governo Dilma, a profissão de ensinar passe a ter o valor que ela merece. Afinal, o que somos hoje é um reflexo direto da educação que tivemos. E não há a menor possibilidade de pensarmos um projeto de país sem uma reforma reestruturadora do ensino básico nacional. E nisso o professor é a peça fundamental, já que é ele que está, no dia-a-dia, “pegando o boi pelo chifre”. Desejo-lhe sucesso na sua carreira e na “arte” de ensinar.

  46. Olá.. adorei ler isso aqui.
    já faz tempo que eu tava procurando informações sobre a estrela alcione.
    ha um tempo atrás me foi revelado que eu sou indigo e vim de lá. estou buscando informações sobre essa estrela. muito obrigada =D

  47. Vamos começar tentando ver que foram os astrônomos.
    Começando por misturar nomes de pessoas que viveram em períodos tão diferentes.
    Edmund Halley nasceu em 08/11/1656 e morreu em 14/01/1742.
    Freidrich Wilhelm Bessel nasceu depois da morte de Halley em 22/07/1784 e morreu em 17/03/1846.
    José Comas Solá nasceu depois da morte de Bessel em 19/12/1868 e morreu em 02/12/1937.
    Não localizei quando foi que Paul Otto Hesse nasceu, mas descobri que ele escreveu em 1949 a ideia sobre o cinturão de fótons, era um escritor alemão e nunca foi astrônomo.

    Sobre a estrela, Alcione está a 440 (e não a 425) anos-luz do nosso sistema solar. É uma estrela binária e tem mais duas estrelas que a orbitam. Tem uma luminosidade 1.400 vezes maior que o Sol, mas um diãmetro apenas 10 vezes maior que nosso Sol. É uma das estrelas que compõe as Plêiades, um agrupamento de estrelas que contém entre 500 e 1.000 estrelas.

    Mas existem muitas estrelas gigantes mais perto do Sol do que as Plêiades.
    Gacrux está a 88 anos-luz do Sol e tem um diâmetro 113 vezes maior que nosso Sol.
    Beta Ursae Minoris está a 130 anos-luz do Sol e tem um diâmetro 41 vezes maior que nosso Sol.
    Aldebarã está a 65 anos-luz do Sol e tem um diâmetro 43 vezes maior que nosso Sol.
    Canopous está a 310 anos-luz do Sol e tem um diâmetro 65 vezes maior que nosso Sol.
    Albireo está a 385 anos-luz do Sol e tem um diâmetro 109 vezes maior que nosso Sol.
    Epsilon Auriga está um pouco mais longe, a 465 anos-luz do Sol, mas tem um diâmetro 1.278 vezes maior que nosso Sol.

    Portanto, fica fácil entender que não tem sentido o Sol orbitar uma estrela pouco coisa maior que ele e tão distante, se existem outras muito maiores e mais próximas.

    Quanto ao cinturão de fótons (ou anel de de fótons, anel manásico, banda de fótons ou nebulosa de ouro), foi uma idéia apresentada pela primeira vez pelo tal Paul Otto Hesse, e repetido por Samael Aun Weor, em 1977, mas não se tornou popular em círculos New Age até um artigo de 1981 em uma revista UFO australiana, que foi posteriormente reeditado na revista Nexus onde alegam que o cinturão de fótons orbita ao redor das Plêiades.

    Quanto aos fótons, a luz é formada por um grande número de fótons. que são ao mesmo tempo uma partícula elementar mediadora da força eletromagnética, e o quantum da radiação eletromagnética. Fótons são bósons e possuem Spin igual a um, assim como o glúon, o átomo de Hélio-4, e o bóson de Higgs.
    Por se tratar de uma partícula elementar que compõe a luz, que viaja em linha reta, seria necessário um gigantesco buraco negro para deformar a trajetória da luz e formar este anel circundando-o. Sem contar que deveria haver uma fonte de luz gigantesca para formar este dito anel.

    O fato evidente para a astronomia é a de que o Sistema Solar não está em órbita ao redor de nenhuma das estrelas das Plêiades, na realidade o Sol gira em torno do centro da galáxia e demora 26.000 anos para completar uma volta.
    Até hoje nenhum astrônomo detectou nenhum sinal da órbita desse cinturão de fótons, e não foi detectado qualquer efeito que possa ser atribuído a essa suposta “energia cósmica”.
    Além disso, agora o sistema solar está se afastando da constelação de Touro e, conseqüentemente, das Plêiades, e se dirige em direção à constelação de Hércules, ficando ainda mais difícil enterder essa teoria de cinturão de fotons.

    É triste quando divulgam notícias tão mirabolantes.

    • Completando e confirmando as informações corretas do colega Jarbas, faço as seguintes colocações:

      Plêiades não se trata de uma constelação, mas sim de um aglomerado de estrelas.

      Não confundam Paulo Otto Hesse com Ludwig Otto Hesse. O primeiro foi um escritor alemão e não astrônomo, como aparece no texto deste site. O segundo foi um matemático alemão, famoso pela contrução das matrizes Hessianas e por suas contribuições à geometria analítica e cálculo diferencial e nunca afirmou nada sobre o tal cinturão de fótons.

      Além disso, completando a afirmação do colega Jarbas, para que esse cinturão existisse, o imenso feixe de luz deveria estar colocado exatamente nas imediações do horizonte de eventos de um buraco negro, circundando-o a uma distância igual ao raio de Scwarschild do centro do mesmo, o que é extremamente improvável. E não me venham dizer que pode existir um buraco negro nas Plêiades com essas características, pois um buraco negro em meio a um aglomerado estelar tornariam este último extremamente instável, devido à contínua acresção de matéria para o interior do buraco. Dessa forma, seria impossível a existência do aglomerado de Plêiades da forma como o observamos.

      Quanto ao texto da UFO australiana, na qual é mencionada a existência do cinturão, o artigo é de natureza completamente esotérica e sem nenhum rigor científico. Periódicos científicos sérios, como o “American Journal of Physics” (o qual já publicou trabalhos que renderam Prêmio Nobel a seus autores), jamais dariam crédito a um conjunto de especulações infundadas, como as publicadas na UFO australiana.

      Se querem evidências científicas, procurem em fontes confiáveis.

  48. x + x = x²

  49. tanto os que creem e os que duvidam podem estar certos, continuar vivo para participar dessas novas realidades é meu desejo e para isso medito bastante e pratico ações positivas quanto a tudo que emana vida em nosso planeta. espero receber noticias dos próximos acontecimrntos e descobertas.
    grato
    euler novaes

  50. Realmente a ciência prova tudo. Talvez falte à ciência a consciência de explorar os paradigmas criadas pela própria limitação da Ciência.
    Vejam nossa realidade totalmente condicionada e limitada pelas ciências. Manipular é a ordem do dia. Ciência politicas, Ciências economicas, Ciências militares, Ciência das crenças e Ciência da Mídia. Esta é a ciência que vivemos, a ciência da programação de humanos. Limitados em consciência somos programados por esta ciência que ai está a acreditar e criar uma realidade nestas ciências, pois a ciência do dominio e do controle manteem a Matrix, ativa e mantendo todos sobre controle. deem uma olhadinha no youtube pesquuisem (Derrame de consciência) ai verão o que relamente somos. E procure por David Icke ele irá abrir a mente daqueles que querem ver algo além da limitada e imposta ciência.

  51. Caro Alemmarinho,
    em nenhum momento dissemos que “Realmente a ciência prova tudo”. Isso seria de uma total irresponsabilidade de nossa parte. Como coloquei em um post anterior, estamos longe de resolver algumas questões fundamentais. Encontramos algumas encruzilhadas que se colocam devido à nossa limitação de conhecimento: Na Física, por exemplo, buscam-se as chamadas “teorias do tudo”, as quais procuram unir a teoria do microcosmo (Mecânica Quântica) e a do macrocosmo (Relatividade Geral). Esses modelos/teorias são essenciais para um conhecimento produndo e inovador da matéria. O modelo Cosmológico do “Big Bang”, por exemplo, carece de uma teoria unificada, já que falha quando tenta explicar os instantes iniciais de vida do Universo (principalmente nos instantes de tempo anteriores à chamada “era de Planck”). Mas esse é o grande e fascinante dilema propulsor do conhecimento científico. A história está repleta de grandes debates acadêmicos nos quais idéias e paradigmas antigos foram rompidos e substituídos por outros que se mostraram mais adequados à explicação da natureza (vide, por exemplo, as idéias de Aristóteles e de Newton). O mesmo pode ocorrer com o conhecimento que temos hoje. Nenhum conhecimento científico é estanque. Mas isso não nos dá o direito de sair afirmando absurdos de forma aleatória e irresponsável, como fez a autora do texto. Se quisermos dar embasamento científico às afirmações, busquemos nas fontes corretas e sejamos rigorosos. Dizer que “o Sistema Solar gira em torno de Alcione” e que essa foi a conclusão de, entre outros, Halley e Bessel, é um desrespeito e, no mínimo, um de-serviço prestado por grandes cientistas.

  52. porfavor se vcs que verem, este site e souberem da mais alguma coisa porfavor me informe sbre tudpo que vcs souberem.

    porque nos tempos de hoje eu acredito até que a vaca possa tucir!

  53. Segundo a ciência, estão corretas as afirmações de Mateus e Jarbas a respeito da origem e propriedades do fóton. Pode ser gerado tanto por uma aceleração de partículas (provocada por bombardeamento ou choque artificial, por exemplo), ou por uma mudanca orbital de um elétron, ou ainda pela desintegração, ou mudança ocasionada por uma instabilidade do núcleo gerando radiação corpuscular ou radiação eletromagnética. Ou seja, o fóton, além de possuir diferentes formas de origem, apresenta natureza dual, comportando-se vezes como partícula, vezes como onda, dependendo das circusntância em que se encontra.

    E no planeta terra conhecemos muito o fóton. São as partículas ou ondas (dependendo da situaçnao, como já foi dito) que compõe a luz.

    Chega até nós durante o dia pelos raios solares, à noite pelo reflexo da lua, pelos postaes na rua e dentro de casa nas lâmpadas, microondas, etc etc etc.

    Mas algo me deixou intrigado a respeito das afirmações de Jarbas e Mateus sobre a necessidade de um buraco negro para que houvesse gravitação dos fotons, formando assim um disco como pretendem os textos esotéricos (ainda sem visualização ou comprovação científica).

    Portanto, como leigo, pergunto aos doutos:
    – a luz não é desviada por um campo gravitacional?

    Não teria o centro das plêiades massa suficiente para atrair uma quantidade significativa de fótons para o seu campo gravitacional?

    Não sei se entendi direito as teorias de Einstein, mas lembro que a teoria geral da Relatividade só foi comprovada quando viu-se de um avião uma curva descrita pela luz em função de sua atração pela gravidade do planeta.

    Ou seja, ao que me parece, os fotons descrevem uma trajetória retilínea, mas depois de levar em conta a curvatura do espaço/tempo.

    Temos que pensar que Einsten não se valeu da geometria plana (euclidiana) para traçar sua teoria e sim da geometria de curvas (riemanniana), uma vez que o espaço é curvo e tudo gira em torno de centros gravitacionais maiores, dos satélites ao sol central, sempre descrevendo movimentos curvilineos, elípticos ou espirais.

    Portanto, independente da validade ou não do que propõe essa teoria exposta por Rita, minha pergunta para Jarbas e Mateus, é se seria possível haver uma gravitação de fótons em torno de Alcyone (onde já gravitam duas estrelas anãs) .

    A propósito, o que aprendi é que nosso sistema solar orbita em torno de Sirius (e não de Alcyone) e está localizado em Órion, um dos pequenos braços da espiral que gira em torno do centro da Via Láctea.

    E também, até onde sei, essa teoria de disco de fótons foi divulgado por um estudante em 1961 e essa teoria acabou ganhando importância quando publicada na revista Nexus em 1991.

    Esse estudante, segundo li, tornou-se físico e atualmente trabalha em uma usina nuclear. Mas isso não vem ao caso …

    Por outro lado, sou uma pessoa com bastante espiritualidade, tendo lido muitos livros do gênero e estudado diferentes correntes de conhecimento dito esotérico, quando ainda se dava a esse conhecimento o nome de ocultismo.

    E sabe-se que Hermes Trimegisto era Alquimista (a quimica derivou da alquimia como a astronomia da astrologia) e que Pitágoras estudou em Luxor (onde dizem terem ficado guardados segredos de Atlântida e de civilizações anteriores e onde Jesus Cristo esteve adquirindo parte de seus conhecimentos em algum momento daquele período em que ficou afastado – quando também esteve entre os essênios ).

    Portanto, minha espiritualidade indica-me que a humanidade pode mesmo ingressar numa era de mais sabedoria, uma era dourada, como já passou anteriormente em outras eras (sem comprovação, apenas uma intuiçnao reforçada por textos esoéricos) e sinto que esse momento está chegando. Mas isso depende de um trabalho interno, individual de cada um e não somente de contar com fatores extraterrenos.

    Acredito que nosso sol central é o nosso coração, o chakra cardíaco, alinhado ao sol do sistema solar e esse com Sirius que por sua vez está e alinhado a outro sol central de massa e energia superior e assim sucessivamente.

    Foi um alento ter conhecido os trabalhos dos físicos Fritjoff Capra e Edgar Allan Wolfe, por exemplo, que nos possibilitam através do amor e da imaginação complementar aquilo que a ciência vem descobrindo.

    Por outro lado, para manter meu espírito crítico às vezes leio Nietzche e recentemente o livro do físico brasileiro Marcelo Gleiser que contesta a teoria unificada do todo e que propõe mais responsabilidade no aqui agora de nosso planeta, por ser ele, provavelmente, o único com vida inteligente no universo.

    Contraditório? Sim.
    E se não fosse desse modo não seria interessante.
    O resto é doutrina!

  54. Segundo a ciência, estão corretas as afirmações de Mateus e Jarbas a respeito da origem e propriedades do fóton. Pode ser gerado tanto por uma aceleração de partículas (provocada por bombardeamento ou choque artificial, por exemplo), ou por uma mudanca orbital de um elétron, ou ainda pela desintegração, ou mudança ocasionada por uma instabilidade do núcleo gerando radiação corpuscular ou radiação eletromagnética. Ou seja, o fóton, além de possuir diferentes formas de origem, apresenta natureza dual, comportando-se vezes como partícula, vezes como onda, dependendo das circusntância em que se encontra.

    E no planeta terra conhecemos muito bem o fóton. São as partículas ou ondas (dependendo da situação, como já foi dito) que compõe a luz.

    Chega até nós durante o dia pelos raios solares, à noite pelo reflexo da lua, pelos postes na rua e dentro de casa nas lâmpadas, microondas, etc etc etc.

    Mas algo me deixou intrigado a respeito das afirmações de Jarbas e Mateus sobre a necessidade de um buraco negro para que houvesse gravitação dos fotons, formando assim um disco como pretendem os textos esotéricos (ainda sem visualização ou comprovação científica).

    Portanto, como leigo, pergunto aos doutos:
    – a luz não é desviada por um campo gravitacional?

    Não teria o centro das plêiades massa suficiente para atrair uma quantidade significativa de fótons para o seu campo gravitacional?

    Não sei se entendi direito as teorias de Einstein, mas lembro que a teoria geral da Relatividade só foi comprovada quando viu-se de um avião uma curva descrita pela luz em função de sua atração pela gravidade do planeta.

    Ou seja, ao que me parece, os fotons descrevem uma trajetória retilínea, mas depois de levar em conta a curvatura do espaço/tempo.

    Temos que pensar que Einsten não se valeu da geometria plana (euclidiana) para traçar sua teoria e sim da geometria de curvas (riemanniana), uma vez que o espaço é curvo e tudo gira em torno de centros gravitacionais maiores, dos satélites ao sol central, sempre descrevendo movimentos curvilineos, elípticos ou espirais.

    Como tudo é curvo, nem sempre a menor distância entre dois pontos é uma reta. Pode muito bem ser uma curva (vide geodésica).

    Portanto, independente da validade ou não do que propõe essa teoria exposta por Rita, minha pergunta para Jarbas e Mateus, é se seria possível haver uma gravitação de fótons em torno de Alcyone (onde já gravitam duas estrelas anãs) .

    A propósito, o que aprendi é que nosso sistema solar orbita em torno de Sirius (e não de Alcyone) e está localizado em Órion, um dos pequenos braços da espiral que gira em torno do centro da Via Láctea.

    E também, até onde sei, essa teoria de disco de fótons foi divulgado por um estudante em 1961 e essa teoria acabou ganhando importância quando publicada na revista Nexus em 1991.

    Esse estudante, segundo li, tornou-se físico e atualmente trabalha em uma usina nuclear. Mas isso não vem ao caso …

    Por outro lado, sou uma pessoa com bastante espiritualidade, tendo lido muitos livros do gênero e estudado diferentes correntes de conhecimento dito esotérico, quando ainda se dava a esse conhecimento o nome de ocultismo.

    E sabe-se que Hermes Trimegisto era Alquimista (a quimica derivou da alquimia como a astronomia da astrologia) e que Pitágoras estudou em Luxor (onde dizem terem ficado guardados segredos de Atlântida e de civilizações anteriores e onde Jesus Cristo esteve adquirindo parte de seus conhecimentos em algum momento daquele período em que ficou afastado – quando também esteve entre os essênios ).

    Portanto, minha espiritualidade indica-me que a humanidade pode mesmo ingressar numa era de mais sabedoria, uma era dourada, como já passou anteriormente em outras eras (sem comprovação, apenas uma intuiçnao reforçada por textos esoéricos) e sinto que esse momento está chegando. Mas isso depende de um trabalho interno, individual de cada um e não somente de contar com fatores extraterrenos.

    Acredito que nosso sol central é o nosso coração, o chakra cardíaco, alinhado ao sol do sistema solar e esse com Sirius que por sua vez está e alinhado a outro sol central de massa e energia superior e assim sucessivamente.

    Foi um alento ter conhecido os trabalhos dos físicos Fritjoff Capra e Edgar Allan Wolfe, por exemplo, que nos possibilitam através do amor e da imaginação complementar aquilo que a ciência vem descobrindo.

    Por outro lado, para manter meu espírito crítico às vezes leio Nietzche e recentemente o livro do físico brasileiro Marcelo Gleiser que contesta a teoria unificada do todo e que propõe mais responsabilidade no aqui agora de nosso planeta, por ser ele, provavelmente, o único com vida inteligente no universo.

    Contraditório? Sim.
    E se não fosse desse modo não seria interessante.
    O resto é doutrina!

  55. Caro Antonio Villeroy,
    de forma bastante resumida e conceitual, a teoria da relatividade geral de Einstein nos dá uma nova interpretação quanto ao fenômeno gravitacional. Até o final do século XIX e início do século XX (mais precisamente até 1917, quando Einstein publicou seu trabalho sobre relatividade geral, sendo que a relatividade restrita já havia sido publicada por ele em 1905), o paradigma que a Física tinha sobre gravitação era o paradigma Newtoniano, o qual propõe que duas partículas massivas atraem-se mutuamente com uma força que é diretamente proporcional às massas e inversamente proporcional ao inverso quadrado da distância que as une e a força atua ao longo da linha que une as mesmas. Ou seja, Newton propunha uma “interação à distância” entre corpos com massa. Essa proposição, juntamente às 3 leis de Newton, permitiam deduzir as formas elípticas das órbitas dos planetas em torno do Sol e seus respectivos períodos, de forma consistente com as obervações de Kepler e Ticho Brahe, principalmente. No entanto, a teoria Newtoniana falhava ao ser aplicada, por exemplo, à órbita do planeta Mercúrio, cujo periélio apresenta uma precessão periódica. Várias explicações foram tentadas, sem sucesso. A explicação correta só veio com a Relatividade Geral. Essa teoria nos informa que a geometria do espaço e a passagem do tempo são alteradas pela presença de massa e energia no espaço. A equação de campo de Einstein (uma espécie de segunda lei de Newton no contexto da relatividade geral) relaciona a distribuição de massa e energia no espaço com os chamados coeficientes de métrica, os quais determinam as características geométricas do espaço. Quando resolvida, a equação nos dá as possíveis trajetórias que uma partícula pode percorrer nas proximidades da massa. Dessa forma, como todos os fenômenos ocorrem invariavelmente nesse espaço-tempo curvado pela distribuição de massa-energia, nem mesmo a luz é imune a isso. Portanto, mesmo tendo massa de repouso nula, a luz é afetada pela presença de campos gravitacionais, mas esse efeito só é mensurável para campos intensos. No caso de estruturas como os buracos negros, o campo gravitacional é extremamente intenso e a geometria do espaço-tempo faz com que qualquer partícula (seja ela massiva ou não, como a luz) que passe próximo de suas imediações (o raio característico de um buraco negro – também chamado de horizonte de eventos – é calculado pelo chamado “raio de Schwarschild”) seja tragada para o interior do buraco. Evitar essa acresção de material para o interior do buraco negro é tão impossível quanto evitar nossa passagem temporal para o futuro! A luz só viaja em linha reta na ausência de campos gravitacionais fortes. No caso das Plêiades, é impossível um feixe de luz gigantesco (como proposto pela “teoria” do cinturão de fótons) orbitar uma estrela, com Alcione, ou um conjunto delas. A massa não é suficiente para tal. E mesmo se houvesse um buraco negro em Plêiades, esse aglomerado seria extremamente instável e suas características obervacionais seriam completamente diferentes às que detectamos. Por exemplo, veríamos uma imensa emissão de raios-X vindos do aglomerado, devido à acresção de massa para o interior do buraco negro, mas isso não é obervado. A idéia do cinturão de fótons é inconsistente e de natureza esotérica, não tendo embasamento científico. Espero ter esclarecido um pouco de suas dúvidas.

  56. ao amigo mateus, gostaria de dizer pra tomar cuidado quando ele fala a palavra impossivel,não sou fisico e nem tenho qualquer gabarito pra discutir fisica com o prezado amigo, mas ele deve mesmo saber que coisas consideradas impossiveis na ciencia,seja na física ou na medicina que é o meu campo, hoje ja são possiveis, a ciencia esta sempre mudando seus conceitos.

    • Com certeza, João Henrique. Concordo com você. O conhecimento científico não é estanque, afinal de contas, foram justamente as contradições e os erros de modelos teóricos anteriores que foram, ao longo do tempo, consolidando as idéias que temos hoje. Nos posts anteriores, eu coloquei as impossibilidades de certas afirmações à luz do conhecimento teórico e, principalmente, experimental que temos hoje. Afinal, a Física é uma Ciência essencialmente experimental. O que estou criticando desde o início é o fato de a autora do texto ter se utilizado, de maneira completamente equivocada, do conhecimento científico que temos hoje. Se queremos usar tal conhecimento para justificar as afirmações, devemos fazê-lo de maneira correta, e não com especulações infundadas.

  57. depois de teantos comentarios bacanas sobre tudo,fico feliz em saber que tudo vai dar serto,que venha sobre nós a verdade!!!!!

  58. …Sempre achei que o sistema solar gira em torno de alguma constelação, dentro de um dos braços da nosso galáxia; este é que gira em torno do centro da via láctea. Portanto fico contente em saber que mais alguém acredita nisso também. Portanto, sendo um curioso em várias dimensões, como disse meu filho mais velho (um verdadeiro cientista, meu GURU), também tenho o direito de opinar e discordar, já que em assunto que ninguém domina, pode-se entrar de qualquer lado, estando certo ou errado. Quem poderá julgar o que é certo?

  59. Caríssimos irmãos! Paz em Cristo-Jesus.
    Lembremos, inicialmente que Jesus, o Mestre Incomparável havia afirmado aos seus discípulos amados que não se tubassem os seus corações. Que eles cressem , primeiramente em Deus: Inteligência Suprema e Causa Primeira de Todas as Coisas ( o que existe no Universo Físico e Espiritual), e em seguida, também Nele – Que trouxera os ensinos Superiores da Boa Nova(Evangelho), pois, como Ele afirmara, há muitas moradas na casa(o Universo) do Pai(Deus) se assim não fosse Eu já volo teria dito, pois me vou para vos preparar o lugar (Esferas das Luzes Imarcesiveis – Além do plano da compreensão Subjetiva Humana). Depois que me tenha ido (Após sua crucificação e Ressurreição – Vida Espiritual na sua Plenitude como Espírito Puro como Ele – Jesus, é) e que vos preparar o Lugar (Espiritualidade Superior – onde supostamente é chamado de Céu para simbolizar o local da existência de Seres Purificados na Dor e no Sofrimento, que pelos Sacrifício e Renúncia das Paixões Terráqueas conseguiram alcançar a Consciência Cósmica da Vida, despojaram que foram de tudo aquilo que é contrária as práticas das Virtudes e Lei de Amor), voltarei e vos retirarei para mim (para o seu doce convívio nas esferas mais evoluídas – onde a sociedade é mais sadia e regida pela Civilização do Amor), a fim de que onde eu (Jesus Cristo) estiver (Espiritualidade Excelsa), também vós aí estejais.(S. João, Cap. XIV, vv. 1 a 3).
    Conforme podemos ler nos apontementos do Apóstolo João, o evangelista Jesus detém em suas mãos compassivas os destinos do Homem na Terra. Sob sua tutoria espiritual acompanha-nos a nossa evolução e nos deu um roteiro seguro como bússola indicativa para alcançarmos a tão sonhada Felicidade para a Humanidade. Infelizmente, nós não estamos usando a ciência como ferramenta com sabedoria para esclarecer e libertar consciências, pois ela veio para revelar a verdade e expandí-la ao infinito para que o Homem se dê conta que ele ainda nada sabe. Por isso o eterno investigar, pesquisar, averiguar, demonstrar, desmacarar a impostura de muitos que querem fomentar mentiras com o cunho da Verdade; nem a Filosofia como instrumental do eterno questionar, indagar, requestionar, pensar, meditar, refletir, avaliar, abstrair, julgar, reavaliar, repensar para se chegar, junto com a Ciência a responder questões sobre o porquê da vida, de onde viemos, para onde vamos, qual o meu objetivo em existir no Universo, o que eu sou; nem a Religião ( que liga o Homem a Deus), pois os conflitos criados pelo ser humano pela sede de poder e dominação geraram a permanência de seus semelhantes na ignorância para melhor dominá-los e corrompe-los.
    Por isso, a criação da fé cega e não raciocinada para melhor espalhar a dor, o sofrimento, os conflitos, as paixões animalizadas, o gosto pelo grotesco e sinistro, estimulando a hipertrofia do orgulho e do egoísmo, que são fatores de atraso do Progresso Humano.
    A Era Nova que se aproxima estava previsto, mesmo, desde prístinas eras. O fato de a Terra entrar no cinturão de fótons da Constelação de Alcíone não inviabiliza que o nosso Orbe seja levado a sensível mudanaças para melhor, pois o Homem tem sede de alcançar o melhor para o seu bem estar Moral e Espiritual.
    Todas nossas discussões são salutares tendo em vista o nosso melhor esclarecimento e progresso intelectual.
    Caminhemos com Jesus, usando a sabedoria que a Ciência, a Filosofia e a Religião da Consciência Cósmica nos propoorcionar utiliazando bem o nosso livre-arbítrio que é a nossa maior conquista da por DEUS.

  60. Realmente a explicação sobre o Fóton carece de um maior entendimento, como passo a expor:
    A luz foi sempre uma grande incógnita para o homem. No início dos tempos assim como até o século passado, a suposição era de que a luz viajava a uma velocidade infinita, era instantânea. Experiências realizadas por cientistas do século passado utilizando sistemas de espelhos posicionados a grandes distâncias permitiram mostrar que a luz se propagava com uma determinada velocidade finita. Começaram então a tomar forma pesquisas para se descobrir a natureza da luz. Experiências como a de Young permitiram afirmar que a luz era uma onda eletromagnética, pois nesta experiência a luz passava por uma fenda fina a apresentava o fenômeno da difração e interferência, fenômeno o qual apenas ocorre para ondas. No final do século passado no entanto, efeitos como o fotoelétrico mostravam um comportamento corpuscular da luz. Finalmente no início deste século, Einstein comprovou a dualidade onda-partícula da luz, dando o nome a partícula luminosa de fóton. Planck e Einstein, ambos prêmios Nobel, mostraram que a energia é quantizada, sendo enviada em pacotes de onda carregados pelos fótons, e um fóton possui a menor quantidade de energia existente. A energia de um fóton é calculada através da relação E=h, onde h é a constante de Planck (é a freqüência de oscilação da onda eletromagnética). A emissão de um fóton ocorre durante a transição de um elétron de um átomo entre dois estados energéticos diferentes, pois quando ele recebe energia ele passa de uma camada mais interna para uma mais externa do átomo, e quando ele retorna para seu estado original, ele emite a energia correspondente a esta diferença sob a forma de um fóton. Os fótons são partículas elementares que viajam com a velocidade da luz, e a massa deles existe apenas quando se movem à velocidade da luz, sendo sua massa teórica de repouso é igual a zero, pois de acordo com a Teoria da Relatividade, uma partícula que possui massa de repouso, ao atingir a velocidade da luz deveria ter uma massa infinita, o que é impossível. A energia de um fóton é incrivelmente pequena, como podemos ver pela energia média de um fóton cuja freqüência está dentro da faixa do espectro visível, energia que é igual a 4×1019 joules. No entanto, temos que uma lâmpada comum de filamento incandescente de 100 W de potência, emite cerca de 2,5×1020 fótons por segundo, o que faz com que a quantidade de energia transmitida seja significativa.
    “www.mundodoquimico.hpg.com.br”

  61. Só uma pequena correção, Haroldo: a energia do fóton vale E = hf, sendo h a constante de Planck e f a frequência de oscilação do fóton. No mais, está tudo correto.

  62. sinto em relatar que mateus nunca tera uma visao nova sobre todas as coisas como nossos pensadores mais antigos que estudavão e tiverao imaginação pra criar uma realidade melhor,mas garra e sabedoria é oque nao fauta so fauta IMAGINAÇÃO!!!!!!

    • Caro Marcos Monteiro,
      ter imaginação não nos dá a liberdade de publicar mentiras, como foi relatado no texto. Há limites de coerência para nossa liberdade de expressão e de pensamento, principalmente em se tratando de ciência.

      • Caro Mateus de Souza e ilustres defensores da nossa ainda jovem física. Entendo que a explicação da autora do texto sobre a origem do fóton não é de um técnico da área, mas nem tão pouco a sua. Dizer que que o fóton simplesmente surge da aceleração de determinadas partículas não convence, dado a afirmação que no mundo nada se cria tudo se transforma (qualquer leigo conhece essa frase). Você deveria ser mais claro e conciso nas suas afirmações ao invés de replicar simplesmente o que lê em livros técnicos de física para se valer dono da verdade (é isso mesmo que você está fazendo). A física antes de mais nada não está acima da lógica e da inteligência humana, haja visto que na minha opinião a teoria da dualidade partícula-matéria foi a confissão dos físicos de que eles se perderam, porque ou é partícula ou é onda, não tem como ser as duas coisas ao mesmo tempo, não precisa ser formado em física para saber isto. E estão até hoje sem resposta para isso (ou não aceitam outra teoria em que tudo são ondas que concentrada tem aspecto de partícula). O que quero dizer é que você não é o representante da verdade em nome dos físicos para vir aqui e chamar os outros de mentirosos. Seria mais nobre se vieste com o intuito de acrescentar conhecimento, mas ao invés disto, perde alguns minutos lustrando sua própria vaidade.

  63. Embora não se tem dado atenção para o pequeno relato que humildemente se publicou neste site, em 27 DE JANEIRO DE 2011 as 17:44, a primeira notícia que se tem sobre a luz na Terra está contido na Bíblia, que é considerado o Livro dos livros, no Cap. I do Livro do Gênesis versículos 1 a 5. Observa-se, nesses versículos Bíblicos que o Pensamento Divino antecede o aparecimento da Luz, pois Ele primeiro concebe a Luz, como oposição a escuridão ou treva, para poder materializá-la, Ele a havia concebido antes para que ela pudesse existir. Logo, a existência da Luz é posterior ao Pensamento Divino. Portanto, se Deus concebeu primeiro a Luz em sua Mente para que Ela começasse a existir é por que o pensamento antecede a existência da Luz. Por extensão do raciocínio pode-se afirmar que se a Luz visível tem velocidade Limite, no Universo material, de 300.000Km/s, então a velocidade do pensamento deve ser maior do que a da Luz. Daí, depreende-se que Deus é inteligência Suprema e Causa primeira de todas as Coisas, inclusive a da existência da Luz. Antes que o Homem pensasse a Luz sempre existiu, existe e existirá a despeito de ele saber ou não sobre sua constituição. As primeiras noções sobre a constituição ou natureza íntima da Luz veio com as equações de James Clerck Maxwell quando definiu, matematicamente, que a Luz seria uma onda eletromagnética e calculou sua velocidade máxima no Universo Material. Ele não sabia se a Luz era composta por grânulos corpusculares ou se ela realmente era uma onda em si. Coube a Max Planck desvendar esse mistério descobrindo que a Luz, nao era um espectrum continum com havia concebido Newton, Leibnitz e, posteriormente, Maxwell. Mas, Albert Einstein ao analisar os trabalhos de Planck, percebeu que o Efeito Fotonelétrico, cuja equação é bastante simples, explicava a natureza da Luz com discretizada e não um continum como os estudiosos haviam concebidos anteiromente. Para se saber qual seria a essência primeva da Luz, foi preciso analisar os efeitos das ondas de Raios-X que Compton observou quando bombardeou uma grade cristalina da matéria e observou o efeito de recuo que ele provocava. Estava aí a primeira descoberta que a Luz poderia ora se comportar como partícula ou, ora como onda. Aparece no cenário científico a figura de De Broglie para propor uma simples equação, que leva seu nome, para justificar as equações de Planck e Einstein como que explicando a natureza dual da luz que é onda-partícula. Vê-se que com essas primeira indagações sobre a natureza da Luz se era composta por partículas ou ondas. Daí criou-se em torno do fóton que seria um pacote de onda-partícula. Vemos, desse modo que o fato de a Luz ser composta de partículas luminosas ou ondas de matéria quintessenciada não invalida de ela ter sido criada pela natureza, que sua por sua vez foi criada por Deus.

  64. Caro Sandro Araújo,
    Caso você queira, podemos elevar o nível da discussão lançando mão de argumentos mais formais e quantitativos, como as equações de propagação de onda eletromagnética que surgem naturalmente das leis de Maxwell do eletromagnetismo. Poderíamos falar sobre os potenciais de Liénerd-Wiechert que provam e descrevem de forma precisa, como você está pedindo, o processo de geração de ondas eletromagnéticas mediante a aceleração de cargas elétricas. Você acha que a frase “no mundo nada se cria tudo se transforma” é um argumento favorável ao texto, o qual afirma que os fótons surgem da fragmentação do elétron. Muito bem, vou repetir o que relatei em um post anterior, para ver ser você consegue pensar um pouco: Se cada fóton surgisse da fragmentação de um elétron, não haveria possibilidade da existência de matéria eletricamente neutra no Universo, já que todos os átomos emitem fótons nos processos de oscilação e relaxação para níveis menos energéticos. Sem matéria neutra, não há estruturas estáveis, como moléculas e, portanto, não há vida. Não estou simplesmente replicando o que está escrito em livros técnicos. Quatro anos de graduação em Física e dois anos (em andamento) de pós-graduação me obrigam a apontar os absurdos e mentiras relatados pela autora do texto. Escrever que Halley concluiu algo sobre a órbita da Terra em torno de Alcione é uma afronta inaceitável a um dos maiores nomes da Astronomia. Não se trata de uma questão de vaidade, mas sim de compromisso com o conhecimento. Se você não concorda, procure estudar mais. Quanto à dualidade onda-partícula, guarde para você a opinião de que “não tem como ser as duas coisas ao mesmo tempo”. Recomendo-lhe ler sobre o princípio da incerteza de Heisenberg, sobre o postulado de de Broglie ou mesmo sobre os experimentos de espalhamento de raios-X e de difração de elétrons. Ao ler, você aprenderá que, ao incidirmos um feixe de elétrons sobre uma fenda dupla, diante de um anteparo, produzimos um padrão de difração idêntico ao padrão gerado quando incidimos luz, o que evidencia o caráter ondulatório das partículas. Ao incidirmos fótons sobre uma tira metálica, “ejetamos” elétrons de sua superfície, gerando uma fotocorrente elétrica. Tal fenômeno é conhecido por efeito fotoelétrico e evidencia o caráter corpuscular da luz (tal interpretação redendeu o prêmio Nobel a Einstein). Como você mesmo disse, a física “não está acima da lógica e da inteligência humana”. Ela é, justamente, um produto dessa lógica e dessa inteligência e está em constante aperfeiçoamento. É em nome desse conhecimento que publiquei esses comentários, a fim de servirem de alerta aos que leram o texto da página e acreditaram cegamente em tudo o que foi relatado. Não coloco em questão a espiritualidade e as convicções filosóficas, mas sim os absurdos escritos. É evidente que esse espaço é curto demais para termos uma discussão aprofundada, envolvendo os argumentos qualitativos, quantitativos e experimentais que compõe o conhecimento de Física que temos hoje. Mas acho que algumas pessoas, como você, ao perceberem seu desconhecimento sobre um dado assunto, sentem-se incomodadas e tentadas a acreditar naquilo que lhes parece mais conveniente, ao invés de tentar aprender. Estou dando uma contribuição muito maior que você, o qual se presta a vir aqui e corroborrar, de forma completamente irresponsável, incoerente e sem conhecimento, um conjunto de afirmações infundadas. Limite-se a aprender um pouco para poder discutir.

    • Corrigindo uma de minhas frases, “(tal interpretação RENDEU o prêmio Nobel a Einstein)”

      • E só uma última coisa: a física quântica que você tanto critica, a qual tem como um de seus pilares o princípio da dualidade onda-partícula, permitiu, dentre outros dispositivos, a criação dos chips de silício com circuitos integrados e o desenvolvimento dos microprocessadores e, sem os quais você não estaria usando seu computador para publicar seu comentário. Se você aprendesse Física, saberia disso.

  65. Caro mateus de souza ,parabens pela vossa inteligencia e conhecimento cientifico.
    Para mim uma coisa so interessa : a transformação . E oq a autora quer traduzir é isso.((A ordem dos fatores nao altera o produto)).A energia transformadora ocasionada ,acarretara´ à mudança.
    Amém !

    • Caro batistone,
      obrigado. Meu objetivo aqui é simplesmente alertar as pessoas quanto ao conhecimento científico correto e incentivar todos a buscá-lo. Não digo que a verdade científica é absoluta, perfeita e imutável. Muito pelo contrário. São justamente as contradições e quebras de paradigma que nos fazem evoluir e, acima de tudo, pensar. Mas isso não nos dá a liberdade de sair afirmando qualquer coisa aleatoriamente. Vamos ter cautela ao veicularmos e analisarmos um texto.

  66. Prezado Mateus,
    No dia 11/09/10 o “Jarbas” postou a seguinte informação: “…O Sol gira em torno do centro da galáxia e demora 26.000 anos para completar uma volta”; e voce em resposta complementar às afirmações dele não discordou!
    Bom! Eu li em um post de outro site que: “O Sistema Solar completa uma órbita em torno do centro da Via Láctea a cada 225-250 milhões de anos terrestres”.
    Qual das afirmações esta correta? A resposta será de grande valia…
    abraços.

    • Caro Lúcio Flávio,
      uma estimativa do período orbital do sistema solar em torno do centro da galáxia é feita por Carroll & Ostlie (2007). O valor calculado é 230 Milhões de anos. O cálculo é feita levando-se em conta um raio orbital de 8.000 parsecs (algo em torno de 29.000 anos luz de distância ao centro galáctico) e uma velocidade de 220 Km/s. Espero ter ajudado. Abraço

      • Caso seja de seu interesse, informações adicionais sobre nossa galáxia podem ser encontradas no excelente livro “An Introduction to Modern Astrophysics”, dos autores Bradley Carroll e Dale Ostlie. Há versões eletrônicas disponíveis para download na internet.

  67. Sabe, gosto de estudar e aprender cada vez mais. Passando, normalmente ou naturalmente, pelos bancos de uma escola (minha mãe achava q só melhoraríamos de vida se estudássemos), não dei muita importância ao q aprendia. Eu tinha q decorar a matéria para fazer prova e passar de ano e era só isto q eu pensava. Um dia caiu em minhas mãos o livro “Uranie – de Camille Flammarion” e devido a época em q foi escrito, passei a valorizar + meu conhecimento científico. “Uranie” é um livro incrível. Na 1ª parte narra uma viagem espiritual e sendo kardecista, amei isto, principalmente por ter adquirido esperiências nesta área. Depois ele narra uma vida q sua amada seguiu (em dimensões mais sutis) q tbém pude constatar a existência em espírito. E em espírito passei por experiências incríveis para mim e fui entendê-las muito mais qdo li “fenômeno Ufo – de yehosua”. (desde os meus vinte anos eu ouvia as histórias q eram narradas por um dirigente espírita mas só pude lê-las na livro q mencionei). Sei q a ciência é muito importante, mas ela, passando a ser aliada a outros conhecimentos, passa a ter outra amplitude cujo satisfação é uma coisa pessoal, única. Peço q leia os livros q citei. Sinta a vida da matéria em todas as suas dimensões e só assim passará a sentir uma satisfação intima em vc (= será ímpar). Não há como descrever estas coisas pois só são possíveis senti-las. Mas o conhecimento abre a mente e o seu coração será a chave para viver outras vidas dentro da que lhe foi permitido dentro do corpo q o comporta.
    Abraços, abraços e abraços
    Fiz-me muitas para q vc sinta que seu caminho não está errado, só o seu ângulo de visão deve ser direcionado pelo coração. Ame tudo o q estudar e poderá sentir o conhecimento dentro do seu coração e sua alma.
    Miriam.
    Tenho alguns resumos de livros (= fenômeno Ufo), caso seja do seu interesse, mande-me seu endereço eletrônimo.
    Abraços.

  68. gostaria de receber mais informações sobre esse assunto e outros do gênero.

    • Caro Euler, após o texto inicial, deixei 3 outros (sinopse) denominados respectivamente de “Mensagens do Astral -Ramatis’ , ‘Ufo- fenômeno de contato, de Yehoshua Ben Nun’ e ‘Discos voadores – Ramatis’. Tenho certeza q será uma leitura muito agradável para vc. E, no livro “Ufo- fenômeno de contato’, há inúmeros casos citados e comentados q não nos dá margem para qualquer tipo de dúvida de q não estamos sózinhos neste universo q não foi feito apenas para agradar aos nossos olhos humanos…
      Boa leitura e… abraços fraternos.

  69. universo sem fim…

  70. A afirmação acima não faz o menor sentido, e os astrônomos que a publicaram compraram seus diplomas no Paraguai.

    Como é possível que o Sol, que existe há 4,5 bilhões de anos, orbite Alcyone, que se formou no máximo há 300 milhões de anos? E mais, esta estrela está a 450 ou 500 anos-luz de nós, o que faria com que a órbita em torno de Alcyone medisse 1000 anos-luz de diâmetro e sua circunferência, mais de 3000 anos -luz de comprimento. Pra percorrer esta distância em 26 mil anos, segundo informa o autor do texto acima, nosso sistema solar teria de viajar a uma velocidade de 35 mil quilômetros por SEGUNDO, o que é 12% da velocidade da luz! A essa velocidade, a posição das estrelas do céu mudaria durante o tempo de vida de um humano, e simplesmente não faria sentido falar em constelação disso ou daquilo!
    Pra finalizar, se as pessoas acima fossem mais espertas, teriam inventado que o Sol orbita Sírius, a apenas 8 anos-luz daqui, ou Arcturus, distante 33 anos-luz.

    • Caro Marcelo,
      o pior, na minha opinião, não são as incoerências do ponto de vista dos números (o que, por si só, já invalida as “informações” do texto). Para mim, o inaceitável é usar os nomes ilustres de Bessel e Halley para tentar corroborar o que foi escrito e ainda afirmar que eles chegaram a essas “conclusões” depois de “cálculos minuciosos”. Isso sim é um abuso. Mas, de qualquer forma, cada um acredita naquilo que acha mais conveniente.

    • Marcelo, quero q leve em consideração q os estudos relacionados aos astros se baseiam em análises, estudos e deduções lógicas. Quem estuda ou estudou ciências exatas sabe q a trajetória de um astro pode ser matemáticamente calculada. No meio em q me situo, discute-se muito sobre tudo. E, como me localizo dentro de idéias reencarnacionistas, o foco de tudo é a evolução do espírito. E junto, vc pode considerar q o espírito anima uma matéria formada por átomos e q, + cedo ou + tarde, teremos q devolver nosso universo físico. Assim, há estudos principalmente relacionados a desdobramentos (=o espírito sai do corpo) e quem consegue vislumbrar o universo energético q nos cerca, volta ao corpo e narra imagens maravilhosas. Muitos não aceitam q é possível uma liberdade assim. No passado, creio q outras pessoas tbém conseguiram vislumbrar imagens não detectada pelos sentidos físicos (e muito menos por equipamentos q não existiam) e daí fizeram tantas profecias. Vemos João no livro Apocalipse (Biblia Cristã) q viu acontecimentos q lhe foram mostrados (ler parte 1- Uranie – de Camillle Flammarion, q vc entenderá melhor). Vc fala q o Sol orbita Alcione, etc. Creio q a confusão está na divulgação de estudos mais completos. O q gostei no Sr Mateus de Souza foi o fato de tentar esclarecer com estudos mais recentes. Agora lembre de uma coisa: sua dúvida é a mesma de inúmeras outras pessoas. Mas acho q é uma dúvida relacionada a tentar entender melhor o mundo q nos cerca. E isto é muito importante em nós pois estamos deixando de olhar só para o chão, estamos erguendo a cabeça e questionando o q vemos lá em cima. Amei quando fiquei sabendo q as estrelas q vemos fazem parte do braço de orion (da Via Láctea). Olha q chique: braço de orion. Lindo o nome, não é? UMa coisa tenha certeza: nosso planeta Terra já foi o centro do Universo, depois o Sol passou a ser o centro do Universo. E hoje, pode-se ouvir em qualquer esquina q ninguém sabe onde é o centro do Universo. Na Natgeo assisti um vídeo onde a teoria do Big Ben é colocada em julgamento e a sentença é q estão esperando q uma coisa mais lógica apareça. Só q até lá, os estudantes terão q estudar a teoria BB. E teoria quer dizer opinião (=isto é diferente de certeza) Aqui comigo estou pensando quem será o gênio(temporário?) de uma nova teoria. Uma coisa é certa: nosso Sol gira em torno de um núcleo, pois, matematicamente sua órbita é elíptica (=forma de um ovo), vemos na wikpédia:Big Bang é a teoria cosmológica dominante do desenvolvimento inicial do universo . … termodinâmica , porém obedecem a uma trajetória centrífuga. …
      O Sr Mateus q me pedoe (e não sei se ele concorda comigo) mas creio q a teoria do BB foi pra ocupar um lugar vago, ou seja, hoje se tem explicações pra tudo até q apareça prova ou explicação melhor. Conclusão hilária: Sr Marcelo a melhor maneira de comprovar quem gira em torno de quem ou do que, poderia ser a dos reencarnacionistas? Nosso espírito tem q sair do corpo, fazer uma viagem incomum e verificar o q tá acontecendo com aqueles astros lá no alto?…
      E aí, Sr Marcelo? Concorda comigo?

    • Caro Marcelo, eu acredito q dentro de nossa euforia quando estamos tratando de determinado assunto, conseguimos cometer erros mínimos mas q conseguem nos comprometer. Olha o q entendi: nosso Sol esta localizado no Braço de Orion e q todas as estrelas q vemos estão dentro do Braço de Orion. Daí, nosso Sol pertence a um grupo de estrelas (constelação) q giram em torno de um centro.Na Wikipédia temos q nosso sol encontra-se a uma distância de 7,5 a 8,5 kpc (=25 a 28 mil anos-luz ) do centro da Via Láctea. E q completa uma órbita em torno do centro da Via Láctea a cada 225-250 milhões de anos. E q o sistema Solar possui uma velocidade orbital em torno do centro da galáxia de + ou – 251km/s (=isto faz com q ele leve cerca de 1,4 mil anos para percorrer um ano-luz).Quanto às Plêiades encontrei o seguinte: as plêiades são grupos de estrelas na Constelação de Touro facilmente visíveis a olho nu nos dois hemisférios (no inverno do hemisfério norte e no verão do hemisfério sul). E q as estrelas mais brilhantes do aglomerado de plêiades recebem o nome de: Electra, Celaeno, Taygeta, Maia, Merope, Alcione, Atlas, Pleione. Agora, existe muita coisa escrita e a ciência deve ser considerada de acordo com a sua época. Por exemplo, o cinturão de fótons (idéia q data do inicio do século XX) hoje poderia ser tido como um campo magnético mais forte? A observação dos pesquisadores depende muito dos instrumentos utilizados e da ciência alcançada, não é? Te conto q fiquei espantada quando vi a data em q foi escrito o artigo do cinturão de fótons pois eu recebi uma cópia como se fosse algo de uma descoberta recente. Por isto me interessei em ler as opiniões do Sr. Mateus de Souza pois, segundo ele, está pesquisando e concluindo uma pós-graduação (será q já terminou?) Digamos q estou tentando ver nele algo como sendo a nata do q seja o mais novo, entende? Daí, absurdos à parte, acredito q todo o conhecimento é válido. E, no mais, se estamos estudando um assunto, creio q os disparates aconteceram também na medicina, na engenharia, etc. e q coube aos estudiosos aproveitarem o q tinha de melhor para q o aprimoramento da medicina, engenharia, etc, acontecesse, não é? Então vmaos à luta! Pesquisar eis o q importa: o q é bom deve ser aproveitado e o q for ruim deve ser deixado de lado, não é? Abraços a todos!

      • Cara Míriam,
        as afirmações sobre a existência do cinturão de fótons, como você colocou, datam do início do século XX. As bases da teoria eletromagnética clássica que temos hoje (teoria essa expressa, basicamente, pelas quatro equações de Maxwell da eletrodinâmica) foram lançadas já no final do século XIX, com os trabalhos de Maxwell, Ampére, Faraday, Alexander Volt, dentre outros. Ou seja, a eletrodinâmica clássica que estudamos e aplicamos hoje é a mesma que foi desenvolvida naquela época. Daí não podemos afirmar que a idéia da existência do cinturão de fótons é consequência do conhecimento que tínhamos àquela época. O conhecimento que temos hoje, do ponto de vista do eletromagnetismo clássico, é o mesmo. O que temos de novidade em relação àquele período é a aplicação das leis do eletromagnetismo no estudo das partículas elementares, ao que damos o nome de “Eletrodinâmica Quântica”, cujas bases teóricas datam da década de 50, algo bastante recente. Quanto à sua pergunta, sobre se o cinturão de fótons “hoje poderia ser tido como um campo magnético mais forte?”, a resposta é: não. Os fótons surgem da complementaridade dos campos elétrico e magnético, e não somente do magnético. E, por razões colocadas em posts anteriores, não é possível que haja um conjunto de fótons orbitando uma estrela como Alcione. Abraços.

  71. Marcelo e Mateus,

    Vocês têm toda razão. Vejam mais esclarecimentos no link :

    http://www.conhecimentohoje.com.br/Pleiades_ea_novaera.htm

    Cyro

  72. O porque de tudo isso?

    Bem quem estuda Cultura Racional, sabe que desde 1935 a natureza mudou de fase energética, e essas mudancas de fase imprimiu na natureza e no universo um novo comportamento, que a humanidade precisa conhecer e se adapatar quer queira quer não queira…
    Tudo isso por que temos dentro de nossa cabeça mecanismos desconhecidos, que com essa mudanca de fase a humanidade desxara o velho pensamento concreto e a velha imaginação concreta, para usar novos sentidos que naturalmente vão ser ativos na raça Humana ou raça de Origem Racional.
    Depois destes eventos tudo ficará mais claro na conciência e conhecido para todos… Caso queira saber mais sobre isso leia o Livro
    UNIVERSO EM DESENCANTO

    • Caro amigo Mario, fico admirada ao ler tantos textos q falam em mudanças internas… Creio q vemos ou sentimos a necessidade de mudarmos nossa conduta para algo como sendo mais solidária ou mais fraterna, sei lá. Mas a lógica nos diz q nada cai do céu. Consulte qualquer livro de história e vc vai constatar q não há nenhuma informação, de qualquer evolução q seja (pré-história até aos dias de hoje) q fala q uma ciência ou conhecimento qualquer, caiu do céu. Tudo q vemos, usamos ou temos contato nos dias de hoje, se enquadra dentro de um processo evolutivo de pesquisa, testes, adaptações, etc. O q é difícil, na cabeça das pessoas, é aceitar o fato de q somente através de um trabalho conjunto é q as mudanças ocorrerão. Acho lindo falar q aconteceu uma mudança energética em nós humanos, ou será q não aconteceu em mim pois não li o seu livro ou não tenho contato com a cultura racional? Sabe, baseando na medicina atual, cuja base de conhecimento se concretiza em erros e acertos, o corpo humano permanece de certa forma dentro de algo normal, sem alterações visíveis q possam ser levadas em conta para se poder dizer q a natureza da evolução chegou a fazer alguma interferêncai evolutiva anormal. Sabe, tento, dentro de um limite racional, colocar na cabeças das pessoas q existem muitas informações e q estas nos colocarão em condições de realizarmos mudanças positivas significativas em nossa humanidade. A mudança de fase q vc diz, e q tá todo mundo dizendo por aí, seria algo tido como um positivismo exagerado em q fecho meus olhos para a realidade atual e fito o futuro, trazendo-o para o presente e, acreditando neste futuro q vejo aqui mas q ainda não chegou, e espero q todos acreditem e o apliquem em suas vidas? Acho q a ponderação deve ser colocada em prática, não? E, devemos saber q para o mundo se tornar melhor, devemos nos melhorar internamente e expandir nossa maneira de pensar e agir a todos q nos rodeiam?! Hã algum tempo, eu estava em um ônibus e tive a oportunidade de presenciar uma discussão entre filha e mãe, onde o tema era a volta q Jesus prometia aos seguidores dELE. A senhora idosa repetia q ela já era de idade mas q não aceitava o q o pastor falava pois q ressurreição era aquela q Jesus prometia? Q quando ele voltasse iria reviver os corpos de seus seguidores? Pois ela já era velha e não queria um corpo velho na ressurreição. E q os espíritas kardecistas estavam certos. A gente tem é q reencarnar pois q adiantaria ressucitar um corpo velho? E não era ela a única q pensava assim na igreja. Muita gente lá não quer voltar num corpo doente. O certo é isto mesmo: a gente nascer de novo para ter direito a uma vida mais saudável e feliz!
      Aí, a filha disse para ela parar de falar daquele jeito pois o pastor ficaria contrariado quando soubesse a opinião dela. Mas a senhora disse q não importava pois ela tava velha mesmo e a opinião dela não iria mudar: não quero ressuscitar velha e doente como estou. Eu quero é nascer de novo num corpo novo.!
      Sabe, Mario, na escola é ensinada q toda a matéria q existe é formada de átomos, inclusive nosso corpo. E q um dia, a matéria q forma nosso corpo estará gasta e será devolvida à natureza. E q na natureza tudo é reciclável. Ou seja, o átomo q forma seu corpo hoje, já fêz parte de outro corpo no passado e q no futuro, ao sair de um corpo, irá pertencer a outro. – Sabe qual a conclusão lógica? Ressurreição da forma como é entendida não existe. Jesus pregou Há 2000 anos. Agora pense nisto: e os corpos daqueles q morreram naquela época e em outras posteriores? Como vão ressuscitar? Os átomos q formaram aqueles corpos, passaram a fazer parte de outros. Assim, se a ressuscitação vai trazer de volta um corpo q morreu há mil anos, por exemplo, e os átomos q formavam aquele corpo já fazem parte de outros corpos, os corpos novos serão delacerados para q os corpos antigos sejam ressuscitados?
      Conclusão lógica: a ressurreição da forma como é pregada não existe. Agora, o nascer de novo é uma coisa lógica pois a reencarnação nos faz entender isto. E mais, a Natgeo apresentou uma matéria onde dizia q, na época de Jesus, cujo vocabulário era mais restrito do q nos dias de hoje, para falar de ressurreição ou reencarnação, eles se utilizavam da mesma palavra. Imagine falarmos de manga. Fruta? Ou parte de uma blusa? Entendeu? Talvez vc pergunte onde quero chegar, não é? O ponto culminante é: conhecimento e trabalho. Nada vai mudar se a mudança não operar dentro de nós. E mais, é com ensinamentos, exemplos, divulgação e ensinamentos é q as mudanças ocorrerão em nosso meio de convívio.
      Vc acredita q já parei na delegacia por causa de brigas em sala de aula? A turma ficou dividida. Um grupo era de uma igreja e o outro era de outra. O motivo é q o pastor de uma das igrejas pregou q as pragas do Egito iriam acontecer aqui em BH. Um grupo acreditava e o outro escarnecia. Daí, vinham em uma discussão ferrenha desde o primeiro horário (minha aula era no terceiro horário). E mais, nada parava a briga. Final da história: uma mãe foi até a delegacia e registrou queixa contra as professoras. Acredita nisto?
      E até hoje não consigo engolir q parei (eu e mais duas outras professoras (inglês e história)) numa delegacia por causa de pregações, numa igreja, q norteavam ignorância e fanatismo. E o mais absurdo é q tudo foi parar dentro de uma escola. E nós professores temos q nos adaptar a um domínio restritivo para q um conhecimento cientifico possa ser transmitido às gerações q estão chegando para nos substituir no nosso planeta. Moral da história: o conhecimento está sendo repassado mas as pessoas preferem sofrer limitações e serem controladas por elas no lugar de pensarem. Quero q pense numa coisa: uma mudança não vai acontecer porque alguém falou q aconteceu. Uma mudança tem q ser trabalhada, aplicada, sentida, vista, ok!
      Abraços e tudo de bom!

  73. Gostaria de saber mais sobre esse assunto. obrigada

    • Cara Míriam,
      a teoria do Big Bang, ou modelo do “Estrondão Quente”, foi proposta na década de 1920, com os trabalhos de Georges Lemaitre, Alexander Friedmann e Wilhem de Sitter. Os trabalhos desses três brilhantes teóricos foi baseado em um artigo de Einstein de 1917. Nesse artigo, nomeado “Considerações Cosmológicas da Teoria da Relatividade Geral”, Einstein aplica suas equações de campo (as quais descrevem o fenômeno gravitacional do ponto de vista da geometria do espaço-tempo) ao Universo como um todo, visando a deduzir, matematicamente, suas propriedades geométricas e sua evolução temporal. As soluções das equações apontaram para a possibilidade de um Universo dinâmico, em expansão ou contração, dependendo da distribuição de massa e energia em escalas cosmológicas. De fato, naquela época, não havia observações astronômicas suficientemente precisas que fossem capazes de corroborar a idéia de um Universo dinâmico. Dessa forma, Einstein introduz a chamada constante cosmológica. Essa constante entra nas equações e leva a soluções estáticas, de acordo com o pensamento da época. Mais tarde, em meados da década de vinte, Edwin Hubble, trabalhando no observatório Monte Palomar, descobre que a luz de estrelas distantes apresenta um “desvio para vermelho”, o qual se trata de um desvio Doppler da luz que vêm de objetos distantes. Esse fenômeno é um forte argumento a favor da idéia de que o Universo encontra-se em expansão. Com isso, Friedmann, Lemaitre e de Sitter passam a analisar as propriedades das soluções dinâmicas das equações de campo e propõem a idéia de um Universo primordial com densidade infinita (uma singularidade matemática) e em expansão. Com o passar dos anos, a teoria foi sendo remodelada e criticada. A descoberta da radiação cósmica de fundo de microondas, com um espectro de corpo negro de 3 Kelvin de temperatura, na década de 70, foi colocada como um verdadeiro trunfo da teoria do big bang, já que a mesma prevê a existência desse espectro de radiação. De fato, o modelo do big bang, o qual baseia-se na relatividade geral, consegue prever flutuações da ordem de 0,00001 nas densidades da radiação de fundo, o que é bastante preciso. No entanto, recentemente, uma descoberta mudou o panorama: as observações de supernovas distantes, em escalas cosmológicas, levou à conclusão de que o Universo encontra-se não somente em expansão, mas sim em expansão acelerada. Isso é muito estranho. As equações de campo de Einstein, sem o termo da constante cosmológica, apontam para um Universo em expanão desacelerada, e não acelerada. Para haver essa aceleração, algo (ainda desconhecido) está gerando essa pressão antigravitacional gigantesca, capaz de expandir o espaço de forma acelerada. Com isso, os teóricos reintroduziram a constante cosmológica nas equações para ajustar a teoria com as observações. Daí afirmam que a constante cosmológica está associada à energia escura de vácuo, algo que não temos a menor idéia do que seja. Por isso, vêm sendo analisadas alternativas ao modelo do Big Bang. O “modelo do estado estacionário”, proposto por Fred Hoyle na década de 70, não está totalmente descartado e outros modelos baseados em magneto-hidrodinâmica propõem mecanismos não previstos por Einstein e que podem trazer luz à nossa ignorância. Isso é apenas um breve resumo da situação em que se encontra a Cosmologia Moderna. Não sou físico teórico e muito menos cosmólogo, mas sempre converso com alguns profissionais da área acadêmica e posso afirmar que os cosmógos estão em verdadeiro “pé de guerra”. O modelo do big bang, apesar de famoso e consistente, até certo ponto, está longe de ser a teoria definitiva para descrever nosso Universo.

      • . O big bang como é entendido hoje é uma teoria inadequada. Há muitos problemas fundamentais que raramente são mencionados na literatura popular. Alguns dos “elos perdidos” na teoria são:
        -Origem Perdida: A teoria do big bang supõe uma concentração original de energia. De onde veio essa energia? Os astrônomos algumas vezes falam de uma origem a partir de uma “flutuação mecânica quântica dentro de um vácuo”. No entanto, na teoria do big bang, não existia nenhum vácuo antes da explosão. De fato, não há nenhuma teoria secular consistente para a origem, desde que cada idéia é baseada na preexistência de matéria ou energia.
        -Detonador Perdido: O que acendeu a grande explosão? A concentração de massa proposta nessa teoria iria permanecer unida para sempre como um buraco negro universal. A gravidade iria impedi-la de se expandir ao redor.

        -Formação dos Astros Perdida: Nenhum modo natural foi encontrado para explicar a formação dos planetas, estrelas e galáxias. Uma explosão teria produzido, na melhor das hipóteses, uma pulverização de gás e radiação para o exterior. Este gás deveria continuar se expandindo, e não formar intrincados planetas, estrelas e galáxias inteiras.
        -Antimatéria Perdida: Algumas versões da teoria do big bang requerem igual produção de matéria e antimatéria. Contudo, apenas pequenos traços de antimatéria – positrons e antiprótons, por exemplo – são encontrados no espaço.
        -Tempo Perdido: Alguns experimentos indicam que o universo pode ser jovem, da ordem de 10 mil anos de idade. Se for verdade, então não há tempo suficiente para o desdobramento das conseqüências da teoria do big bang. Um curto espaço de tempo não levará em conta a evolução gradual das estrelas ou da vida na Terra.
        -Massa Perdida: Muitos cientistas assumem que o universo eventualmente irá parar de se expandir e começar a se contrair novamente. Então ele irá novamente explodir e repetir seu tipo oscilatório de movimento perpétuo. Esta idéia é um esforço para escapar de uma origem e um destino para o universo. Para que a oscilação ocorra, entretanto, o universo deve ter uma certa densidade ou distribuição de massa. Até agora, medições da densidade da massa são 100 vezes menores do que o esperado. De fato há indicações de que o universo está acelerando para fora em vez de diminuir a velocidade. O universo não parece estar oscilando. A massa necessária ou “matéria escura” está “desaparecida”.
        -Vida Perdida: Em um universo em evolução, a vida deveria ter se desenvolvido em toda parte. O espaço deveria estar cheio de sinais de rádio de formas de vida inteligentes. Onde estão todos?
        -Neutrinos Perdidos: Essas pequenas partículas deveriam inundar a Terra a partir do processo de fusão do Sol. O pequeno número detectado levanta questões acerca da fonte de energia do Sol e do entendimento global do homem sobre o universo. Como então a ciência pode falar com alguma autoridade sobre as “origens”?
        – X –

        No caso de dúvidas, acesse:

        http://pt.shvoong.com/exact-sciences/physics/1624255-mega-pol%C3%AAmica-sobre-teoria-big/#ixzz1NyAOlVje

  74. tomara qwue tudo isto nao seja verdade seja so mais um erro commum tenho so 11 anos e nao aguemtaria ver o mundo se acabar assim

  75. ‘Estima-se que a Teoria do Big Bang é aceita por cerca de 90% da comunidade científica internacional. No que consiste essa teoria? Na crença, a partir de indícios apresentados pelas últimas descobertas na área de Cosmologia no século 20, que o Universo, em seu estado inicial, encontrava-se sob uma forma muitíssimo condensada (segundo os cientistas, não maior do que a cabeça de um alfinete) que sofreu uma explosão, fragmentando-se e sendo expandida até tornar-se o Universo como o conhecemos. Essa teoria recebeu o nome de Teoria do Big Bang do astrônomo Fred Hoyle, que a usou pela primeira vez durante uma série de palestras radiofônicas sobre Astronomia que proferiu pela BBC de Londres, e que mais tarde foi publicada em formato de livro: “The Nature of the Universe” (1950).
    Hoyle acreditava, como todo cientista ateu de sua época, que o Universo era eterno, tendo sempre existido, até que um padre e cosmólogo belga chamado Georges Lemaitrê (1894-1966) sugeriu que o Universo não era eterno, mas tivera um início repentino, como afirma o livro de Gênesis. Devido à sua resistência à teoria, por apontar para a existência de um Criador, Hoyle a chamou, jocosamente, de “Teoria do Big Bang”, e o termo pegou. Lemaitrê, por sua vez, acreditava que Deus provocara essa explosão que dera início ao Universo. A teoria foi esquecida durante um tempo, até que, em 1929, Milton La Salle Humason percebeu, em seus estudos sobre a luz das galáxias no observatório de Monte Palomar, que havia um afastamento progressivo para as galáxias mais distantes, indicando uma dilatação universal. Traduzida em números, essa descoberta permitiu ao astrônomo Edwin Hubble usar uma progressão aritmética, que mais tarde foi chamada de Constante de Hubble (ou Lei de Hubble), que comprova a Teoria do Big Bang. Essa progressão aritmética é chamada até hoje de “régua cósmica”, utilizada para confirmar quaisquer teorias de astrônomos e cosmólogos de todo o mundo.
    “Todo o raciocínio sobre o Big Bang é derivado da Lei de Hubble (V=KR), que diz que uma galáxia que se move com uma velocidade V aumentará essa velocidade à medida que se distancie de um determinado ponto de referência (R), que aumenta. Daí entende-se que o universo está em franca expansão. Contudo, se raciocinarmos de forma invertida, ou seja, pensando de volta ao passado e não indo para o futuro, veríamos o universo encolhendo até atingir um ponto inicial onde todo ele estivesse ali concentrado. Então, quando se diz ‘grande explosão’ – Big Bang –, está se falando de um momento quando esse processo de expansão começou. Acredita-se que, numa fração de segundo, o tamanho do universo passou de um bilionésimo de um próton para o tamanho de uma laranja”, explica o professor e físico Antonio Delson Conceição de Jesus, membro da Assembleia de Deus em Feira de Santana (BA).
    O detalhe é que a Teoria do Big Bang não responde a todas as perguntas sobre a origem do Universo, mas, muito ao contrário, levanta outros questionamentos que apontam para o Deus da Bíblia. “É importante ser dito que a Teoria do Big Bang não se trata de uma teoria que se apresenta como a única verdade sobre tudo, mas apenas como uma teoria que tenta explicar cientificamente como foi o início do Universo. O fato de explicar como foi o início do Universo e até como ele se desenvolveu não implica em negar que o Universo possui um Criador. Ao contrário, abre espaços para que se possa refletir sobre isso”, explica o professor Antonio Delson.
    Ora, pelo que se sabe hoje cientificamente, o Universo não é eterno, mas teve um início (como a Bíblia também afirma), o que significa que a única coisa que havia e há de eterno está fora do Universo e existia antes dele, tendo provável e logicamente dado origem a ele. Esse “algo eterno” – ou, melhor dizendo, Alguém eterno –, que existia antes do Universo e o provocou, pode ser, como admitem alguns cientistas, sem dúvida alguma o Deus da Bíblia.
    Em sua obra “Mostre-me Deus”, o jornalista científico Fred Hereen, que trabalhou para os jornais The Boston Globe, Wall Street Journal, Washington Times e The Chicago Tribune, mostra como a Teoria do Big Bang revolucionou a Cosmologia e levou muitos cientistas a admitirem, mesmo a contragosto, a existência de Deus.
    Em linhas gerais, que fazem os cientistas antiteístas (anti-Deus) para tentarem eliminar a irresistível “possibilidade Deus” da Teoria do Big Bang? Defendem que essa matéria condensada (o “Universo primeiro”), menor que a cabeça de um alfinete, era eterna. Porém, essa é a vertente da Teoria do Big Bang menos aceita, uma vez que trata-se de uma mera conjectura sem provas que a suportem, quando o que há de concreto mesmo é o que a Constante de Hubble demonstra: que o Universo teve um início, nunca foi eterno. Ela demonstra que tanto o espaço quanto o tempo passaram a surgir somente quando o Universo propriamente dito passou a existir depois da tal “explosão”. Antes dessa “explosão”, não havia tempo e espaço porque não havia Universo. O espaço e o tempo são propriedades que surgiram com o surgimento do Universo. Portanto, no máximo, o que pode-se dizer é que afirmar que essa matéria inicial condensada era eterna é apenas uma conjectura muito pouco provável, enquanto afirmar que não era eterna é muito mais provável, pois tudo indica que o que havia e há de eterno mesmo é o que estava fora dela e está fora do Universo, e que provavelmente lhe deu origem.
    Cosmólogos e astrônomos teístas crêem que Deus criou essa matéria condensada incutindo nela Leis – as Leis da Natureza e do Universo, que o ser humano vai descobrindo aos poucos em suas investigações científicas. Em seguida, acreditam, após a “explosão”, após esse “start” (que teria sido o “Haja luz” bíblico – Gn 1.3), essa matéria minúscula, obedecendo Seus comandos que lhe foram incutidos, deu origem ao Universo na ordem descrita em Gênesis. Alguns dos cientistas crentes que assim acreditam são evolucionistas teístas, outros são adeptos do Design Inteligente e há ainda alguns criacionistas científicos, que questionam apenas essa contagem de “bilhões de anos” e a ideia de que os dias da criação não são dias literais de 24 horas.
    Há ainda os cientistas agnósticos (=aqueles que consideram o absoluto como inacessível ao entendimento humano), que não admitem que Deus criou e provocou tudo isso, preferindo apenas colocar isso “no campo das possibilidades”.
    Os Criacionistas (=doutrina dos que acreditam que Deus cria a alma de cada pessoa e lha infunde no corpo) sustentam que no princípio Deus falou e a Terra surgiu — ele ordenou e os céus se firmaram (Sl. 33.9)! Todas as milhares de estrelas apareceram repentinamente e sobrenaturalmente no espaço. As Escrituras não indicam uma explosão, embora o universo deva ter experimentado uma entrada repentina, “explosiva” de energia ordenada. Talvez alguns dados astronômicos que pareçam apoiar a teoria do big bang, tais como radiações infravermelhas e residuais, precisem, pelo contrário, ser encarados como evidências de uma criação rápida. Uma primeira variação secular da teoria do big bang fazia referência a um big bang “inflacionário”, sugerindo que o universo teria se desenvolvido e amadurecido muito rapidamente em seus primeiros instantes. Nessa teoria particular, a ciência secular parece ter tomado um passo na direção criacionista. Maiores progressos devem ser de interesse nessa área de teoria e pesquisa.’
    O texto acima foi copiado do google.
    Percebemos que a teoria do big bang foi criada para que todos aceitassem a idéia de que Deus criou todas as coisas que existem. Ou seja, como há muitos cientistas que não acreditam em Deus, havendo uma teoria que fale direta e indiretamente que ouve um ponto inicial, um ponto que alguém (Deus) criou, e depois ele expandiu e formou tudo o que existe… e que todos tem que aceitar pois está escrito na Bíblia , (acreditam que, após a “explosão”, após esse “start” (que teria sido o “Haja luz” bíblico – Gn 1.3), essa matéria minúscula, obedecendo Seus comandos que lhe foram incutidos, deu origem ao Universo na ordem descrita em Gênesis).
    Sinto em meu coração, ou em minha alma,que Deus existe! E aí, outros também acreditam e se nutrem desta energia maravilhosa. Mas, há quem acredite que Deus existe mas que precisam provar que ELE existe. E ficam por aí discutindo e brigando para que os outros que o cercam acreditem naquilo que acreditam. E como Deus é amor, é vida, imagino como o mundo seria melhor se, no lugar de ficarem brigando se Deus existe ou não existe, se estas pessoas provassem que Deus existe através de gestos humanitários, fraternos, solidários, etc., ajudando quem não tem casa, ou roupa, ou comida, etc. Há tantos irmãos infelizes que, também, são filhos de Deus,.Mas que ao dividirem um espaço permitido por Deus com irmãos mais esclarecidos e financeiramente superiores, não conseguem uma existência menos sofredora, pois que lhe faltam tudo e, principalmente alimento. Mas que os irmãos financeiramente superiores gostam de ficar falando por aí no lugar de agirem como filhos de Deus e dividirem o que possuem com aqueles que tudo falta.
    Quando descobri que a teoria do big bang foi adaptada de forma a provar uma história que está na Biblia, uma lágrima caiu de meus olhos. Senti tanta tristeza ao entender que há quem pregue o nome de Deus só da boca prá fora. Quando deveria ser um exemplo vivo: acredito em Deus então viverei como filho de Deus! Tudo que tenho é empréstimo. Devolverei quando meu corpo for devolvido à terra. Então, enquanto eu estiver vivendo fisicamente neste mundo, tudo que for meu por empréstimo de Deus deverei dividi-lo com os outros irmãos menos favorecidos. Mas o que acontece? Qual é a realidade que temos que conviver como ela? É tanta gente falando o nome de DEUS e cobrando por isto. Querem que todos acreditem nisto ou naquilo mas não são exemplos vivos de uma fé viva cujo exemplo de vida levaria outros a acreditarem na existência de Deus. Na verdade, querem que os outros acreditem pois daí ganharão alguma coisa material. Há tanta gente cujo salário depende de como eles falam o nome ou a existência de Deus!
    Que nome dar a cada uma destas pessoas? Vendilhão do templo?
    A gente ensina na sala de aula tanta coisa proveniente de pesquisa séria e, em contra partida há a teoria do big bang com tantas contradições e absurdos mas que alguns decidiram que ela prova a existência de Deus.
    Aqui eu pergunto: eu preciso provar a existência de Deus prá alguém? Acho que, se estou me identificando com o Criador de todas as coisas, no mínimo eu deveria viver de forma simples, solidária, fraterna para que outros ao meu redor se sintam embevecidos com a fé que estou nutrindo e, desta forma, também passarem a viver como filhos de um Deus único, não é? (já pensou que maravilha todos sentindo e vivendo a mesma filosofia existencial?)
    Sabe que a teoria do big bang é, também, chamada de big ben? Isto mesmo! Grande relógio pois as horas estão passando e, mais cedo ou mais tarde, cientistas sérios, competentes junto ao trabalho do Criador, haverão de falar a verdade sobre a forma de como foi criado tudo que vemos …

    • Cara Míriam Diniz,
      algumas correções com relação ao que foi colocado nos posts anteriores:
      No texto que você postou, consta o seguinte: “Nenhum modo natural foi encontrado para explicar a formação dos planetas, estrelas e galáxias”. Isso não é correto do ponto de vista da cosmologia relativista. As flutuações de temperatura que são detectadas hoje na radiação cósmica de fundo de microondas (CBMR) são resultado justamente de variações na densidade de energia do campo de radiação no período de desacoplamento matéria – radiação. Nessa época, os primeiros aglomerados de matéria eletricamente neutra induziram variações na temperatura do campo de radiação devido à aglutinação gravitacional. Essa aglutinação, posteriormente, daria origem às galáxias e demais estruturas. Ou seja, a teoria prevê sim a formação dessas estruturas. Você também mencionou o seguinte:”Alguns experimentos indicam que o universo pode ser jovem, da ordem de 10 mil anos de idade”. Isso é completamente inadequado. Datações realizadas em rochas terrestres, por meio de material radioativo, indicam uma idade de 4.5 bilhões de anos. Além disso, os aglomerados estelares globulares, que são os objetos mais velhos de nossa galáxia, datam de 10 bilhões de anos, a mesma idade do nosso Sol. Como o Universo poderia ter 10 mil anos? Outra afirmação incorreta, quanto aos neutrinos perdidos. Você colocou, com relação aos neutrinos solares, que “O pequeno número detectado levanta questões acerca da fonte de energia do Sol e do entendimento global do homem sobre o universo”. Esse déficit de neutrinos, de fato, foi um questionamento importante até meados da década de 90. No entanto, descobriu-se que os neutrinos são instáveis e decaem gerando outros tipos de partículas quando não interagem, ou seja, os neutrinos emitidos pelo sol, ao se propagarem no vácuo em direção à Terra, transformam-se em outras partículas elementares. De fato, não há um déficit de neutrinos, mas sim um processo de dacaimento durante a propagação no vácuo,não sendo detectados ao chegarem à Terra.

      • Continuando…
        Sobre a afirmação de que a idéia de um Universo oscilante ” é um esforço para escapar de uma origem e um destino para o universo”. Em verdade, essa possibilidade de um universo oscilante é um resultado teórico, que sai das soluções das equações de campo da Relatividade Geral, supondo-se uma determinada distribuição de densidade cosmológica. Para modelos com constante cosmológica igual a zero, teríamos três cenários possíveis para o Universo: 1) Expansão indefinida e desacelerada (caso a densidade existente seja menor do que a densidade crítica, a qual depende do valor da constante de Hubble), 2) expansão indefinida com velocidade assintoticamente tendendo a zero (densidade existente = densidade crítica), 3) expansão até um certo ponto e colapso gravitacional (densidade existente > densidade crítica). Os resultados de momento indicam que a densidade em escalas cosmológicas é igual à densidade crítica e não “100 vezes menores do que o esperado”, como você afirmou. No entanto, o processo de expansão acelerada do espaço, fenômeno que pode ser evidenciado a partir de medidas em eventos de supernovas distantes, continua, de fato, uma incógnita: a chamada “energia escura” é associada à constante cosmológica e seria a responsável por essa aceleração, mas sua natureza física é desconhecida. Aqui sim nós convergemos nossas opiniões: de fato, a teoria do Big Bang é incompleta e apresenta limitações em muitos aspectos. Essas limitações são resultado da nossa própria ignorância com relação aos fenômenos físicos relevantes nos instantes iniciais de vida do Cosmos. Para entendermos o que aconteceu nos instantes de tempo inferiores ao tempo de Hubble, logo após a “explosão primordial”, necessitamos de uma teoria unificada que estabeleça modelos interligando a mecânica quântica e a relatividade geral. O arcabouço teórico de que dispomos hoje somente nos permite entender o Universo a partir do tempo de Hubble, quando as flutuações quânticas passaram a não ser mais determinantes no comportamento do espaço e tempo do Universo primordial. Para finalizar, sobre a existência da singularidade inicial: essa é uma condição inicial, um postulado, proposto para resolver as equações de campo da Relatividade Geral. Para avaliarmos se essa condição é correta ou não, devemos comparar as previsões teóricas com os dados observacionais. A veracidade de um postulado é avaliada a partir de sua coerência com os experimentos. Dessa forma, a teoria propõe r=0 em t=0 para o Universo. Não faz sentido, do ponto de vista da relatividade geral, perguntar “o que existia antes?”, já que espaço e tempo são entidades interdependentes e que, de acordo com o modelo padrão, tiveram uma origem comum. Para finalizar, sobre a afirmação de que a vida deveria ter se desenvolvido em todos os lugares, isso é um questionamento muito mais do ponto de vista filosófico do que, de fato, científico. Vamos nos prender aos fatos conhecidos.

      • Corrigindo, a idade estimada do nosso Sol é de 4.5 a 5 bilhões de anos

      • Caro Mateus, ao escrever 10 mil anos, vali-me de uma escrita que não consegui corrigir depois. Na verdade, acredito que teve um início tudo que nos cerca. E o homem já tentou várias vezes explicar a data e como foi este início. Eu particularmente não me importo em quando tudo iniciou. Sinto-me aqui e isto me basta. Na verdade, gosto de saber o quê é, como é, etc. Isto faz parte de nossa consciência investigativa.
        Adoro voce. Abraços.

      • Caro Mateus, vc questiona o fato de estar escrito ‘alguns experimentos indicam que o universo pode ser jovem, da ordem de 10 mil anos de idade…'; sabe o que fiz? Procurei em minhas anotações até encontrar a pesquisa da qual tirei o que escrevi. E realmente lá está anotado exatamente 10 mil anos. Só que isto não foi um erro. Vc deve entender que é uma análise de situação. E, como diz ‘alguns experimentos indicam…que o universo tem 10 mil anos’, isto significa que há várias maneiras de examinarmos uma determinada situação. Em primeiro lugar, o homem jamais saiu do planeta Terra. Tudo é analisado partindo da análise do espectro da luz, não é?
        Mas, e se eu usar outra forma de analisar? Que idade poderei dar ao universo? Considerando que teoria é uma opinião. Talvez a teoria do BB seja induzida a ser aceita como a mais viável. Mas nem todos aceitam a teoira do BB. Abraços carinhosos…

      • “Que idade poderei dar ao universo? Considerando que teoria é uma opinião.”

        Cara companheira, com todo o devido respeito: você está blefando. Não. teorias científicas, por mais grandiosas que elas possam ser e se afastar da realidade puramente empírica, elas não são “opiniões”, mas crenças justificadas racionalmente ou por mínimos experimentos. No mais, são as mais próximas que se tem no tempo. Mas nem por isso são opiniões. Opinião é outra coisa bem diversa. Nenhum físico que adota a teoria do BB diz que ela é sua opinião a respeito do assunto… Não blefe com seus leitores.
        Se você (ou os autores nos quais se baseia) quer fustificar a idade do universo como contendo 10 mil anos apenas, terá que se justificar racionalmente. O que até agora não fez.
        Dizer que “alguns experimentos” indicam tal coisa não é dizer quais experimentos e sob quais condições eles indicam. Isso é ser minimamente científico para ser levado a sério. Quais experimentos? Quais seus pressupostos? Quais os resultados? Quais eram as hipóteses? Etc. Nada disso você fala, mas tão somente uma opinião de alguém aparentemente desvairado. Estudos sob objetos na própria face terrestre, por meio da técnica carbono 14, mostram que há muitas coisas além dos 10 mil anos. Só isso bastaria para calar a boca de seus “autores/pesquisadores”.
        Um forte abraço.

      • Será que não seria 10.000 ERAS ? Além do plausível, tudo demais é ato de Fé – Investigue, Duvide mas PENSE.

  76. Oi pessoal,
    não sei se consigo acreditar muito em todas essas coisas…
    Sou considerada estranha por muita gente (inclusive a família) e classificada com problemas psiquiátricos e psicológicos, apesar de achar que os outros é quem precisam de tratamento. Mas a pouco tempo fui em um centro espírita e eles me disseram que eu era índigo.
    Algum tempo atrás já haviam me falado isso, mas pesquisei bem pouco à respeito disso na época.
    Agora com o aparecimento do assunto novamente comecei a me interessar um pouco mais.
    Me considero a pessoa mais perdida do planeta… Não consigo entender nada de tudo isso e para que serve.
    Será que alguém pode me ajudar?
    Obrigada!

    • Dreissi, a melhor coisa que alguém pode lhe sugerir aqui para a ajudar é a seguinte: busque um profissinal chamado “psicólogo ou mesmo um psiquiatra” em sua cidade. Eles saberão tratar de você. Pessoas desconhecidas na internet só lhe deixarão mais confusa. Centros religiosos (e um centro espírita é um deles) só a deixarão mais confusa ainda, porque o que dizem não são científicos, nem nada disso. São questões de fé, de crença, o que não é o caso de você. Se não tiver condição de pagar um psicólogo ou um psiquiatra, vá à prefeitura/ao fórum de sua cidade e eeles deverão lhe garantir esse tratamento. Abraço e boa sorte.
      IsaqueGC

  77. Acho tudo isso muito interessante!

  78. Olá Miriam Diniz, entrei hj, por acaso, neste site e confesso que fiquei muito feliz. Primeiro pq encontrei gente que consegue enxergar um pouco além de toda essa névoa que insiste em nos cegar (a consciência) e tbm pq gostaria de apresentar algumas colocações para discussão (da boa). Acredito na possibilidade de estarmos sós no Universo. Até agora não foi comprovada a existência de vida, pelo menos até aonde conseguimos “ver”, no Universo. Marcelo Gleiser em seu livro “Criação Im perfeita”, em algum momento cita isso com bastante convicção, o que nos faz pensar que a classe científica tbm pensa assim. Partindo dessa premissa, precisamos entender que, sem nós, a “vida inteligente”, o Universo não teria sentido algum a menos que ele próprio fosse consciente. Isso me faz crer que não importa em que posição do Universo nos encontremos, que somos o seu centro, sim. Mais ainda que isso, somos o seu limite. Somos o “Portal” para outra…sei lá o que… dimensão, vida, experiência (consciência)… pois é no nosso interior que a verdadeira viagem acontece. Na minha opinião, o Universo foi criado para que nós possamos semear a vida nele. Fomos criados por ele. Viemos dele e pra ele vamos voltar. Somos extremamente, repito, EXTREMAMENTE jovens no Universo. TUDO, TUDO que estamos passando, é parte da nossa evolução. Estamos despertando para a verdadeira realidade. Isso é INEXORÁVEL. A evolução do ser humano é inexorável. Hj, vendo estes comentários postados, tive certeza disso. Isso me deixa bastante feliz.
    Muito bom ter achado esse site.
    Gostaria de saber a sua opinião.
    Forte abraço a todos.
    Elias Chamas

  79. Eu anseio por esta luz. Teremos um mundo melhor. Sem violência, sem fome e muito, muito espiritualizado. Seja bem vinda Alcyone!!! Nos traga a sua luz que nunca se apaga.

  80. Acabei de conhecer esse site. A parte as
    polêmicas, gostei muito e quero continuar
    me informando sobre assuntos tão interessantes.

  81. ”Nada a temer. Acredito numa passagem serena para a era da luz.

  82. Recomendo a leitura do livro “Introdução à Cosmologia” (EDUSP), do Cósmologo brasileiro Ronaldo Eustáquio de Souza. É um bom livro introdutório ao tema e pode enriquecer essa discussão.

  83. Mateus te parabenizo por sua inteligência, e gosto e aceito o que você fala.
    Abs….

    • Caro Lenis,
      de fato o debate é muito válido e é bom que existam espaços públicos como este onde podemos trocar idéias e opiniões. Pode ter certeza que a Ciência possui muito mais perguntas do que respostas, principalmente quando se trata do estudo do Universo Primordial. Afinal, a natureza é extremamente rica e o entendimento que temos dela vai sendo construído lentamente. Mas, tão importante do que debater é buscar as informações, seja em livros, artigos ou revistas confiáveis (como a “Nature” e a “Science” americanas e as não tão confiáveis “Globo Ciência” e “Super Interessante”). Enfim, bons estudos a todos! Há todo um belo Universo lá fora ansioso para ser desvendado.

  84. A fé ri das impossibilidades!

  85. Eu tenho tantos sonhos e planos para depois de 21/12/2012… É uma nova consciência. É a era da luz!

  86. Cara Miriam Diniz,
    sem problemas. Eu te respondi anteriormente com o objetivo de fazer um alerta sobre alguns veículos de comunicação suspeitos. Há vários sites que, normalmente, fazem uma “maquiagem” nas informações, mas não falam a coisa certa. Temos que tomar cuidado e buscar sempre fontes confiáveis. Abraço.

  87. Caro Mateus, Vc é um amor de pessoa! É muto bom ler o q vc escreve;
    Eu frequento a UEM e lá estavam (debaixo do pano) repartindo a mensagem (=do inicio desta página), procurei e descobri no livro “Mensagens do Astral” – Ramatis – 1955. (= coloquei o resumo acima) Naquela época o homem não havia ido à Lua. E tantas outras coisas aconteceram, não é? Creio q o pé de guerra seria q o Sol gira em torno da estrela Alcione. Seria mesmo este nome? O autor Hercílio Maes (1913-1993) já ñ pode mais falar por si. Mas uma coisa é certa: nosso planeta está sujeito a ciclos geológicos e a Natgeo mostrou um documentario sobre poluição onde fala deste final de ciclo (=tudo dentro da perfeita pesquisa cientifica). Peço a vc q tente achar este documentário q fala sobre um estudo feito nas geleiras do ártico e a conclusão dos pesquisadores. Analise com olhos de um físico e de um humano consciente de q forças superiores estão a nos administrar as belezas do imenso Universo….
    Abraços

    • Cara Míriam Diniz,

      de fato nosso planeta sempre passou, e continua passando, por inúmeras transformações em sua
      estrutura geológica, atmosférica, climática e, portanto, em todos os seus ecossistemas ao longo
      de seus 4,5 bilhões de anos. A Terra é um sistema dinâmico (conceito introduzido pelo matemático
      John Nash nos anos sessenta e que lhe rendeu um prêmio Nobel) e, embora haja um enorme e
      crescente esforço teórico no sentido de compreender, quantitativamente, essas transformações através de modelos computacionais, é muito difícil prever a extensão dessas transformações. Os modelos utilizados são complexos, mas aproximados. De qualquer forma, o que devemos criticar com relação a essas teorias “apocalípticas”, em especial as que se referem ao ano de 2012, é a intensidade, extensão e imediatismo das transformações. Uma das coisas que estão sendo comentadas, como uma suposta “prova” de que tais mudanças acontecerão em breve (inclusive já
      estão dando uma data: dezembro de 2012), é o fato de a Terra estar prestes a completar um movimento de precessão após um período de 26.000 anos. Isso não é verdade. Esse valor de 26.000 anos é um resultado aproximado. O movimento de precessão do planeta é similar ao de um pião: o eixo de rotação da
      Terra, inclinado cerca de 23 graus em relação ao plano de sua órbita, surge devido ao torque
      exercido pelo Sol. O efeito desse torque é alterar a direção do momento angular rotacional e, portanto muda a direção do eixo de rotação. O cálculo que permite obter o resultado de 26.000 anos para o período de precessão supõe um Terra perfeitamente esférica, com distribuição uniforme de massa ao longo de seu volume, o que é uma aproximação. Como você pode ver, 26.000 anos não é um resultado exato, preciso, mas apenas uma estimativa. Se as mudanças catastróficas previstas
      pelos “apocalípticos” fossem verdade, elas já estariam acontecendo com uma intensidade muito
      maior. Os processos naturais não são descontínuos. Não significa que, só pelo fato de entrarmos
      em 2012, vamos sofrer com esse cenário de destruição. As atividades humanas vêm interferindo nos processos naturais, isso é evidente, mas não é uma mudança de calendário que vai gerar tamanha
      transformação. Além disso, o tal “cinturão de fótons” é, simplesmente, uma ilusão. Nunca foi observado e há razões suficientemente convincentes para rejeitar sua existência (veja posts anteriores). O sistema solar não gira em torno de Alcione.

      • Completando…

        Outro suposto argumento que estão colocando: o sol irá completar um ciclo de atividade em 2012. Isso não tem nada de especial. O interior do Sol é uma estrutura termodinamicamente complexa: a energia gerada pela fusão nuclear de Hidrogênio em Hélio no núcleo é transportada para o exterior através de processos radiativos e convectivos. Há também interações do material ionizado (em estado de plasma) com o campo magnético da estrela. A união desses vários processos leva o sol a atingir picos periódicos de atividade a cada 11 anos. Esses períodos coincidem com o aumento do número de manchas e com uma maior intensidade de erupções solares em sua superfície, algo que interfere nas telecomunicações do nosso planeta, devido à incidência de partículas eletricamente carregadas expelidas por essas erupções. Esse período de atividade de 11 anos é conhecido desde o século XVII, com a invenção das lunetas galileanas. Isso não é novidade nenhuma. Por que algo de tão especial deveria acontecer em 2012?

        Creio que, infelizmente, essas notícias de “fim de mundo” causam grande impacto e, quem não busca informações em fontes confiáveis, tende a acreditar. Devemos ter senso crítico e saber pesas os argumentos. Grande abraço e bons estudos!

      • Coisa linda é o q acho de vc. Meu amigo, o problema não é: ” devemos criticar com relação a essas teorias “apocalípticas”, em especial as que se referem ao ano de 2012″. Na verdade, o q dizem as psicografiias é q haverá mudanças geológicas acompanhando as transformações psicológicas da humanidade. As datas q aparecem e susas interpretações, fazem parte da cabeça das pessoas. Tanto q marcam 1 data e se nada acontece, aí marcam outra data. Particularmente acho q as pessoas nutrem idéias de destruição ou sentem vontade de destruir e como seguem a um Deus, cabe a este Deus exercer a tal destruição. São pessoas infelizes e amargas. Tudo q melhora tem de ser de dentro pra fora, ou seja, o planeta Terra ficará iluminado qdo os habitantes nutrirem esta luz dentro deles. É isto o difiícil de entender. Eu já arrumei inúmeras inimizades tentando defender a idéia de q nós, humanos, temos q conquistar tudo. Nada cairá do céu, nem mesmo a desgraça tão sonhada por mentes satánicas. De q valeria ao Criador apresentar uma obra q é o ser humano e depois destruir tudo? Acredito nas profecias mas de uma forma altruísta, benéfica, positiva. O q passei na sala de aula ninguém acreditaria: nos anos precedentes ao ano 2000, qdo os pastores pregavam o fim do mundo, nas salas havia alunas q até tinham principio de desmaios de tanto medo. Havia choros, etc. E eu, levava nosso calendário gregoriano e o comparava com outros monstrando q a data não era global. Aí aparecia certa confiança no futuro. Achei maravilhoso vc, pacientemente, tentar esclarecer os fatos baseando numa ciência prática. Eu leio suas explicações e me delicio com elas. São maravilhosas. Vc é uma pessoa divina.Só pode ser isto. E te peço: tenha dó de nós pequenos ignorantes, tripulantes desta nave terra, pois nos sentimos tão sózinhos perante as descobertas sobre o universo q chegam a nós. e acho q nos sentimos tão pequeninos, tão abandonados q conseguimos acreditar q Deus mandaria algo terrível q nos destruiria a todos pois somos maus, ingratos, egoístas, perversos … e sem nós, toda a sua obra (de Deus) seria só de coisas boas. Mas, aí vem alguém tão belo e grandioso como vc, parecendo um enviado dos céus, e dedica sua paciência a nós, os pequeninos da criação. Te amo de alma. Te gosto muito pelo q vc demonstra ser através de suas palavras. E espero que continue lindo como vc é, lindo e maravilhoso. Abraços. Melhor, milhões de abraços…E tudo de bom, de muito bom, muitíssimo bom para vc…..Te adoro, tá.

  88. Uma coisinha só: por que a divisão por 12, inicialmente? Por que esse número não é arbitrário? Não poderia ser qualquer um outro? O que faz ser 12 a base para tais cálculos?
    Obrigado.

    • Cara Míriam,
      muito obrigado pelos elogios e pelo carinho. Mas de forma alguma você deve se sentir “pequena e ignorante”. Pode ter certeza do seguinte: quem tem a oportunidade (e a sorte) de estudar a natureza sob os olhos da lógica e da experimentação se sente muito mais ignorante do que qualquer outra pessoa. Eu me sinto assim. Quanto mais aprendemos, mais percebemos que nosso conhecimento é muito limitado. Um exemplo disso foi o Prêmio Nobel de Física desse ano, concedido aos norte-americanos Saul Permutter, da Universidade da Califórnia, Brian P. Schmidt, da Australian National University e Adam G. Riess, do STScI, em Baltimore. Medindo a luz vinda de “explosões” de supernovas distantes, nos limites observáveis de nosso Universo, descobriram que o espaço encontra-se em processo de expansão acelerada, resultado que pode ser adequado às previsões teóricas do modelo padrão da cosmologia (o famoso modelo do “Big Bang”). Até antes dessa premiação, havia dúvidas sobre o verdadeiro valor da taxa de expansão do Cosmos. Mas os trabalhos desses três grandes físicos demonstrou, observacionalmente, o processo de expansão acelerada. Isso traz um paradigma extremamente intrigante sobre a composição da natureza: de acordo com o modelo do “Big Bang”, adequado a esses novos resultados observacionais, tudo o que conhecemos (átomos, partículas, subpartículas e fótons) corresponde a apenas 5% da composição Universal. Temos 25% de matéria escura “fria” e incríveis 70% de energia escura, cujas propriedades ainda são desconhecidas. Apenas uma coisa é evidente: a famigerada “energia escura”, que é a componente mais importante do Universo, de acordo com o paradigma estabelecido pelo “Big Bang”, possui propriedades antigravitacionais, o que explicaria o processo de expansão acelerada do Universo. Como você pode ver, esse prêmio Nobel serviu para mostrar o tamanho de nossa ignorância: ela equivale a 95% de tudo o que existe! Grande abraço.

      • OI! Vc defende claramente a ciência conquistada. Vc foi prof de física, parou para fazer pós-graduação e se dedicar a pesquisas (isto mesmo?). E apresenta, nas entrelinhas, uma facilidade e paciência para explicações, Acho lindo isto. Só q estou do lado de fora. Faço parte da turma de curiosos. Para mim o Big Bang é uma teoria (=opinião) q vigora até q outra mais revolucionária apareça. Talvez, apareça alguem, q venha provar q ‘o processo de expansão acelerada’ possa ser o de q tudo está em movimento no Universo. O homem qdo pesquisa, descobre o q já existe. Daí, como o conhecimento está sempre em aprimoramento, acredito q, mais cedo ou mais tarde, a teoria da grande explosão seja substituída por outra mais convincente, pois há muitas controversias na teoria do BB, tipo: no início havia uma grande concentração de energia…(e quem ou o q acionou a explosão?). As partículas provenientes da explosão deveriam estar diminuindo de velocidade (isto ñ acontece), como vc disse: os três físicos demonstraram q ‘existe um processo de expansão acelerada do Universo’. A existência e movimento das várias constelações, e mesmo das galáxias, q giram em torno de um centro comum, (e muitas outras coisas) acho q prova o quanto é inadequada a teoria do Big Bang.
        Milhões de abraços prá vc.

        ;
        d

  89. Cara Míriam Diniz,

    quanto à minha carreira, eu graduei em Física-Licenciatura em 2007 e em Física-Bacharelado no ano passado. No período Fev/2008 – Fev/2010, fui professor de ensino médio (2º e 3º anos) no Colégio Técnico da UFMG. Em Agosto de 2010, ingressei no programa de mestrado aqui mesmo na UFMG e pretendo concluir em Agosto do ano que vem (se der tudo certo!). Quanto à sua dúvida, de fato a teoria do Big Bang apresenta várias “esquisitices”, como supor a existência de matéria e energia escuras para explicar a dinãmica do Universo atual. Ainda não se sabe a constituição física dessas entidades, as quais são conhecidas apenas por seus efeitos gravitacionais. No entanto, o movimento de planetas, estrelas e galáxias não prova a inadequação da teoria. O processo de expansão acelerada não impede o movimento dessas estruturas em menores escalas. O efeito da expansão é mais importante em escalas de comprimento cosmológicas. Em outras palavras, é o seguinte: a velocidade de afastamento de um dado objeto, devido ao processo de expansão do espaço, é proporcional à distância do mesmo em relação a nós, ou seja, quanto mais distante uma dada estrela, galáxia, supernova, quasar, etc está, mais rápido ele se afasta de nós. Esta é a famosa lei de Hubble:
    V = Ho x d, sendo Ho a constante de Hubble atual, d a distância do objeto e V a velocidade de afastamento. Galáxias vizinhas à nossa, como as Nuvens de Magalhães, não estão suficientemente distantes de forma a gerar um efeito de afastamento apreciável. Isso permite a órbita das mesmas em torno da nossa Via Láctea. Como você pode ver, isso não é uma inconsistência da teoria do Big Bang.

    Um erro comum das pessoas é confundir teoria com idéias/especulações. Não é assim em Ciência. Uma teoria é uma conjunção de princípios, leis e deduções com embasamento experimental (isto é, testado em laboratório), consistência e rigor matemático. Dessa forma, uma teoria permite unificar diversas evidências em enunciados que permitem fazer previsões acerca de um dado sistema físico, de forma rigorosa, e não meramente especulativa.

    De fato o modelo do “Big Bang” ainda carece de uma melhor fundamentação, principalmente quando nos aproximamos da singularidade inicial, ou seja, do instante em que se iniciou o processo de expansão e, por consequência, dando o “start” para a formação das estruturas. Sobre sua pergunta, sobre “quem acionou essa explosão”, isso de fato é um questionamento interessante. Em Física e Matemática, ao se resolver um problema, supõem-se condições iniciais ao sistema e obtêm-se, a partir disso, as soluções. No caso da cosmologia padrão, assume-se, como postulado, que, em t=0 segundos (instante inicial da “explosão”), o tamanho do Universo era R=0 (um ponto). Daí em diante, avaliam-se as consequências desse postulado. A validade de uma teoria se justifica pela coerência de seus resultados com os dados experimentais/observacionais. No caso do Big Bang, muita coisa é prevista de forma correta. Mas algumas consequências e princípios fundamentais carecem de uma melhor avaliação. Veremos os “próximos capítulos”. Grande abraço.

  90. Olá, Dreissi
    Pelo seu breve comentário você pode ser índigo mesmo ou até mesmo cristal, etc…
    Eu li um livro que fala sobre este tema, do autor Rodrigo Romo, que achei muito interessante e como você se acha diferente, é possível que você se encontre um caminho de entender por si mesma e ser mais feliz.

    Então o título do livro é “Filhos das Estrelas – Crianças da Nova Era” e você pode encontrar no site dele: http://www.rodrigoromo.com.br.

    Boa sorte

    Isaac Vicente

  91. Cara Míriam: Quatro coisas:
    1- Você, eu , ou qualquer outro leigo não tem o direito de achar e nem deixar de achar absolutamente nada. Nem os especialistas acham!! Eles estudam, investigam, testam e estabelecem hipoteses baseadas em fatos. E sabem quais hipoteses têm mais ou menos fundamentos e chances de virar teoria ou lei. Achar é uma palavra inútil. Você não pode dizer: Eu acho isso dessa teoria, eu acho aquila daquela lei… É absurdo!
    2- Nunca lí tanta maluquice junta em toda a minha vida. E tudo em uma só página de internet! Tanto no texto inicial quanto nos comentários (exceção de alguns poucos que tentaram esclarecer, mas é como dar pérolas aos porcos)
    3-Não tenho a paciência de Matheus para tentar ajudar. Voltem para a escola, como conseguiram sair de lá com esse nível de conhecimento?
    4- Sou um grosso intolerante, é um dos meus muitos defeitos…

    • Caro amigo, as pessoas estudam e afirmam, não é?
      E quem falou para vc que eu escrevi determinado assunto?
      Quantas vezes na história da humanidade vimos determinada teoria ser substituída por outra? Lembra?
      Como é dito na Teoria dos Paralelos existem várias formas de analisar o Universo.
      Ao longo do tempo, com os avanços tecnológicos, algumas destas teorias foram caindo por terra. Algumas delas foram genéricamente aceites durante milhares de
      Pré-Socráticos sec. 6 e 5 a.C.-o Anaximandro (espaço) surgira da água e os humanos descendiam dos peixes. O nosso planeta seria um disco achatado e flutuante circundado por tubos de névoa luminosa, com um circulo de fogo por fora (o sol).
      Modelo Geocêntrico sec. 4 a.C.=A Terra era o centro do Universo e tudo existente nele girava em torno dela. Aristóteles era um dos que morreu a acreditar nesta teoria.
      Modelo Heliocêntrico sec. 16 d.C.- Copérnico, 2000 anos depois, baseado no Modelo Geocêntrico, sugeriu que o centro do Universo seria o Sol e não a Terra.
      Teoria do Big Bang sec. 20 d.C.-Baseando-se na teoria da relatividade, Lemaitre e Friedman propuseram o modelo finito do Universo, com constante expansão desde o inicio do tempo. Tudo teria começado com a explosão de um unico atomo onde estava concentrada toda a matéria e energia existente.
      Hoyle tentou ridicularizar esta teoria chamando-a de “grande estouro” (big bang). Este termo teve tanto sucesso que se tornou o nome da teoria
      Teoria dos Multiuniversos sec. 20 d.C.- =Os problemas deixados pela teoria do Big Bang tentam ser explicados por esta teoria(e pela minha!!). Esses problemas são: O que existia antes do Big Bang e o que há fora do Universo.
      Os defensores desta teoria afirmam que existem muitos Universos, espalhados pelo espaço infinito. Uns estão a nascer (Big bangs) e outros a morrer (Big Crunchs).
      Nestes Universos as leis da fisica podem ser totalmente diferentes das nossas dizem eles.
      Teoria Ecpirótica sec. 21 d.C.=Esta teoria diz que tudo surgiu do choque de duas “menbranas cosmicas” numa quarta dimensão do espaço. O choque teria sido perceptivel para nós como Big Bang.
      Vamos defender o verdadeiro conhecimento nesta área pela Filosofia, demonstrando que a Teoria do Big-Bang, seria apenas uma cópia fiel da Filosofia de Anaxágoras, pré-socrático que nasceu por volta de 500 a. C.. Veja abaixo o que dizia Anaxágoras:

      “Todas as coisas estavam juntas, ilimitadas em número e pequenez; pois o pequeno era ilimitado. E enquanto todas elas estavam juntas, nenhuma delas podia ser reconhecida devido sua pequenez. Pois o ar e o éter prevaleciam sobre todas as coisas, ambos ilimitados. Pois no conjunto de todas as coisas, estas são as maiores, tanto em quantidade como em grandeza.”
      Veja abaixo um pequeno erro da Teoria do Big-Bang:

      Imagine toda a matéria do universo junta, como um único elemento, como por exemplo, um átomo do tamanho de uma bala de canhão.
      Agora imagine você a explosão teórica do Big-Bang fazendo a experiência do canhão que descrevemos acima. Colocava a bala, provocaria uma explosão que faria com que a bala saísse em direção ao céu, numa linha vertical.
      A bala sairía numa velocidade inicial muito grande, mas aos poucos iria perdendo esta velocidade por efeito da gravidade, até parar e voltar ao ponto inicial, o Big-Crunch. Esta é a Teoria do Big-Bang.

      Você verificou pela experiência acima, que a velocidade inicial da matéria, que em nosso caso era a bala de canhão era maior que a final, e se não contássemos com a força gravitacional, teríamos que contar com a inércia. A bala então teria velocidade igual para sempre, na mesma direção, o que já demonstrava um erro na teoria do Big-Bang.

      Para piorar a situação da teoria do Big-Bang, foi descoberto recentemente pelos próprios físicos, através de observação e cálculos matemáticos, que o universo está em expansão acelerada, ou seja, nem velocidade final da mátéria do universo é menor que a inicial, nem constante, a inércia.
      Tanto o Big-Bang quanto o Big-Crunch estão em crise, e os físicos estão tentando solucionar o problema do por que a velocidade final da expansão do universo ser maior que a inicial, ou seja, acelerada.

      Para quem ainda não conhece, esclarecemos que a teoria do Big-Bang diz o seguinte: que antes de tudo o que está aí, constelações de estrelas, planetas, cometas, satélites, etc.., havia um ponto concentrando toda a matéria existente, e por isso mesmo com uma densidade altíssima. Em um momento qualquer houve uma explosão, fazendo com que a matéria existente neste ponto se espalhasse e se misturasse, formando todas as coisas existentes e com movimento de expansão em todo o universo. Este movimento um dia irá parar devido a força gravitacional, e toda matéria do universo voltará ao ponto original. Esta volta de todo o material espalhado se chamará de Big-Crunch

      • Cara Míriam Diniz,

        A analogia feita entre o movimento da bala de canhão e a expansão do Universo é interessante, embora incompleta. Na realidade, o próprio espaço possui uma dinâmica ao longo do tempo. E como a matéria encontra-se imersa no espaço, os corpos “respondem” a esse processo de expansão. Do ponto de vista da relatividade geral, a existência de massa e energia gera uma deformação na estrutura geométrica do espaço, modificando inclusive a trajetória da luz (fenômeno este responsável, por exemplo, pelas famosas “lentes gravitacionais”). A expansão do Universo é descrita pela equação de Friedmann, derivada das equações de campo de Einstein para o caso de um Universo com distribuição homogênea de massa. Em princípio, se não incluirmos a constante cosmológica na equação de Friedmann, o Universo poderia ter três destinos possíveis: expansão desacelerada infinita (para densidade de massa < densidade crítica), expansão desacelerada com velocidade tendendo a zero (densidade = densidade crítica) ou expansão seguida de contração (densidade < densidade crítica). No entanto, ao incluirmos a constante cosmológica (termo associado à densidade de "energia escura"), verificamos a possibilidade de expansão acelerada, o que é consistente com as observações. Ou seja, de acordo com o paradigma teórico que temos hoje, o processo de expansão poderá, no futuro, romper com todas as estruturas gravitacionalmente ligadas e de forma indefinida, diferentemente do que você colocou com relação ao Big Crunch.

        Com relação ao pensamento de Anaxágoras, devemos lembrar que, à época dele, havia a crença na existência do éter, o que perdurou até o final do século XIX. Acreditava-se que a luz necessitava de um meio material para se propagar. Portanto, o éter deveria preencher todo o espaço. No entanto, experiências realizadas já no início do século XX (como o famoso experimento de Michelson-Morley) jogaram por terra essa crença. Vários pensamentos desses filósofos são válidos do ponto de vista conceitual, mas devemos lê-los com bastante cuidado à luz do que conhecemos hoje.

  92. Caro Hugo Passos,

    de fato as informações supostamente científicas que foram colocadas no texto inicial são completamente descabidas e sem nenhum rigor. A esperança é que os leitores tanto do texto como dos posts aqui colocados possam refletir, avaliar e buscar informações corretas. Afinal, papel aceita tudo!

    • Bem dito, Mateus. Mas o fato de o papel aceitar tudo, inclusive essas asneiras aí sem pé nem cabeça, não implica em se poder sair aí, escrevendo qualquer coisa, como bem entender. Há uma questão ética implicada em quem publica, escreve. Muitas pessoas incultas, inéptas, para não dizer outras coisas, se baseiam em coisas como essas daí. Um Irmão meu (sou maçom) pensa essas coisas todas, crendo que numa hora dessas, entraremos numa nova era “de amor e prosperidade”, quando o sistema solar estiver em torno do tal Alcione bla bla bla.

      Papel aceita tudo, mas tem que ter um mínimo de fundamento. Caso contrário, é charlatanice. E essas coisas não nos parece fazer o menos sentido.
      Para citar suas palavras novamente:

      “as informações supostamente científicas que foram colocadas no texto inicial são completamente descabidas e sem nenhum rigor.”

      • Querido Isaque,fico um pouco receiosa de comentar qualquer coisa devido ao fato de vc se dizer maçom. Sou espírita e há muitos maçons nos centros espíritas kardecistas; mas aparecem como que tentando controlar as coisas. Acho que vcs se veem como seres perfeitos. e que a crítica de vcs deve ser levada em consideração e aceita. Minha área de atuação é ligada a ciências físicas. Só que tbém tenho outras atividades e o estudo da 4ª dimensão me interessa muito. Primeiro que percebo seres de outras dimensões. E digo que atuam em nosso meio de forma marcante. Vc leu o artigo ‘Ufo fenômeno de Contato’, escrito logo no início desta página? Pois é, não são desencarnados.
        Apenas possuem uma forma energética diferente da nossa. E digo mais. Já sei de aparelhos que podem registrar a presença destes seres. Talvez o sr Mateus já tenha conhecimento disto. Mas, disse Galileu Galilei (1564a1642): “A Matemática é o alfabeto com o qual Deus escreveu o Universo.”, ou seja, temos que manter a humildade para aprendermos mais…Abçs carinhosos

  93. Obscurantismo com ares de cientificidade. Eis como defino esse texto. No mais, minha pergunta simples, porém relevante, permanece: por que a divisão por 12, inicialmente? Por que esse número não é arbitrário? Não poderia ser qualquer um outro? O que faz ser 12 a base para tais cálculos?

    É ele que ajuda na soma final, dando o número desejado.

    Obrigado.

    • Caro isaquegc,

      creio que você deva estar se referindo à divisão do zodíaco em doze partes, correto? Bem, na verdade isso não tem nada de fundamental. É apenas uma escolha conveniente. O que ocorre é que a trajetória da Terra em torno do Sol, projetada na esfera celeste, forma uma curva chamada de eclíptica. À medida em que a Terra executa seu movimento de translação, a projeção da posição do Sol ao longo da eclíptica, sob o nosso ponto de vista, coincide com algumas constelações famosas, como Leão, Virgem, Peixes, etc. Isso facilita a localização de alguns objetos da nossa Galáxia. Só para citar um exemplo, o centro da Via Láctea, em torno do qual toda a Galáxia gira, inclusive nós, encontra-se na direção da constelação de Sagitário. Mas essa divisão em 12 é arbitrária. Recentemente, houve uma tentativa de incluir um décimo terceiro signo ao zodíaco. Se não me engano, esse novo signo seria o “serpentário”. Mas, aparentemente, a proposta não se popularizou. Os índios brasileiros, por exemplo, têm seus próprios signos, como o signo da “jararaca”. Os chineses, por sua vez, possuem seu próprio conjunto de signos: “macaco”, “coelho”, dentre outros. Como você pode ver, os nomes das constelações e a divisão do céu gerada por eles varia de cultura para cultura. Não tem absolutamente nada a ver com alguma suposta influência, energia ou interação que os astros poderiam ter em nossas vidas.

      • Caro Mateus de Souza, obrigado pela resposta.
        No entanto, acho que afirmas exatamente o que quero pontuar: sendo esse número arbitrário (o que digo desde o início), ele ajuda a resultar um número final (2160, correto?) também arbitrário. Porém, desse resultado o autor do texto inicial tira conclusões, ou melhor dito: falsas conclusões.
        É óbvio para qualquer pessoa inteligente e bem intencionada que um número qualquer não tem importância fundamental em si. O que quero dizer é que o autor ‘se faz de desentendido’ com esse valor (12) para construir um outro (o tal ano mágico de 2160: “A divisão desta órbita por 12 resulta em 2.160, tempo de duração de cada era”) e tirar daí conclusões obscurantistas.
        No mais, forte abraço.

  94. Sou A.’.M.’. e um Ir.’. de minha Loja acredita fielmente nessas coisas de Alcione, eras, pensamento positivo, lei da ‘atração’ etc. Se esse chiste de texto aí acima não estivesse ocupando bits na internet, ele provavelmente não iria ficar fantasiando essas coisas, pra dizer o mínimo, aí. Se esse texto estivesse publicado na Idade Média, até seria entendível.

    • Amigo, sempre digo ao Sr Mateus que fiquei apaixonada por ele pelo fato de tentar esclarecer tantas coisas obscuras que são divulgadas por aí. Me parece que na Mensagem aos cristãos, nós seres humanos teríamos uma era de trevas seguida de uma era de luzes; Veja bem. O quê poderia ser isto?Uma era de trevas seria
      idade das trevas foi uma epoca em que não se lia nem escrevia nada, tudo era relatado só na memória dos medievos a supremacia do clero não deixava nada ser documentado então esses anos ficaram no obscuro da humanidade mais creio que muitas obras, documentos foram escritos e queimados nessa idade negra pois a igreja dominava tudo principalmente a alfabetização sendo exclusividade só para os monge e a aristocracia tudo era ligado somente a espiritualidade
      ou seja tapava-nos nossos olhos ouvidos e bocas uma época de ditadura aristocrata! Depois de mil anos de trevas aparece a era do iluminismo ou como era chamada por alguns como “era da razão”, constituía no movimento cultural que aconteceu no seculo XVIII, que acreditava-se no poder da razão. Afim de reformar a sociedade e o conhecimento prévio. Promovia o intercâmbio intelectual e foi contra a intolerância e os abusos da igreja católica e do Estado.
      A era das luzes significa cultura disponível para quem quer aprender, quem quer pensar, etc;
      Acontece que a propagação da mentalidade da era da idade média ainda esta na cabeça de muita gente.
      As pessoas querem luz de fora pra dentro, só que a luz é uma conquista de cada um pois depende do esforço que terá que fazer para adquirir conhecimento. É irracional acreditar que entraremos no espaço de determinada estrela ou constelação e ficaremos iluminados. E daí? A luz da tal estrela vai nos tornar melhores? Mais inteligentes? Mais humanos? etc.Depois há quem se apoie na cultura maia ou profecia maia para obter mais credibilidade.( Os Maias não souberam prever a sua própria extinção pelos espanhóis, (quem dirá o fim do mundo como dizem por aí)). Abçs

  95. Com ou sem alcione o que fica muito claro é que a Humanidade se não mudar sua forma de pensar e agir, irá ao encontro de sua própria destruição. Pelo andar da carruagem isso se tornará inevitavel, pois o consumismo é a doença do seculo que se inicia. Aí dependeremos de descargas eletromagnéticas oriundas de outros Sóis e planetas para tentar despertar a Humanidade e endireitar o caminho construido tortuosamente pelo Homem. Uma sociedade construida sob a batuta do medo e do terror não pode sobreviver. O homem é o ser mais perdido do planeta. Não sabe de onde vem, o que faz aqui e nem para onde vai.

    • Minha humilde opinião sobre esses vários assintos:
      1 – Enquanto o Isaquegc se refere à divisão por 12 da suposta órbita do sol ao redor da estrela Alcione, o Mateus fala sobre a divisão do zodiaco, gerando uma pequena confusão.
      2 – Existe uma clara mistura entre ciência e misticismo no texto original. Há uma tribo (no bom sentido), ou grupo de pessoas que querem acreditar que haverá uma grande mudança (big shift) quando certos acontecimentos ocorrerem no Universo. O fato é que o Universo é regido por uma Lei Universal (que é composta de várias leis) que ainda está sendo descoberta pelos físicos e cientistas. E dessas leis ninguém escapa. Estamos todos sujeitos a ela.
      3 – Entrando na área filosófica, na minha humilde opinião, eu acredito que a “evolução” em sí é uma das leis que regem o Universo (insisto em que isso é apenas o meu ponto de vista), basta conhecer a história do nosso próprio planeta que isso ficará claro. A evolução é inexorável. Para tudo no Universo. A história da vida inteligente neste planeta é extremamente recente. Estamos aqui a pouquíssimos 100 mil anos. Estamos apenas engatinhando na nossa “evolução”.
      4 – Com relação a esse “Big Shift”, acredito que ele jamais ocorrerá da maneira que a gente está pensando, pois esse tipo de mudança ocorre de dentro para fora, e não ao contrário, pois se trata de “Consciência” (outra lei universal, pelo simples fato de ela existir), e a consciência é individual. É a ‘Ignorância” que é coletiva.
      A Paz e o Amor abitam dentro do ser Humano e não nas estrela. Só precisamos descobrí-los.
      Como? Vários mestres já vieram para desvendar esse mistério (isso é outra lei universal L.U.) e todos eles foram unânimes: A Paz Está Dentro de Você.
      Abraço a todos

      • Caro Elias. Obrigado pelos esclarecimentos. Úteis! Por outro lado, esconder-se sob o véu da opinião pessoal não nos leva a lugar algum, uma vez que isso impossibilita o dialogante questionar o ponto de vista defendido pelo outro.
        “… consciência é individual. É a ‘Ignorância” que é coletiva”.
        Ora, se essas coisas estão relacionadas intrinsecamente (só se tem consciência quando ao lado dela há uma não consciência, ignorância, em outras palavras), é de se concluir que, se uma é individual, a outra também o será. Consciência (conhecimento) e ignorância estão num mesmo plano, no caso, do concreto, subjetivo, indivíduo particular.
        Não confunda, por favor, evolução com melhorias nas condições de vida. O mundo (o universo) se transforma, mas não necessariamente para o bem de todos e todas. “A evolução é inexorável”, sim. Mas o desenvolvimento das condições de vida humana não necessariamente seguem uma linha reta em sentido vertical.
        Como podes falar uma “Lei Universal” quando, ao mesmo tempo, afirma ser ela desconhecida ainda pelos cientistas? Se é desconhecida, não podemos (nem você, nem ninguém) falar dela nem tirar conclusões baseadas nela. Correto?
        Portanto, seus pontos de vista são, querendo ou não, tão inválidos quanto ao texto originário, ou seja, baseados totalmente em crenças religiosas (até aqui, ok) querendo se passar por postulados científicos, físicos (e aqui é que chega o problema).
        Forte abraço.

      • Expressar-se é exatamente o contrário de esconder-se.
        O que eu expressei, foi a minha percepção como ser humano inteligente que é pessoal e jamais será entendida exatamente como eu percebo como indivíduo.
        A minha opinião chega ao seu cérebro misturado com todas as respostas pré determinas por ele mesmo, baseado na sua longa experiência.
        Longe de mim querer convencer alguém de qualquer coisa ou criar polêmicas. Tô fora.
        Quando me refiro à lei universal, me refiro a toda a consequência gerada pelo big-bang. Falo sobre a matéria escura, a gravidade e nós, e tudo o mais que existe.
        No texto anterior achei que tivesse ficado claro que eu separo o físico do místico, apesar de estarem intrinsecamente relacionados.
        Quando me refiro a evolução, quero dizer que o homem, se não evoluir como HUMANO, ele simplesmente não sobreviverá. Estamos em um processo autofágico. Terá de Evoluir.
        Me refiro também a que a ciência está bastante evoluida e já estão trabalhando, com muito sucesso, no prolongamento da vida. Já existem pessoas entre nós que viverão 150, 200 anos, com saúde.
        Vamos precisar de muito tempo de vida pra espalhar a vida pelo universo, e isso, meu amigo, é inexorável.
        Independentemente do que eu e você e toda humanidade pensamos.
        Isso sem considerar a possibilidade de um evento de destruição em massa, causado ou não por nós mesmos.
        Portanto, o meu ponto de vista é meu, e não tem que necessáriamente ser o seu, ou de qualquer outra pessoa, o que não impede de algumas perceberem parecido.
        E esclarecendo, não sou religioso, mas a história conta muita coisa, e se eu não aprender nada com ela, então, meu amigo, paramos de evoluir.

        Abraço

  96. somos um micro cosmo,chamado ser humano ,somos inteligentes.intuitivos telepaticos ,enfim possuimos muitos caminhos para chegar atè a verdade,mas antes de tudo presisamos saber a nossa verdade. “oh ! homen,conheça ati mesmo e conhecera´o universo e os deuses” obigado por existir. muita paz e amor katia 22 dezembro 2011 23:03

  97. lamento .que não entendeu .reflita .muta paz e amor katia cristofoli boeira 23 dezembro,2011 às 01:22

    • Diz ELIAS NETO: “Portanto, o meu ponto de vista é meu, e não tem que necessáriamente ser o seu, ou de qualquer outra pessoa, o que não impede de algumas perceberem parecido”.
      Em ciência, não um “ponto de vista meu”; há paradigmas adotados por comunidades científicas que, dentro deles, se costuma dizer: “isso nós pensamos baseados em evidências e axiomas”. Quem quer raciocinar proximamente a isso terá de evitar basear suas falas em “meu ponto de vista”. Que é o que você tem feito reiteradamente aqui. Isso funciona em discurso religioso, mas não, repito: não em ciência.
      Quanto ao que diz a KATIACRISTOLIBOEIRA: se as pessoas não têm te entendido, colega, talvez seja por sua evidente falta de domínio linguístico em sua modalidade escrita. Faça, sugiro, um curso de redação e digitação. Talvez sua expressão (e nossa compreeensão) melhore. Aprenda a usar a tecla Shift. Já será um ganho!

      • Olha, Isaquegc, no meu ponto de vista, vc tem problemas. Vc gosta mesmo é de polêmica.
        To fora!.
        Não sei a que “ciência” vc se refere (até agora vc não falou) mas o teu ponto de vista está meio míope.
        Na minha opinião, vc é um buscador incansável (como qualquer outro ser humano), mas está perdido, pois acha que não existe alguém capaz de orientá-lo, pq se acha superior a todo mundo.
        Eu acredito na física e nas leis que ela vem revelando. Reitero que não sou religioso. Eu repetidamente digo “ponto de vista” pq minhas opiniões são conclusões baseadas em informações técnicas extraidas de estudos realizados pelas mentes mais brilhantes do nosso e de outros séculos. É “ponto de vista” simplesmente pq eu não sou cientista, se o fosse, seriam “teorias”. E isso é um fato técnico.
        Gosto de ler Marcelo Gleiser, Stephen Hawkins e outros físicos teóricos contemporâneos. E uma coisa comum entre eles é a defesa da existência ou não de um Deus, que é a máquina propulsora de todos esses estudos. A esperança de uma parte da comunidade científica é de que Ele seja revelado nessa partícula chamada de Bóson de Higgs (a partícula de Deus), que é a partícula que dá forma a toda matéria existente no Universo.
        Se vc prefere se relacionar com experts, então sugiro que vc procure outro blog, ou então faça como o Mateus e transmita seus conhecimentos de forma simples, clara e didática para que nós leigos possamos assimilar-las e aprender com elas sem polêmicas ou disputas de opiniões.
        Para mim esta polêmica está encerrada.

        Abraço

  98. Oi.
    Não é o caso de eu gostar de polêmicas ou não. O que faço é, de fato, separar o discurso religioso do discurso científico (o que você ‘diz’ fazer, mas na prática não o faz).
    Quando falo ciência, quero dizer a prática humana baseada na experimentação a partir de axiomas (princípio, se queira assim). Quando falo de religião, não digo de igrejas particulares, mas da prática humana de saber algo por meio de revelação, que supõe a crença, fé. Que é o que o tal texto originário aqui tem feito.
    Por fim, não “se acredita física”, uma vez que ela não é uma doutrina religiosa, mas uma ciência. Que ela pode errar, ter princípios não demonstrados etc., sim, pode haver. Mas mesmo assim não é uma religião ou uma ‘mística’.
    Cuidado: a partícula de Deus é apenas um nome popular dado a tal fenômeno. Não tem nada a ver com nosso Deus cristão, por exemplo. Leia mais sobre isso. Outro nome dado à partícula é “fantasma”. É uma questão de terminologia, não de ontologia.
    Forte abraço e, desculpando-me por qualquer inconveniência, desejo-lhe um bom fim de ano e, se cristão for, um Feliz Natal.

    • Caro Elias Chamas Neto,

      de fato o termo “partícula de Deus”, adotado popularmente para o Bóson de Higgs, é apenas uma espécie de “propaganda”, dada a importância desse bóson para o modelo padrão de partículas elementares. Confesso que entendo muito pouco de física de partículas, já que minha área de atuação é astrofísica estelar. De qualquer forma, a existência desse bóson e suas propriedades foram previstas na década de 60 através da Teoria Quântica de Campos, a qual busca explicar as partículas elementares e suas interações de um ponto de vista completo, tratando a mecânica quântica juntamente à relatividade. O bóson de Higgs é responsável pelo fenômeno de quebra de simetria da força eletrofraca (uma das quatro forças fundamentais da natureza) e permite fixar os valores das massas das partículas elementares, como os elétrons e prótons. Ou seja, o bóson de Higgs foi um “tijolo” fundamental para a formação dos átomos no Universo Primordial. De fato, toda a teoria padrão que descreve as partículas elementares está baseada na existência do bóson de Higgs. Espera-se que ele seja detectado durante os experimentos de colisões de partículas no acelerador LHC (Large Hadron Collider). Se sua existência for confirmada, será uma importantísssima confirmação dos modelos de que dispomos hoje.

  99. Acrescento à sua lista de autores (você mencionou Marcelo Gleiser e Stephen Hawking) o excelente físico-matemático Roger Penrose, da Universidade de Princeton. Na década de 60, Penrose e Hawking demonstraram importantes teoremas relacionados à formação e às propriedades dos buracos negros.

  100. Mateus, quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha….tô brincando…. não precisa dizer, pode ser que vc. confunda-me.abraços.

  101. Oh ceus… tanta teoria , estudos , ideias…duvidas !
    Ai vai a minha real experiência e de meus familiares que ouviram ate mesmo atraves do telefone a longa distância.
    No dia 07 Dezembro de 2010, eu estava sentada em frente ao meu computador, vendo meus emails. eram quase 09 da noite, e parecia la’ longe o badalar de um sininho, bem suave, quase que mal se ouvia… muito suavemente, baixinho lindo som Não dei importancia de inicio, porque pensei que fosse algum animal com o sininho ao pescoço , talvez um cabritinho, um gatinho… Continuei na minha, mas o som do sininho “caminhava” – isso mesmo ..parecia ora que estava do lado de fora da minha janela, ora do lado de fora da porta, ia e vinha o som as vezes um pouco mais alto e depois mais baixo e as vezes…mas bem baixinho . Comei a dar atenção ao som. Percebi que o som queria entrar na minha saleta. Quando eu olhava para tras o sininho parecia que mudava de posiçaõ….
    Fui ate a sala de visita aonde estava meu marido e perguntei se ele estava ouvindo um sininho tocando e ele disse “… Ah sininho… acho que não …Espera e ‘ …esta tocando bem baixinho la no seu STUDIO… …vamos para a outra sala… E’, aqui esta mais alto um poucquinho… Deve ser algum gato com sino no pescoço”; Decidimos procurar pela casa toda (de dois andares e porão) e nada foi achado. Fomos então dar a volta pela ladode fora da casa , examinamos cada centimetro da garagem de todos os cômodos, varandas…… e nada… O sino continuava tocando pela janela e ora pela porta dos fundos. Percorremos tudo. Bisbilhotamos todos os cantos. O tocar desse sininho durou duas horas sem parar. Eu disse ” so pode ser um fenômeno espiritual. Mas meu marido retrucou ” Ah nada disso não acredito.” Como ele e engenheiro ,deu todas as desculpas fisicas e o sino continou ate as 23hs daquela noite que se repetiu por dias e noites.Quando começava de dia as vezes voltava a noite para que todos juntos o ouvissemos…Nos parecia assim.
    No dia seguinte ele começou a tocar as 8:10 da manhã e o nosso cafe foi conturbardo. O badalar lindo e suave continou ate’ as 10 e trinta daquela manhã. ‘A noite ele voltou a tocar pelas 9e 30 e começou a me dar arrepios. Meu marido ouvia tudo dando leves risadinhas… eu resava. Chamei a nossa filha que estava gravida, e ela disse ” que sino e esso mãe… estou ouvindo um siniho…ha dias”
    Meu marido na outra sala procurou por toda a parte com a nossa filha o bendito sininho. “Ate os metais se estivessem juntos poderiam sofrer algum atrito …” Nada se atritava somente os nossos dias e noites, que se repetiam igualmente.disse o meu engenheiro descrente. Os dias se seguiram e nos passamos a conversar com o som do sino que praticamente rspondia intimidado acreditem ou não pois fizemos muitas perguntas, oferecemos preces, chamamos pelos nomes de alguns parentes falecidos mais recentemente e o sino nos confundia. Isto aconteceu ate fevereiro de 2011 quando ja me desesperando e tirando a paciência de todos em casa, nos perguntamos se o sino queria uma Missa que ele tocasse tres vezes sem interrupção – pasmem- ele tocou as tres vezes sem interrupção. Nos ajoelhamos resamos P.N Ave M. e o Credo em louvor ao sino ou ao que fosse… E garantimos fariamos a Missa. Pedimos para se retirar porque ja estavamos todos cansados eram mais de onze horas da noite. E o sino se foi.
    NO dia seguinte ainda meio atônita, fui tomar meu cafe da manha e o meu marido, quando o sino recomeçou, meu marido saiu para trabalhar e eu fiquei em casa sem condições fisicas e mentais para ir ao meu trabalho devido a noite exaustiva que o sininho nos proporcionou… No andar de cima estava minha filha dormindo ainda. Terminei o meu cafe, ajeitei a cozinha e fui para sala – a mesma aonde começava sempre o badalar do sinho delicado… aonde esta o meu computador. E’ o meu Studio de Artestambem, por isso passo boa parte do tempo nele. O sino começou , agora aumentava o som, mas ora baixo ora mais alto. Ja estavamos no Mes de Fevereiro de 2011, (vejam acima novamente quando o sino começou a tocar pela primeira vez…) e isto durou o dia todo com interrupção de meia hora. Meu marido chegou para almoçar e ouviu o som , idem a minha filha….
    Almoçamos constrangidos…. Eu falei ” sininho , você pode ir embora, nos deixe se não tem nada para nos avizar, ou pedir a mais… por favor… Nos vamos mandar resar a MIssa pra você, okay….
    Meu marido acaboou de almoçar riu e disse, “naõ liga vai passar…””
    Ele foi para o trabalho dele, e eu comecei a fazer limpesa na casa, e minha filha chateada mas triste falava com o sininho….Mil perguntas….
    Eu cansei e chorei, pensei em muitas pessoas amadas por mim , por nos que se foram desta vida…. pensei em avisos funestos… a cabeça girava a mil.
    MAis tarde, resolvi telefonar para o meu marido no tarbalho dele, e a primeira coisa que ele disse foi ” estou ouvindo daqui o sinho …”
    Mas, como pode meu bem, o sininho esta tocando la na outra sala nos fundos no meu Studio… eu estou na saleta de visitas…. nao da’ para você ouvir… “Oh da’ sim estou ouvindo como se eu estivesse ai com vocês, pode acreditar e estou ate arrepiado…como e esse tal de fenômeno ….?
    Comecei a chorar novamenbte.
    O dia passou assim , ouvindo o sino tocar ate a hora em que meu marido chegou e eu disse vou eleouquecer com o som desse sino que não parou o dia todo…”
    Minha filha disse “vou pra minha casa…isto aqui ta ficando assombrado “….
    No dia seguinte , um Sabado, meu marido resolveu acertar algo que estava errado nas ligações do meu sistme 9 tenho outros aparelhos ligados junto ao meu PC) quando o son que não parava, aumentou mais um pouco a tom.
    Eu perguntei meu bem , sera’ que esse sininho vem da parte de (fulana), fulana era ou e’- não sabemos ainda se ela faleceu, o nome da ex-esposa do meu marido (ele divorciou dela e depois casou comigo)
    Meu marido disse ” pergunta ao sininho”. Perguntei…. pra quê …. por uns 15 segundos ele parou de tocar e imediatamente aumentou o som desesperadamente muito mas muito alto mesmo e como que se estivesse voando por cima de nossas cabeças , nos esfregando o som pelo nosso corpo, ele tocava estridentemente, e eu comecei a chamar por Jesus Cristo, pelor Miguel Arcanjo por socorro, e nos dois abraçados apavorados, resamos, e o sininho foi diminuindo de tonalidade ate parecer que estivesse do lado de fora da janela – que diga-se de passagem vive sempre fechada…
    E aos poucos ele se foi.
    Passaram -se os dias e a Missa estava marcada para Junho, pois não havia vaga para antes.
    No dia 26 de Junho foi feita a Missa ‘as Almas.
    No dia 28 de Junho dois dias depois, ouvimos o sininho tocando levemente , suavemente numa so badalada.
    Foi o fim.
    Nunca mais ouvimos o sininho.
    Confesso que senti saudades, porque imaginei que bem poderia ser o espirito de minha mae ou pai… que a distância me maltratou muito por alguns anos.
    Hoje , sempre me lembro do som daquele invisivel sininho… e nos perguntamos O que seria aquilo, queria ele uma Missa mesmo, estara satisfeito, a alma esta agora em paz , …?
    – Alguem entre vocês sabe dizer o que aconteceu na minha casa, na minha familia, o que pode ser isto…?
    Ajudem-nos por favor.
    Agradecemos MUITO..
    Meus amigos, ha outro detalhe muito mais importante.
    Antes da minha mãe falecer, ela havia nos dito que queria reenvarnar e renascer nos USA, e qye me daria um sinal.
    Não dei muita importancai para as palavras dela, ios achei que ela estava revoltada por algum motivo no momento.
    Ela faleceu em 14 de Fevereiro de 2000. Minha filha casou em 2010 e engravidou. Em 07 Dezembro de 2010, o sininho tocou pela primeira vez. Minha filha daria a luz a uma menina em 14 de 2011 de Fevereiromas devido a uns aborrecimentos com o marido, ela teve que ir para a emergência em 25 de Janeiro, e deu a luz a menina. VEJAM BEM AS DATAS !
    Mas, antes da minha filha dar a luz, eu havia resado para a alma de minha mãe e pedi a ela que nçao esquecesse de me dar o sinal, da volta dela, e que trouxesse a marca – o sinal que ela tinha nas costas dela- para as costainhas da nenê que nasceria em breve.
    Assim , foi, o sino tocando (SINO INVISIVEL !) a data do nascimento _ ela era Aquariana e a minha neta e Aquariana…. a marca nas costas da minha neta…..
    Quem seria o sininho, a exmulher do meu marido ou a volta da minha amada mãe para o nosso convivio…?
    Minha mãe era madrinha de Batismo de minha filha.
    Eu sou a madrinha da minha neta (MINHA MÃE ?)
    Quem de vocês tem a capacidade de responder, por favor, se manifeste, estamos esperando um sabio no assunto
    Deus abençoe a todos nos.
    Zizi e familia

  102. Ontem a noite passei horas lendo o texto e as discussões. Penso terem grande valia os mais diversos pontos de vista e, exatamente por isso, a leitura me absorveu tanto… Hoje cedo, nas minhas leituras matinais da bibliografia básica organizada por Allan Kardec a primeira página dizia, ao responder um dos questionamentos feito aos espíritos: “…o homem está longe de conhecer todas as leis da Natureza; se as connhecesse todas seria Espírito superior. Cada dia, entretanto, dá um desmentido àqueles que, crendo tudo saber, pretendem impor limites à Natureza, e, por isso, não ficam menos orgulhosos. Revelando, sem cessar, novos mistérios, Deus adverte o homem para desconfiar de suas próprias luzes, porque um dia virá em que a ciência do mais sábio será confundida. Não tendes, todos os dias, exemplos de corpos animados de um movimento capaz de sobrepujar a força da gravitação? A bala de canhão, lançada no ar, não supera, momentaneamente, essa força? Pobres homens que crêem ser tão sábios e cuja tola vaidade é, a cada instante, confundida, sabei, pois, que ainda sois bem pequeninos.” (Livro dos Médiuns, página 63, 86ª edição, 2008, Tradução de Le Livre des Mediums, 31ª Édition de française.

    • Cara Cyntia Carnetti,
      em nenhum momento a ciência tenta impor limites à Natureza, como foi afirmado. Na verdade, o processo é exatamente o inverso: dados os fenômenos observados, seja no dia-a-dia, seja em laboratório, passa-se à coleta de dados experimentais, à construção de hipóteses, enunciados, leis empíricas e, após um número considerável de comprovações, chega-se à teoria, a qual deve possuir consistência interna e rigor matemático. Como você pode ver, é a Natureza que impõe limites ao nosso conhecimento. Nossa tarefa é tentar desvendá-la (o que é uma tarefa árdua, mas ao mesmo tempo fascinante!). Quanto ao que você mencionou, que a bala de canhão lançada no ar supera, momentaneamente, a força da gravidade: não confunda força com velocidade. A bala, lançada com uma certa velocidade (grandeza vetorial), sofre a ação da força peso que modifica seu módulo e direção, trazendo o objeto de volta ao solo após decorrido algum tempo (caso a velocidade de lançamento seja inferior á velocidade de escape da Terra). Além disso, há também a força de atrito viscosa da atmosfera, a qual também contribui para retardar o movimento do projétil. Como você pode ver, o termo “sobrepujar” a gravidade não é adequado. O mais correto seria: temos um objeto que se desloca no espaço sob ação de uma força externa que modifica seu movimento, apenas isso ok? Abraço.

      • O equívoco de Cyntia já começa pelas bibliografias utilizadas para validar ou não uma questão de ordem científica. Kardec, à medida que ia escrevendo sobre o mundo espiritual, deixava ao mesmo tempo de ser um cientista e, portanto, a possibilidade de ser utilizado como fonte segura para questões deste mundo natural também ia embora. Espírito superior, mundo espiritual, etc. são conceitos religiosos, não naturais por definição. Dependem da crença, da experiência subjetiva e, por definição, não podem ser empregados como referências “bibliográficas”, nem básicas, nem nada do gênero.

        “…o homem está longe de conhecer todas as leis da Natureza; se as connhecesse todas seria Espírito superior.”

        A conclusão não é lógica, mas uma vontade religiosa: do fato de se conhecer bem um conjunto de lais da “Natureza” não decorre o estado de “Espírito superior”. Não há ligação lógica que sustente isso, mas tão somente uma crença na existência de espíritos superiores e que a eles se pode chegar via conhecimento. Mas isso não passa de crença daqueles que nisso mesmo creem.

        Por fim, ótima resposta Mateus!

  103. “Bárbara Marciniak, autora de Mensageiros do Amanhecer (da Ground) e Earth (da The Bear and Company); e a astróloga Bárbara Hand Clow, que escreveu The Pleidian Agenda, da mesma editora, receberam várias canalizações de seres pleidianos.”

    Aí se vê que (por incrível que pareça) há gente esclarecida que ainda crê em astrologia, em mediunidade (canalizações). Todas da mesma editora… hum, sei. Aposto que nenhuma dessas publicações foi feita por uma Oxford Press, ou Harvard Press Company, ou mesmo pela Cultrix (USP) ou pela Jorge Zahar. Devem ser editoras criadas ad hoc, nada além disso.

    Novamente, devia de se envergonhar ao publicar textos obscurantistas. Eles não fazem o leitor pensar; ele fazer o leitor ou se indignar, ou pensar que descobriu a última verdade de seu destino, entregando-se ao ostracismo. Replicar isso é contribuir negativamente para com a sociedade.

  104. Cara Miriam Diniz,
    não consegui entender direito o quê você quis dizer com “análise de situação”, em se tratando da suposta idade do Universo que é colocada.
    De fato, o valor de 10 mil anos é absurdo já que, só para citar alguns exemplos, rochas terrestres que datam do período pré-cambriano
    indicam uma estimativa de idade de 4,5 bilhões de anos, assim como algumas amostras coletadas de rochas lunares. Além disso, a análise
    fotométrica de aglomerados estelares globulares (localizados tanto no bojo quanto no halo da Via Láctea),
    juntamente aos modelos de evolução estelar, apontam um limite inferior de 10 bilhões de anos para a idade da Galáxia. O valor
    de 14 bilhões, aceito pelo modelo padrão da cosmologia, surge naturalmente das soluções da equação de Friedmann para o Universo em larga escala,
    a qual tem como fundamente a Relatividade Geral.

    Quanto ao fato de analisarmos a luz de objetos distantes para estimar idades, isso não invalida os resultados. Sabemos que a luz viaja a uma
    velocidade finita e, para atravessar grandes distâncias, as escalas de tempo astronômicas são enormes. Só para se ter uma idéia, nós estamos
    a, aproximadamente, 8.000 parsecs do centro da nossa Galáxia (algo em torno de 24.000 anos-luz). Ou seja, um feixe de radiação emitido pelo centro
    da Galáxia leva 24.000 anos para chegar até nós. E nós somos capazes de detectá-lo (por exemplo, o centro galáctico é um grande emissor de
    raios-X, em função de um suposto buraco negro supermassivo, chamado de Sagitário A, localizado no centro e que sustenta a rotação de todo o
    disco Galáctico). Dessa forma, como é possível que o Universo só tenha 10.000 anos?

    Minha dica é: esqueça COMPLETAMENTE esses supostos experimentos que colocam uma idade de 10.000 anos para o Cosmos. Isso é completamente
    fora da realidade, ok? Forte abraço.

    • Mateus, vc é uma coisa linda! Vc está muito técnico pra analisar tudo. Talvez seja bom se vc relaxar um pouco na sua maneira de ver e entender um assunto. O texto é claro: ‘como diz ‘alguns experimentos indicam…que o universo tem 10 mil anos’ Veja bem: alguns experimentos…
      Quero deixar claro que sei que o homem estuda as estrelas através da fotometria (=medidada luz) ou seja, através das radiações eletromagnéticas emitida pelas estrelas é estudada a intensidade da luz em diferentes comprimentos (chamamos de espectro). Assim, o homem estuda as estrelas através da espectroscopia.
      Para minha cultura filosófica, nós tivemos um início, estamos em evolução e a eternidade é a proposta que se nos depara para o nosso futuro. Daí, não de forma técnica, mas filosófica, há maneiras de medirmos tudo o que entendemos como existencial com uma medida de 10 mil anos, ok! abraços carinhosos a vc e ao IsaqueGC.

      • Cara Míriam,

        tenho grande respeito quanto às convicções filosóficas e religiosas de cada um. É claro que temos e devemos ter liberdade para pensar, mas, ao veicularmos informações de conteúdo científico/acadêmico, o rigor é necessário: os métodos adotados e os procedimentos de análise de um experimento devem ser claros e objetivos, a fim de que possam ser compreendidos e reproduzidos por qualquer outro cientista em qualquer momento, respeitadas, evidentemente, as limitações técnicas inerentes a cada tipo de medida realizada. Imagine se cada cientista publicasse seus resultados de acordo com suas convicções pessoais e culturais, ou seja, do jeito que bem entendesse. A pesquisa científica seria impraticável. Dessa forma, considerando a escala de medida de tempo 1 ano = 365 dias, a idade do Universo é muito superior a 10.000 anos, como mencionado no post anterior. Seria interessante se você disponibilizasse as fontes onde constam esses experimentos que apontam o resultado de 10.000 anos. Assim, poderíamos debater com mais clareza. Grande abraço.

      • ‘… interessante se você disponibilizasse as fontes … que apontam o resultado de 10.000 anos…’
        Vc seria algo tipo..NOTA 1000? Incrível é o seu vocabulário unido ao seu raciocínio e a sua lógica… Vou dizer o seguinte: costumo escrever o q leio e anotar a fonte. Na época considerei inovador a distribuição do tempo em relação ao espaço físico disponibilizado a nós humanos (=vida= 10 elevado a n negativo (?)) Ou seja,teríamos algo de frações de segundo em toda a criação.1) Kant (1724-1804): ‘…espaço é uma grandeza infinita…sua representação é uma intuiçao e não um conceito…possui três dimensões apodíctas (=não podem ser contestadas); 2) Einstein, 1917 representou o universo cujas coordenadas do espaço seriam curvas (ilimitado porém finito, esférico), e a do tempo seria reta (ilimitado e infinito); 3) Rouse Ball: ‘o éter forma uma capa delgada na quarta dimensão, através da qual se transmite a gravitação; 4)Sitter colocou o universo tetradimensional constituído de espaço e tempo (=ambos ilimitados mas finitos) lembrando a figura da ‘bolha de sabão’. Há muitos modelos de concepções abstratas utilizados pela física e não fica excluída a possibilidade de existirem espaços polidimensionais. Tipo: o espaço sofre curvaturas, portanto deve existir algo com mais de três dimensões capaz de comportar a curvatura do espaço e, este deverá ter mais dimensões, ou seja, um hiperespaço de quatro dimensões. Assim admitimos a existência de espaços com 5, 6, 7,… e n dimensões. Seriam espaços paralelo e cada espaço paralelo seria outro universo.

      • desculpa me meter aqui, ja que é isso o que tenho feito desde o início aparentemente. Mas “relaxar um pouco na sua maneira de ver e entender um assunto” pode significar: não sejas tão crítico, não pense nem questiona em relação às premissas; elas são um absurdo, sim, mas faças de conta que elas são verdaderias.”

        Aff, que pobreza intelectual. Além de falácia. Agradar o interlocutor (“vc é uma coisa linda!”) para que ele, agraciado, seja mais comprensivo. Muito pobre essa técnica.

  105. Simplesmente sensacional estes esclarecimentos. Parabéns Christina Bastos Tigre por ter dado início a este forum tão esclarecedor. Gostaria muitíssimo de receber e-mails sobre este assunto. Parabéns à todos que contribuiram postando esclarecimentos tão reveladores.

    Fiquem com Deus !

    Rinoco

  106. Cara, Miriam Diniz. Antes de tudo, é bom dizer que percebe-se sua grandiosa vontade em respeitar e debater, ou ao menos expôr, suas posições, ideias. Isso é louvável! Parabéns. Eu tenho muito a aprender com voce nesse sentido.
    Por outro lado, vejo que você fala em uma “4ª dimensão” como se estivesse falando de uma pedra no caminho. Ora, a ciência newtoniana reconhece (pelas evidências) apenas uma quarta dimensão, e ela é a de “tempo”: três espaciais e uma temporal. O resto é tudo ainda teoria, suposições científicas não comprovadas empiricamente. No mais, a teoria das cordas, com suas numéricas dimensões, são uma coisa; o que você dá a entender quando fala desta tal 4ª dimensão eu e muitos desconhecemos completamente.
    Diz-se acima

    “Massagem, acupuntura, homeopatia, meditação, yoga, o tai-chi, etc. são também técnicas de grande utilidade, pois mexem com o corpo sutil e abrem os canais de comunicação com outros universos”.

    Ora, “abrem os canais de comunicação com outros universos”. Como se dá essa comunicação? Em que linguagem ela acontece? Como compreender essa linguagem/comunicação? Como interpretar? Que sentido dar? Quais os signos linguísticos usados? O que significa “abrir os canais”? Com traduzir isso de maneira compreensível? Ah, não se pode traduzir isso? OK! Mas então se trata tão somente de experiência religiosa. Logo, deixe de lado essa tal “cientificidade” que tenta trazer em seus posts, e assuma que isso se trata nada mais do que crença/experiência religiosa. Isso deve sempre ser respeitado, mas quando se diz que “cientistas” têm dito isso ou aquilo, daí é de se duvidar, que é o que eu tenho feito aqui.

    Quanto a eu ser maçom: sim, faço parte dela e, como tal, aprendi a conviver com pensamentos tão adversos quanto imagináveis. Aprender a conviver é uma coisa; aceitar é outra. E não: não é uma regra que nós, maçons, tentemos ser sempre “os melhores” ou coisa assim. Por favor, não generalize sua opinião relativa à ordem a partir dessas experiências particulares.

    Um forte abraço.

    isaquegc

    • Somos seres energéticos, não tenha dúvidas. Só q precisamos de um apoio em qualquer ciência. Mas cada ciência utiliza de determinada terminologia s e isto é q causa atritos. Canais de comunicação? Com o q? Vc diz q a crença deve ser respeitada. E…? Respeitamos pois temos medo daquele ser q criou tudo e…não sabemos nada dele… e ele pode fazer qualquer coisa contra a gente, não é? E por aí vai….
      Abçs

      • Cara Míriam Diniz,
        apenas um pequeno comentário: você colocou que precisamos de “um apoio em qualquer ciência”. Para bem da verdade, necessitamos de nos apoiar em uma ciência bem fundamentada, com conceitos e definições claros, baseada em princípios comprovados experimentalmente e com deduções lógicas e rigorosas. Esse sim é o conhecimento digno de ser estudado. Devemos ter muito cuidado com certas áreas supostamente científicas, como a astrologia, a qual encontra-se baseada em fatos e argumentos que não tem rigor científico, embora seus praticantes afirmem o contrário.

  107. Cara Míriam Diniz,

    de fato a definição de curvatura do espaço tridimensional pressupõe a definição de um vetor tetradimensional, ao qual não temos acesso através de medidas diretas, apenas através de medidas locais. O efeito mensurável da curvatura do espaço é nítido ao avaliarmos as distâncias físicas percorridas nesse espaço curvo e compararmos com as variações das coordenadas espaciais caso não houvesse essa curvatura… tentando deixar um pouco mais claro, é o seguinte: um vetor tridimensional pode ser representado por suas componentes ao longo de três eixos (x,y e z), ou mesmo através de coordenadas esféricas: uma delas é a distância radial até a origem e as outras duas são os ângulos (theta e phi) azimutal e longitudinal que orientam o vetor. Mantendo esse ângulos fixos e variando a coordenada radial temos que, num espaço euclidiano sem curvatura, a distância física percorrida corresponde ao módulo da variação da coordenada radial (dL = dr). No entando, se o espaço é afetado por uma constante de curvatura, a qual depende das distribuições locais de massa e energia, de acordo com as equações de campo de Einstein, a distância física percorrida dL não é mais igual à variação da coordenada radial. Para um espaço curvo, dL = dr x f(kR), ou seja, a distância percorrida passa a depender de uma função f da curvatura e do módulo do raio de curvatura tetradimensional. Para k=0, temos um espaço plano euclidiano. Além disso, o raio de curvatura varia de acordo com a expansão do Universo, ou seja R = R(t) e a forma analítica de R(t) é resultado da equação de Friedmann, à qual pode ser acrescentada o termo da constante cosmológica, associada à famigerada “energia escura”, garantindo uma expansão acelerada, em acordo com as observações. Em resumo, para avaliarmos distâncias em um espaço tridimensional curvo, descrito por geometrias Riemanianas , necessitamos de um vetor 4D para obtermos o termo de curvatura. Maiores informações podem ser encontradas no ótimo livro “Introdução à Cosmologia” (EDUSP), de autoria do cosmólogo brasileiro (Universidade de São Paulo) Ronaldo Eustáquio de Souza. Abraços.

    • Você também não mencionou as fontes com os experimentos que resultam em uma idade de 10.000 anos para o Universo. Seria interessante postar as fontes nessa página, para que todos pudessem tirar suas conclusões.

  108. Há uma versão eletrônica do livro que mencionei e pode ser visualizado no link:

    http://www.astro.iag.usp.br/~ronaldo/intrcosm/Notas/index.html

  109. tenho vontade de saber se realmente vai acontecer algo em 2012 se seres de outros mundos vão aparecer em massa , ou se catastrofes se abaterão sobre nos para a transição do planeta … ate onde isso e verdade kardec fala na livro a genese capitulo XVIII que as mudanças serão gradativas e não vão acontecer grandes eventos onde esta então a verdade nisso tudo gostaria de uma resposta sensata as pessoas estão fazendo uma salada com o espiritismo misturando tudo inclusive com ufologia eu sei que existem outros seres mas qual e a real conexão entre esses dois assuntos …

    • Amigo, vc leu o artigo ‘Ufo Fenômeno de contato’? (até o final?) e depois ‘discos voadores’? que estão logo no início? Digo-lhe mais, nos centros kardecistas várias são as pessoas q estão tendo contatos com seres de outros planetas.(como estão em uma dimensão mais sutil é necessário uma alimentação vegetariana para senti-los, vê-los, etc) Normalmente se espera q sejam de carne e osso como nosso corpo. Mas não é no espiritismo que se prega a imortalidade? A continuidade da vida? Então, a vida continua e nós continuamos nossa evolução em corpos mais aprimorados. E isto seria possível com o corpo q utilizamos atualmente? Claro q não. Os UTS (ultraterrestre) são seres mais próximos a nós e q estão na 4ª dimensão. Como passista noto a presença constante deles em nosso meio. No atendimento às salas de passe há em média , 80% de seres encarnados entre uts e médiuns de desdobramento, e conta-se, mais ou menos, 20% de desencarnados responsáveis pelas atividades ali realizadas. . Os uts estão em uma dimensão mais sutil e nos acompanham em todos os sentidos. Eles contam q possuem inúmeras tarefas dentre as quais auxiliam no aprimoramneto genético das espécies terrestes. Os uts tem origem em vários planetas diferentes. Seus corpos são parecidos com o nosso. Muitas das cirurgias espirituais são realizadas por eles. Quando perguntei a um deles o motivo ou privilégio de estarem em uma dimensão melhor q a nossa a resposta foi: quando vcs aprenderem tudo o q tiverem de aprender na terceira dimensão então passarão para a 4ª dimensaõ. Depois q aprendemos tudo o q precisarmos na 4ª dimensão, passaremos para a 5ª e assim vai seguindo sucessivamente… Leia: ‘Nissão Alfha I, escrito por Sonia Rianldi e Gregorio, e vc entenderá melhor. Abaixo, mando-lhe o trecho onde Uts (ultraterrestre= encarnados da 4ª dimensão), vindo de outro planeta, fazem uma cirurgia espiritual e material. Lembro que é uma síntese relacionada ao ato cirúrgico. Caso lhe seja interessante, adquira o livro e muitas outros assuntos são tratados de forma de fácil compreensão.

      MISSÃO ALPHA I – Sonia Rinaldi/Gregório(espírito)
      Casa Editora O Clarim – maio- 1992
      A terra registrava o ano de 1970.
      Alpha I é uma gigantesca cidade espiritual situada sobre a região norte da Europa, abriga eminentes cientistas, estudiosos e pesquisadores que, um dia habitaram nosso planeta, e hoje lá se reunem, continuando seus estudos, aprimorando teorias, com a finalidade de suprir os futuros avanços que, em suas posteriores reencarnações na Terra, lhes permitirão trazer, sob a forma de descobertas científicas, novos degraus para a evolução da tecnologia do homem.
      Dispondo de avançados recursos que sequer cogitamos, estão dezenas de anos à frente de nossas ciências: tudo que um dia aportará em solo terreno, por via da presença desses iluminados Espíritos que, nesse intercâmbio, devotam suas vidas sucessivas em busca da melhoria de condições para os seus semelhantes.
      Apha I é uma estação que responsabiliza-se exclusivamente pelo intercâmbio de estudiosos irmãos que, de alguma forma, querem ou podem trazer alguma contribuição a nível de ciência. Digamos que seriam os encarregados de promover a evolução da Terra, de dar orientação ao seu rumo.
      Marcellus era o nome do dirigente de Alpha I que possuía a forma de uma estrela de cinco pontas.
      A cúpula central é administrada pelos dirigentes setoriais que comunicam-se com hierarquias superiores ao amanhecer e ao pôr do Sol.
      No centro da estrela há uma luz intensa, prateada que é a comunicação intercambiada, e cada ponta da estrela está repleta de edificações.
      Em torno da cúpula ficam os edifícios de estudos dos cinco setores e ao redor deles desenrola-se toda a cidade espiritual.
      As cinco pontas originam-se a partir da administração central de onde partem as designações superiores. Cada setor responde por uma fonte de aprimoramento a ser levado para Terra. Traçando um paralelo com relação aos pontos cardeais teremos:
      – Na parte Norte ficam os estudiosos do ecossistema;
      – A parte Leste abriga a engenharia genética;
      – A parte Sudeste abriga a biotecnologia;
      – A parte Noroeste os avançadíssimos estudiosos da transeletrônica;
      – Na parte Sudoeste ficam sediados as equipes de comunicações.
      Lunk e Flênai eram os nomes dos visitantes e sábios mestres da longínqua estrela conhecida por nós como Aldebaran que fica na constelação de Taurus onde sabiamente a evolução atingira as raias da perfeição.
      Os irmãos de Aldebaran já deixaram de utilizar a locomoção contínua ‘e valem-se de conhecimentos que, dentro do nosso atual estágio evolutivo, nos são insondáveis. Eles dominam o espaço e o tempo e a comunicação mental é a linguagem corrente.
      Os habitantes de Aldebaran hoje assemelham-se a figuras resplandecentes ou pequenos sóis (um dia essa evolução será a nossa também). Mas estando na Terra, assumiram nosso biotipo, ou seja, nosso aspecto pois apresentando-se de forma similar a nós,
      terão livre trânsito, sem motivar constrangimentos.
      Aldebaran tem atmosfera quintessenciada e seus habitantes possuem corpos de composição vibracional de frequência mais elevada, os dois visitantes sentiriam sufocados em certas áreas do planeta com característica de baixa vibração, devido a baixa espiritualidade. Assim eles
      foram convidados a passarem por uma plataforma localizada abaixo de Alpha I cuja finalidade é servir de base para colocação de vestimentas com densidade quando viajam em direção à crosta terrestre, e de repouso e retirada das ‘roupas-guardas’ quando voltam da Terra para
      a cidade espiritual.
      A ação nas esferas mais elevadas é sempre contínua pois não necessitam de repouso ou ingestão de alimentos (como nós aqui).
      Aqueles espíritos superiores que tudo sondam, captam e pressentem, fizeram uma análise intra-aura e constataram que Marcellus estava atado a alguém que este afirma que era a sua futura mãe.
      Os visitantes ficaram cientes de que duas potências governamentais lideram o mundo. Uma sediada a Oeste, de nome Estados Unidos, e outra sediada a Leste denominada Rússia. Ambas, na luta pela supremacia duelam as cegas, movendo-se na direção da autodefesa e investindo todo o seu potencial de pesquisadores para esse fim. Importa a cada um superar o outro e para isso ordenam e exigem produção.
      São tempos de materialismo intenso onde a noção da existência do espírito não encontra vaga. E irmãos da obscuridade fazendo sintonia com as intenções humanas, veem nesses líderes encarnados seu canal aberto de manifestação.
      Concluindo: o homem genérico que habita o planeta é joguete nas mãos de humanos encarnados de ambição desmensurada, reforçados pela força brutal das falanges de desencarnados que se afinam com essas loucuras.
      O grupo chega ao Vietnam cuja guerra está deflagrada há alguns anos.
      Percebia-se na região uma exalação pesada e o solo estava coberto com densa nebulosidade, cheia de carga elétrica negativa..
      Os habitantes são vítimas dos interesses de outras nações que almejam o domínio local.
      Os vietnamitas desejavam libertar-se do jugo da nação de quem eram colônia.
      O governo dos Estados Unidos decidiu não permitir a libertação do Vietnam pois isto prejudicaria seu coméricio com o oriente.
      A nação se dividiu em duas facções, norte e sul, e os americanos fizeram aliança com os vietnamitas do sul.
      A progressão dessa luta sem sentido já atingiu milhares de vidas, pois os bombardeios ocorrem nas aldeias e vilas, sobre escolas ou hospitais, sobre qualquer lugar.
      E a perda não é só dos pobres habitantes que nada fizeram a não ser terem nascido nesse solo.
      O materialismo desmensurado toma conta do rico país americano. E jovens soldados foram obrigados a deixar suas famílias, seus estudos e quando retornarem serão o quadro vivo do erro cometido: mutilados, loucos, drogados.
      O grupo chega ao hospital de campanha de Hanói onde inúmeros irmãos desencarnados já prestavam auxílio aos acidentados, feridos, inutilizados.
      Um médico da Cruz Vermelha, humano de alto padrão moral, fora informado sobre novos feridos.
      Entre os que gemiam havia um caso gravíssimo: uma jovem, com não mais de vinte anos, além de encontrar-se em gravidez avançada, trazia a nuca entumecida e com vários cortes.
      Flênai, colocando-lhe a destra sobre a fronte descorada captou em sua tela mental os últimos acontecimentos: viu-a correndo para fora de um barraco onde se abrigara, quando iniciou o bombardeio na região; tendo percebido que uma bomba cairia a poucos metros de onde se
      protegera arrancou em corrida desesperada, tentando abrigar o ventre, dando as costas aos estilhaços, farpas e tudo quando voou pelos ares com a explosão. Fora atingida na região da coluna dorsal por largo pedaço do barraco que minutos antes lhe servia de proteção.
      Flênai passou a outras investigações: o bebê estava vivo. Íntegro. Apenas em estado traumático. Ao inspecionar a coluna da jovem notou duas fraturas na coluna vertebral. Diagnóstico irreversível: a moça jamais voltaria a andar, tetraplégica… ficaria inerte numa cama para sempre.
      O médico físico, Dr Johnson, foi magnetizado e liberto do seu corpo afim de que Hermus (auxiliar de Marcellus) lhe assumisse os comandos físicos e atrás de si Lunk atuava sobre sua consciência.
      Dr Johnson/Hermus/Lunk sem utilizar anestesia, fizeram o corte na região ventral, de onde, para surpresa da enfermeira, não verteu sequer uma gota de sangue.
      Flênai, à cabeceira, dominava todos os comandos vegetativos da jovem para que ela não desencarnasse durante a cirurgia. E controlava-lhe as pulsações, temperatura, pressão, dor e movimentos.
      A operação foi rápida e para júbilo de todos, logo um menino se fazia suspenso pelos pézinhos nas mãos do Dr Johnson que caminhando depositou o recèm-nascido na bacia improvisada.
      Flênai fixou a região do corte e desprendendo raios de altíssima frequência fê-lo cerrar-se sem nenhum vestígio.
      A jovem que acabou de fazer uma cirurgia cesariana foi virada de bruços.
      Flênai fêz uma inspeção por via mental, observando a configuração de cada vértebra, de cada fibra, de cada célula. E seu diagnóstico foi: trinca com possibilidade de desligamento ósseo nas vértebras lombar e dorsal.
      Flênai, materializou duas agulhas douradas, que foram implantadas nas regiões lesadas e que serviriam para canalizar a energia ao ponto fraturado, senão sofreriam evasão devido a área ser de carga predominantemente negativa; através de energia altamente potencializada,
      já feita a microrreconstituição das células nervosas, e, a seguir, foi feita a microfusão das células ósseas, com base no modelo do duplo etérico das vértebras rompidas.
      O trabalho foi dado por concluído quando os neurônios foram retivados e as vértebras integralizadas.
      Hermus se afasta e o espírito do Dr Johnson retorna ao corpo físico e fixa a enfermeira com o bebê nos braços dizendo: ‘É o primeiro bebê nascido neste hospital’.
      E dali o grupo parte para outro local….

  110. Paremos de postar bobagens, pelamordedeus! Não é à-toa que os espiritualistas somos motivo de gozação! Não saiam replicando qq besteira da internet, esse plano mental humano absolutamente confuso! Sobre os astrônomos que descobriram o tal “sol central” em Alcione:

    “Edmund Halley – britânico, também matemático (1656-1742)
    Friedrich Wilhelm Bessel – alemão, também matemático (1784-1846)
    José Comas Sola – espanhol (1868-1937)
    Nenhum dos três jamais se envolveu em qualquer estudo ou hipótese de uma possível órbita do Sol em torno de Alcyone. Halley e Bessel estudaram as Plêiades, mas seus estudos foram voltados para o movimento próprio de suas estrelas, o que nada tem a ver com as idéias de Paul Hesse.
    Paul Otto Hesse – escritor esotérico alemão, publicou em 1949 um livro intitulado “Der Jüngste Tag” (The Recent Day) em que apresentou suas idéias sobre o Sol orbitando Alcyone e a existência do cinturão de fótons. É possível que neste livro ele tenha citado de forma abusiva os três astrônomos. Em um dos textos que encontrei, afirma-se inclusive que Hesse recebeu o Premio Nobel de Ciência!
    Portanto, nenhum astrônomo jamais calculou qualquer órbita de 26.000 anos, do Sol em torno de Alcyone, foi tudo imaginado pelo escritor alemão.
    Nosso sistema solar tem de 4,5 a 5 bilhões de anos, como poderia orbitar uma estrela que não tem mais de 100 milhões de anos? Todas as estrelas da nossa galáxia se movem, assim como o nosso Sol. Algumas se afastam de nós, outras se aproximam, os astrônomos já determinaram que o Sol segue na direção aproximada da estrela Vega, da constelação da Lira. ”

    Dois sites para nos devolver à sanidade:

    http://orebate-jorgehessen.blogspot.com.br/2011/06/transicao-planetaria-o-equivoco-de.html

    http://www.silvestre.eng.br/astronomia/polemicas/alcyone/

    • Amiga, bobagem é não nos inteirarmos que fazemos parte de uma 3ª dimensão e que seres + evoluídos possam vir até nós e
      mostrarem e demonstrarem o motivo pelo qual são mais evoluídos do que nós da 3ª dimensão. A gozação parte de quem é ignorante, pequeno e medíocre. Procure se informar mais. Não fomos criados para sermos apenas isto aqui. Abçs fraternos.

      • Com toda a franqueza o assunto merece: gozação parte de quem tem sanidade mental para julgar a insanidade de outras pessoas que não a tem, o que é o caso aqui. Escrever um texto sem embasamento, fundado apenas em crença (porque é isso o que pressupõe a existência da tal terceira dimensão), negar a idade científica da terra e do universo, etc., é motivo de gozação sim. Ficar por aí espraiando tais informações metafísicas é questão moral, não só de psiquiatria.
        Pior de tudo é querer embasar via ciência questões de religião (no caso, uma espécie de kardecismo). Assim confunde-se o racional com o intuitivo; o científico (dados empíricos experimentáveis) como religioso (crença). Perigoso isso aí.

  111. isso e muito enteressante mostra a capassidade de que todos podem aprender esse assunto eu realmente fiquei enprecionada

    • e eu estou impressionado com o sistema educacional brasileiro, com nossos professores de português principalmente. (Ah, já sei: outro comentário meu bloqueado…)

  112. isso e dimais
    cara

  113. e legal e enpressionante e duvidoso
    ne
    que concorda com migo responda

  114. sençacional

  115. Queria muito agradecer a autora do texto!!! Nunca ri tanto em minha vida!!! Não sei como alguém consegue acreditar em tanta besteira junta… Mas devo admitir, a habilidade que vocês pseudo-cientistas tem em pegar um conceito e um conhecimento bem fundado e deturpar para seus próprios interesses é enorme! Gostaria de poder fazer isso com tanta maestria! A, só um comentário: Edmund Halley morreu em 1745, naquela época não se sabia sobre fótons, nem muito menos se tinha a capacidade de avaliar se a terra orbita em torno de outra estrela além do sol…. (Pelo nível dos comentários acima da pra ter uma boa noção de quem acredita nessas babaquices, tipo enpressionante, dimais, com migo e etc….) Se vocês não tem filhos eu vou dar uma dica pra vocês: NÃO TENHAM, a humanidade agradece!

    • Nossa, quanta arrogância e intolerância..fica claro que o blog é de teor esotérico e não científico, e entrar só pra desdenhar dos que aqui vem buscar respostas para seus questionamentos filosófico-espirituais é desnecessário e a humanidade agradece o respeito!

  116. Obrigado pelos ensinamentos…

  117. Previsões sobre 21/12/2012: Fail…

    • Graças a Deus!
      Um escritor francês (C.F) realizou uma pesquisa sobre o q aconteceu na época em q havia previsões sobre o fim do mundo (q mundo?) e concluiu q inúmeras pessoas suicidam antes do fim do mundo.. Pergunta q não quer calar: o q aconteceu no período final séc XX ao início séc XI? Aqui no Brasil a lei proibe fazer qualquer comentário relacionado a suicídios…

      • Olá, até onde sei, no Brasil há uma lei que proíbe o incitamento ou ajuda relacionada ao suicídio; comentar sobre este fato é permitido. Evita-se, por bom senso, publicar acontecimentos dessa natureza, visto que fazer isso poderá levar, embora possa não ser o objetivo inicial de quem escreveu, alguém a também cometer tal ato contra a própria vida.

  118. O suposto sol de Alcione não deveria já ter feito a sua depuração sobre o planeta em Dez de 2012 ?
    É estranho porque EU CONTINUO VIVO e 2013 já vai avançado.

    Cambada de burros com talas…

  119. Quem acha que o Sol orbita Alcione só pode estar com a cabeça cheia de “gostoso veneno”, KKKKKKKKKKKKKK!!!!!!

  120. Teoria do Sol Central de Alcyone.

    Segundo a teoria, esse movimento do sistema solar ao redor de Alcyone levaria exatamente uma era astrológica completa, ou seja, aproximadamente 26 mil anos (12 x 2160). Durante esse período o sistema solar e a Terra ficariam mergulhados na escuridão em dois períodos de 10.800 anos e mergulhados em eras de luz por 2160 anos também em dois períodos. A teoria diz que em 21 de dezembro de 2012 a Terra estaria plenamente mergulhada no cinturão de fótons, entrando numa nova era de luz de 2160 anos que coincide também com o inicio da Era de Aquário.

    Vamos então analisar alguns fatos:

    O primeiro deles, é que a Era de Aquário não começou em 2.012, mas sim iniciará em 2658 (ou seja, daqui mais de 500 anos) e mesmo com boa vontade, considerando já a vibração de Aquário na Era atual de Peixes, como muitos astrólogos fazem, mesmo assim só entraremos na Era de Aquário em 2.127, ou seja, daqui a mais de cem anos.

    O segundo ponto: segundo essa teoria, a última “era de luz” foi de 10.800 até 8.640 a.C. Vimos que realmente uma era de luz se iniciou na Atlântida, o problema é que logo em seguida vieram os rebeldes capelinos e um grave período de guerras que inclusive fez a Atlântida afundar, exatamente no meio desse período da Era de Leão, algo que não condiz absolutamente em nada com uma era de luz.

    O terceiro ponto: A Terra é um mundo de expiação e provas, isso é algo facilmente observável, entretanto existem diversas informações de fontes espíritas e espiritualistas sobre a existência de civilizações muito mais evoluídas que a Terra dentro do sistema solar, mundos como Júpiter e Saturno, mundos inclusive que já passaram pelo nível de regeneração e que se tornaram lares de almas evoluídas moralmente. Ora, como explicar que esses mundos fossem arrastados para longas eras de escuridão do sistema solar junto com a Terra? Como explicar que os mundos do sistema solar ficassem fadados a viver ciclicamente sempre entre milhares de anos na escuridão e poucos milhares de anos na luz? Do ponto de vista da lógica, da evolução dos mundos, isso não faz o menor sentido.

    Mas estes são apenas os pontos que levam em conta conhecimentos elementares de Astrologia e da história humana (como o afundamento da Atlântida narrado por Platão). Temos algumas questões de simples lógica astronômica que impedem a veracidade da teoria de Alcyone exercendo o centro de um sistema estelar onde o nosso sistema solar orbitasse ao seu redor. Vamos às questões de ordem astronômica:

    As Plêiades (onde está localizada Alcyone) estão a aproximadamente 125 parsecs ou 407,5 anos luz de nosso sistema solar. Um cálculo rápido mostra que se o nosso Sol estivesse nesta órbita, então sua velocidade orbital seria de um pouco mais de um décimo da velocidade da luz. Isto é, aproximadamente 32.000 km/seg. Esta velocidade seria aparente, não só para astrônomos, mas para todas as pessoas, já que as constelações mudariam dramaticamente no curso de uma única vida se isto fosse verdade. A questão é que esse drástico movimento não ocorre, o que por si só já invalida a teoria dos defensores de uma era de luz em 2.012.

    As Plêiades são um agrupamento de aproximadamente 100 estrelas com uma idade média estimada em 78 milhões de anos. Estas são estrelas muito jovens, muito mais jovens que nosso próprio Sol, que se estima ter cinco bilhões de anos, muito mais jovens até mesmo que nosso próprio planeta, a Terra. Estudos dos movimentos próprios dessas estrelas, ou de seu movimento pelo espaço, mostraram que elas estão no processo de dispersão. Não há nenhuma evidência que essas estrelas orbitem Alcyone. Não há nenhuma evidência de planetas ao redor (orbitando) de quaisquer destas estrelas (Plêiades).

    Por uma simples questão de lógica, o Sol, a Terra e demais planetas do sistema solar, muito mais antigos que Alcyone A (estrela Eta Tauri) ou qualquer das estrelas do aglomerado das Plêiades, não poderiam orbitar estrelas que sequer existiam, a bilhões de anos, quando o Sol e os planetas do sistema solar já existiam.

    Mas não acaba por aí, existem ainda outros problemas: O Sol se afasta sete mil quilômetros por segundo de Alcyone. Caso estivesse orbitando a brilhante estrela das Plêiades isso jamais aconteceria. Tanto o Sol como todo o Sistema Solar orbita o centro da Via Látea, a uma velocidade média de 215 km/s e leva 225 milhões de anos aproximadamente para dar uma volta completa na galáxia, a Via Látea. Se o Sol seguir alguma estrela e se seguir, será a estrela Vega da constelação de Lira, a qual o Sol segue em sua direção aproximada ao longo do seu movimento orbital na galáxia.

    Mas faltou ainda uma questão: os defensores da teoria de Alcyone como centro de um sistema orbitado pelo nosso Sistema Solar, com início de Era de luz, apocalipse maia e outras baboseiras, afirmam que quatro astrônomos, após “amplos e minuciosos cálculos” atestaram que essa teoria é verdadeira. Os nomes citados são esses: Friedrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Sola e Edmond Halley. Pra começo de conversa, um deles nunca foi astrônomo, trata-se de Paul Otto Hesse que foi um escritor esotérico alemão que publicou um livro em 1949, chamado “O Dia do Juízo” (The Recent Day / Der Jungste Tag) onde ele apresenta essas ideias do Sol e do Sistema Solar orbitando Alcyone, sem qualquer base científica para tal afirmação e rejeitando todos os dados básicos de Astronomia que foram mostrados até aqui. Mas e os demais três nomes, que realmente foram astrônomos?

    Edmond Halley – britânico, astrônomo e matemático (1656-1742).
    Friedrich Wilhelm Bessel – alemão, astrônomo e matemático (1784-1846).
    José Comas Sola – espanhol, astrônomo (1868-1937).

    Nenhum dos três jamais participou ou apoiou qualquer estudo ou hipótese de uma possível órbita do Sol em torno de Alcyone. Halley e Bessel estudaram as Plêiades, mas seus estudos foram voltados para o movimento próprio de suas estrelas, o que nada tem a ver com as ideias de Paul Hesse. Sola realizou amplos estudos voltados pra descoberta de asteroides (descobriu 11) também escreveu em um jornal quinzenalmente de 1893 até 1937 artigos sobre Astronomia, assim como publicou alguns livros e em nenhum deles defendeu tal ideia do Sol orbitando Alcyone.

    Em virtude de todas essas evidências cristalinas é possível afirmar sem a menor sombra de dúvida: A Terra e o Sistema Solar não orbitam Alcyone, assim como não adentramos em Era de Luz alguma em 21 de dezembro de 2012.

    Que alguns médiuns espíritas e espiritualistas possam pesquisar mais e não ir “na onda” de teorias furadas como essa de “era de luz em 2012” ou “Sol orbitando Alcyone”, pois muitos médiuns, escritores e palestrantes têm repetido esses absurdos em livros e palestras e o pior: alguns dizendo que receberam tal informação mediunicamente, certamente algum animismo ou algum espírito fanfarrão que se aproveitou da invigilância de tais médiuns.

    Eu espero que esse texto ajude aos buscadores de informações sobre a espiritualidade e as transformações da Terra, pessoas que possuem um olhar de pesquisa, de comparação racional e científica e que não se deixam iludir por teorias esquisotéricas fantasiosas. Da mesma forma que a Atlântida teve a sua Era de ouro há quase 12 mil anos, esta humanidade após 2036 vivenciará em todo planeta uma nova era.

    • amigo, tudo bem? ‘Sol se afasta sete mil quilômetros por segundo de Alcyone. Caso estivesse orbitando a brilhante estrela das Plêiades isso jamais aconteceria. Tanto o Sol como todo o Sistema Solar orbita o centro da Via Látea, a uma velocidade média de 215 km/s e leva 225 milhões de anos aproximadamente para dar uma volta completa na galáxia, a Via Látea.’ – quanto a este comentário, lembre-se que a via láctea é composta de braços ou redemoinhos de estrelas. Um redemoinho gira em torno de um centro (que é também o centro da nossa via láctea) portanto, meu amigo, não estou questionando a física atual cujo progresso nos proporcionou inúmeros entendimentos quanto ao espeço que nos cerca. Mas, utilizando apenas a lógica, um redemoinho de estrelas, necessário é que haja uma certo posicionamento das mesmas, não é? O artigo citado por você, na verdade, desconheço o autor. Mas uma coisa te garanto, já houve muito ti-ti-ti a respeito. Quero lembrar, caro amigo, que muitos religiosos realmente desconhecem muitas leis físicas. Mas mesmo, assim, dá prá entender, nas entrelinhas, onde querem chegar. O pico da discussão foi durante a passagem do século, em qual tempo, havia a crendice de que o mundo iria acabar. Acredita, você, que foi uma interpretação errônea das palavras de Jesus que foi o motivo de tanto questionamento? Jesus disse: “de mil passará, de dois mil não passará” foi mais ou menos isto. ‘de mil passará de dois mil não passará’
      Jesus se referia a épocas psicológicas em que a humanidade haveria de passar.
      exemplo: podemos, mais ou menos determinar como será o desenvolvimento de uma criança,
      baseando em suas fases psicológicas, tipo, infância, adolescência, juventude, maturidade.
      E, com isto, poderemos fazer inúmeras programações em relação aos nossos filhos.
      Em relação à nossa humanidade, acontece o mesmo.
      Jesus se refere a uma das fases dizendo que mil anos de trevas acontecerão.
      O que vemos na história? Após o término do Império Romano, no ano de 450 d.C., iniciou-se uma fase na humanidade da Terra denominada de ‘Idade Média’ que durou até o ano de 1450 d.C.
      ou seja, a idade Média teve a duração de 1000 anos.
      Este seria o nosso primeiro milênio, concorda?
      O segundo milênio, iniciou-se com o término da Idade Média: foi o capitalismo.
      Se no período da Idade Média foi de escravidão, o capitalismo, também se tornou outro período de escravidão: escravidão ao dinheiro.
      A frase mais comum nos dias de hoje é:
      ‘pagando bem que mal tem?’
      quer frase mais sugestiva no que se refere a um tipo de escravidão?
      As pessoas estão fazendo qualquer coisa por dinheiro.
      E o dinheiro é o oposto do que Jesus planejou.
      Por isso, o sistema capitalista é a besta apocalíptica.
      Esta besta representa uma energia do conjunto dos demônios internos.
      os demônios são nosso egoismo, nossa raiva, sentimento de vingança, de dominação, de poder, etc.
      E a besta apocalíptica representa tudo isto.
      O que seria a cabeça da besta apocalíptica? (Apoc, 13:1)
      ‘Ela tinha sete cabeças (=sete pecados capitais?),
      e em cada cabeça havia escrito um nome de blasfêmia’.
      Em Apoc. 13:4, “quem poderá lutar contra ela?’
      Em Apoc, 13:17, ‘ninguém compra ou vende a não ser que tenha o sinal da besta’
      o sinal na testa é o pensamento, e nas mãos é o ato, a prática, a ação física. Assim, compra e vende quem se rendeu ao capitalismo, tornou-e escravo dele.
      O capitalismo é o oposto de tudo o que Jesus pregava: fraternidade, solidariedade, somos irmãos….’
      E como estamos em evolução, todos os nossos atos são tidos a favor de nosso crescimento, concorda?
      Apoc.14:12, ‘aqui está a paciência dos santos, dos que guardam os mandamentos de Deus…”
      E Jesus, em sua infinita sabedoria nos conforta dizendo:
      ‘De mil passará, de dois mil não passará’
      Os primeiros mil anos de uma era psicológica (idade das trevas) já se passaram.
      Estaremos completando no ano de 2050 d.C., 600 anos de nossa segunda fase psicológica.
      Dois mil anos se completarão no ano de 2450 d. C.
      Portanto, estamos perfeitamente, vivenciando o calendário programado por Jesus.
      As coisas, aos poucos vão se encaixando.
      Já obtivemos tanto progresso!
      Temos inúmeras interpretações errôneas no que se refere as promessas de Jesus. (naquela época não existia nenhum calendário que Jesus pudesse disponibilizar para nos fixar datas. Ele, naturalmente se referia a uma psicológica, ok!)
      Mas isto se entende pois inúmeras pessoas ainda não cresceram o suficiente para entender que a humanidade de Jesus somos todos nós.
      No programa evolutivo que Jesus traçou para nós, ele nos deu um prazo.
      Mil passará de dois mil não passará.
      E quem não conseguirá se encaixar dentro deste prazo?
      O progresso é contagioso.
      As leis da evolução, vão pouco a pouco, alcançando todo mundo.
      Quando nós todos nos conscientizarmos de que a humanidade somos todos nós, as leis que controlam nosso comportamento, provavelmente, irão se enferrujar pois, teremos uma lei interna, a do amor de Jesus, controlando nossos atos.

  121. Cartas Cristicas ajudam a fazer mudanças em nós .


Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: